O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014)

Primeiras impressões

Eu sou meio suspeito para falar do Homem-Aranha, afinal é um dos super heróis que mais gosto no mundo dos quadrinhos. Eu sou paga pau de herói que só se fode. Talvez por se assemelhar um pouco com a minha vida, talvez por ter um lado humano mais abrangente ou por ser um dos heróis que não tem nenhum poder extraordinário como os outros.

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões

Eu já achei o primeiro Espetacular Homem-Aranha muito superior à trilogia com o Tobey Maguire, pelo fato de mostrar um Peter Parker mais racional, mais focado nos seus conflitos como adolescente e sua nova descoberta dos super poderes ou de que ele não era tão loser como ele mesmo se achava e, principalmente, por não ter nenhuma fase EMO.

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões

A sequência que eu tive a grande sorte de assistir antes da maioria, me fez perceber o quanto um filme é superior ao outro. O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro, é outro nível! Não tem como comparar com o primeiro, parece que tudo o que a crítica especializada disse sobre o primeiro filme, sumiu no segundo, de tão cuidadoso que foi o diretor Marc Webb. Ele levou pro coração todas as críticas que recebeu no seu trabalho anterior e conseguiu fazer um belo trabalho com o herói mais querido da Marvel.

Vilões:

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões

A preocupação com esse filme era como os roteiristas o montariam com 3 vilões e o fizessem ficar interessante, sem um atropelar o outro e sem deixar uma bagunça que poderia arruinar tudo. Pois bem, parece que na prática foi mais fácil do que na teoria. Electro, Duende Verde (que não leva esse nome no filme) e o Rino não se atropelam e cada um tem o seu lugar e função nos 142 minutos do longa, nada tão estranho como foi em o Homem-Aranha 3.

O Electro é o vilão principal e Jaime Foxx fez um ótimo trabalho. Um engenheiro elétrico que tem seus problemas com carência e solidão, algo quase comum de um cidadão que vive em uma grande metrópole. Ele é um grande fã do Homem-Aranha e trabalha na Oscorp, mas é tratado como um número. A transformação de Max Dillon em Electro é justificável e você vai entender muito bem assistindo ao filme. E ainda sobra um tempinho para fazer uma crítica ao colapso energético que poderemos sofrer num futuro próximo.

Sobre o Duende Verde, você vai estranhar logo de cara, pois não tem NADA a ver com o que conhece nos quadrinhos, mas CALMA, não faz taaaaanta diferença assim ser ou não igual à HQ. Tudo é justificável, aliás, isso foi um ponto muito importante nesse filme, por isso estou batendo nessa tecla. O diretor conseguiu justificar tudo sem deixar nenhum ponto pendente.

Quanto ao Rino, a única coisa que posso dizer agora, é que sua aparição trouxe um dos momentos mais emocionantes pra mim! Cheguei a sentir meus olhos marejados (de forma hetero).

Gwen Stacy:

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões

Ela está maravilhosa, parece um pouco mais iluminada, sempre sorrindo e lutando para ter Peter Parker ao seu lado, mesmo com a promessa que ele tenha feito ao seu pai no filme anterior. Andrew Garfield e Emma Stone estão com uma sintonia bem melhor nessa sequência, o namoro fora das telonas deve ter ajudado muito na evolução que ambos os personagens tiveram. E, neste filme, ela tem um papel CRUCIAL para desenvolver a personalidade de Peter Parker (você vai entender assistindo o filme).

Você vai sair com uma certeza da sala de cinema:  

Gwen Stacy >>>>> Mary Jane.

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões

Peter Parker:

O filme é ótimo! Como eu disse, me acho suspeito pra falar de filmes do Aranha. Logo de cara eu fiquei com um medo danado de escrever estas primeiras impressões, nem chamo de resenha.

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões
Assisti ao filme no dia 15, mas só agora criei coragem pra escrever essas poucas palavras. Eu nunca vi um Peter Parker tão bem representado quanto esse pelo Andrew Garfield, cheguei a me sentir como ele, um cara qualquer que gosta de fazer o bem, que luta pelo bem e que se preocupa primeiro com a responsabilidade de cuidar do próximo, depois a si mesmo. Um herói que, em meio a tudo isso, quer ter uma vida normal, quer ter um melhor amigo, quer ter uma namoradinha e mesmo diante de todos os seus problemas, ainda sorri com a esperança de que tudo vai se ajeitar com o passar do tempo. Achei legal a profundidade que ele dá ao relacionamento com sua tia May, a forma como hoje ele lida melhor com seus poderes e responsabilidades e também com a questão da morte de seus pais. Neste filme ele é um Peter Parker mais seguro, até suas piadas tão diferentes e toda sua vida de desajeitado é delicadamente representada pelo ator. Você chega até esquecer que houveram outros filmes do escalador de paredes.

O filme pode ter seus erros, eles sempre vão existir, mas pra mim foi fantástico e eu não consigo desenvolver tanto sobre algo que gosto demais, parece que tudo é perfeito…

É… Talvez aos meus olhos deve ser!

O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro (2014) | Primeiras impressões

Confira a resenha definitiva: O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro | Resenha


Gostou? Tem mais:


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.