in

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

O diretor Tate Taylor ataca novamente. Após dirigir o vencedor do Oscar “Histórias Cruzadas” (2011), ele mostra seu talento na cinebiografia de James Brown.

Get on Up, é um filme de 2014 que aborda vida, obra e trajetória de um ícone que mudou para sempre o mundo da música: James Brown. Com roteiro de Jez Butterworth e John-Henry Butterworth, e produção de Mick Jagger, Erica Huggins e Victoria Pearman, são 138 minutos mostrando o lado mais genial, humano e megalomaníaco de uma lenda.

Sua vida é contada desde a infância pobre e abusiva, até se tornar um dos artistas mais famosos e influentes do rhythm, funk & blues. O autor de sucessos como “Sex Machine”, “Papa’s got a brand new bag” e “I feel good” trilhou um caminho muito duro até chegar ao estrelato e se tornar o Padrinho do Soul.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Quando seu trailer foi divulgado, a seguinte frase já dava a entender do que se trataria o filme: “Se você quiser me conhecer, eu me apresento: meu pai estava no exército, minha mãe me deixou. Quem poderia me ajudar?”. Um monólogo de James Brown, contemplado por cenas que mostram episódios de sua vida e ascensão.

A cinebiografia de Brown não peca em sua habilidade de nos mostrar a vida do artista. De forma simples e direta, somos introduzidos à infância dura de James Brown, um menino pobre com um pai abusivo que o abandona para servir ao exército, uma mãe que também o abandona e uma paixão: a música.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Se você sempre quis saber como nasceu um ícone, saiba que a sua história não foi fácil. Conhecido como um carrasco por seu temperamento megalomaníaco, James Brown teve todos os motivos do mundo para ser o que era. Um homem que venceu brigas, superou o abandono, a pobreza, o racismo e principalmente suas próprias limitações.

O filme não segue uma ordem cronológica, o que pode confundir bastante. Vemos James Brown como criança fragilizada, interpretado por Jordan Scott e Jamarion Scott e como adulto com a personalidade formada, no auge da fama, dançando absurdamente bem – mérito do ator Chadwick Boseman. Os atores fizeram bem seu laboratório, o personagem consegue interagir com quem o assiste – muitas vezes, inclusive, olhando para as câmeras.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Acolhido quando criança por uma “família” exploradora, James Brown (Jordan Scott e Jamarion Scott) sempre teve que se virar para conseguir o que comer. E isso não foi diferente quando entrou para o mundo da música, muitos anos depois (Chadwick Boseman). Intercalando entre passado e presente, entendemos pouco a pouco como um menino doce se tornou um homem talentoso e, por muitas vezes, egocêntrico.

Destinado ao estrelato. A passagem pela cadeia e a música gospel mudaram sua vida para sempre. A lenda do Soul sabia do seu talento e não mediu esforços até alcançar a fama. Acima de tudo isso, Bobby Byrd (Nelsan Ellis) foi tão importante quanto suas cordas vocais. O título original “Get On Top” surgiu através desse homem, que segurava as pontas para o padrinho do funk, e gritava esses versos durante “Sex Machine”. O relacionamento entre os dois apresenta um lado humano e vulnerável no cantor, que deve muito de sua carreira e vida ao amigo leal, que abandonou a própria música para se dedicar a música de Brown.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Conhecemos sua infância pobre e sofrida, quando fazia qualquer coisa por um trocado e um prato de comida. Sua juventude conturbada, quando teve diversos problemas com a polícia. Sua trajetória, ascensão e queda – quando sua sede pelo palco e sua ganância quase o afastaram de tudo que mais amava.

James Brown nos palcos e James Brown na vida: o homem capaz de silenciar o mundo com sua voz, também era um marido agressivo e um amigo muito egoísta. Vemos o pior e o melhor dele, nos fragilizamos e entendemos sua história na mesma proporção que detestamos sua postura diversas vezes.

O filme levanta questões cruciais tanto na vida dele, como na de qualquer pessoa que tenha passado por algum tipo de abandono, agressão ou exploração quando criança. Como um homem que cresceu assim poderia ter ficado sem sequelas? E ele não ficou.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Viola Davis interpreta Susie Brown a mãe de James Brown. Uma mulher que sofre abusos constantes do pai do menino e, por sua vez, os abandona para tentar a vida como prostituta. O reencontro dos dois é um dos pontos mais fortes do filme e em duas situações distintas vemos o jogo se inverter: primeiro ela nega que o conhece e que precisa dele, quando pequeno e frágil. Depois ele nega que precisa ou conheça ela, quando se torna o “todo poderoso James Brown”, e ela é apenas uma senhora com orgulho do filho. Dois lados de uma moeda que não se pode jogar, pois ambos tem seus motivos para terem feito isso.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Dan Aykroyd interpreta Ben Bart, agente e grande amigo de Brown, um dos homens responsáveis pela ascensão de sua música.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Octavia Spencer interpreta a “mãe adotiva” do pequeno Brown. Uma mulher que abusa da boa vontade do menino, mas que também mostra que ele tem seu valor. O elenco conta também com Lennie James (Pai de Brown), Jill Scott (esposa de Brown), Fred Melamed, Tika Sumpter, entre outros nomes.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Get on Up deixa alguns buracos irreparáveis, principalmente por usar recortes de sua vida como se fossem um grande álbum fotográfico. Vemos o pequeno Brown, o megalomaníaco Brown e o insuportável Brown. A realidade é que o filme foca no fato de que James Brown era humano e imperfeito –  apesar de detestar demonstrar que sabia disso. Os atores o interpretaram absurdamente bem.

James Brown era exatamente assim: apaixonante e insuportável. Ele se dedicou muito às crianças durante sua vida, o que é mostrado no filme poucas vezes. Também quebrou lugares e arrumou briga com os Rolling Stones no início de carreira (o que chega a ser irônico, pois o filme tem Mick Jagger como produtor). Um homem difícil de se lidar, ao contrário de sua música.

Get on Up (2014) | James Brown além da megalomania

Ele não suportava ser fantoche de homens brancos e gritava ao mundo quem era e ao que veio: James Brown, nascido para brilhar. Um olhar resumido de uma vida desgraçadamente graciosa. Um talento que nos deixou em 2006 e que foi eternizado por sua música.

Get on Up (intitulado “James Brown”, no Brasil) estreou nos cinemas nacionais no dia 21 de maio de 2015.


Gostou? Tem mais:

E aí, curtiu?

Escrito por Juliane Rodrigues (Exuliane)

Serial killer não praticante, produtora audiovisual de formação e redatora por vocação. Falo sério mas tô brincando no twitter @exuliane

manda nudes: [email protected]

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

Animais Fantásticos e Onde Habitam | Eddie Redmayne é oficializado como protagonista

Rise of the Tomb Raider | Lançado (teaser) trailer!