HQ do dia

The Multiversity #1

The Multiversity é a nova série da DC Comics pós-Novos 52 que realmente explora o conceito dos múltiplos universos da editora após o advento dos Novos 52. Alguns personagens de outros universos já haviam dado as caras em títulos como Earth-2, Action Comics e Worlds’ Finest, mas nada com a abragência e escopo apresentado aqui.

MultiversityComo prêmio por ser um bom menino e ter dado tanto dinheiro e tantas histórias aclamadas para a editora ao longo de sua carreira, o roteirista Escocês Grant Morrison recebeu tudo o que queria: As chaves do Multiverso DC. E o cara sabe como tocar esse “parquinho de diversões”.

A premissa de Multiversity é extremamente simples: O Superman da Terra 23 (Aquele que também é secretamente presidente dos EUA) é convocado para uma equipe formada pelos maiores heróis de todos os universos DC para desvendar e resolver uma ameaça que pode consumir todos estes 52 universos. Os heróis transitam pelos universos à procura de respostas nesta edição enquanto tentam conscientizar outros personagens dessa ameaça.

Fica muito difícil fazer um review sem spoilers sobre Multiversity pois a diversão (que é muita) fica por conta dos conceitos metalinguísticos empregados pelo autor e a quantidade de referências a ícones da DC Comics (e de outras editoras) em suas diversas Eras. A HQ não é um festival de aparições. Existe um roteiro definido, bem estruturado, divertido, totalmente inteligível para os marinheiros de primeira viagem e até bem linear para todo este primeiro número. No entanto, as “Morrisagens” são de fato a parte mais prazerosa da leitura. Seja para fãs antigos ou novos.

A arte neste número é de Ivan Reis e sinceramente, apesar de eu ser fã declarado do Brasileiro tenho que admitir que já vi desenhos melhores do artista. Não estou afirmando que a arte aqui seja ruim. Muito longe disso. As cenas, as caracterizações, o enquadramento e o acabamento é tudo excelente. Só que acompanhando os últimos trabalhos de Ivan Reis em Justice League e em Aquaman parece que o nível não é o mesmo. É só uma comparação. Não fiquem chateados. Ainda assim a arte é excelente e a quantidade de personagens diferentes e muito bem feitos aqui nestas 41 páginas com certeza dá muito mais trabalho do que uma HQ de 23 páginas da Liga ou do Aquaman.

The Multiversity #1 é um convite. Todo quadro, cena, diálogo e principalmente os “voice box” falam ao leitor e o chamam para esta viagem pelo Multiverso. Ao meu ver Grant Morrison conseguiu atingir novamente um equilíbrio entre suas idéias complexas e alucinadas e uma trama de fácil compreensão. A HQ faz seus devidos tributos ao passado e presente desta grande editora, mas não aliena uma nova audiência de leitores sedentos por boas histórias. Multiversity talvez seja a introdução mais amistosa que já li sobre os 52 Universos DC isso sem perder o escopo gigantesco e nem simplificar demais um dos conceitos mais clássicos da história dos quadrinhos. Ótima leitura.

Leia as resenhas individuais de cada uma das partes de “The Multiversity”:

– The Multiversity: Society of Super-Heroes
– The Multiveristy: The Just
– The Multiversity: Pax Americana
– The Multiversity: Thunderworld Adventures
– The Multiversity Guidebook
– The Multiversity: Mastermen
– The Multiversity: Ultra Comis
– The Multiversity #2


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.