in

HQ do Dia | Saga Volume 2

Depois de quase que dois anos de um vácuo agoniante temperado com uma absoluta escassez de informação concreta, finalmente a editora Devir lança o segundo volume do encadernado do gibi mais premiado do mercado e quadrinhos Americano nos últimos cinco anos (Imagina se não fosse).

No final de Dezembro chegou às lojas especializadas “Saga Volume 2”. A edição nacional encadernada é composta pelo mesmo conteúdo da compilação Americana da Image, contemplando as edições 7 a 12 de “Saga” do autor Brian K. Vaughan e da ilustradora Fiona Staples (com quem nós conversamos na época do lançamento de Saga aqui no Brasil).

Para quem não está familiarizado “Saga” é um a ópera pornográfica espacial focada na relação entre os personagens Marko e Alana – soldados de etnias e povos diferentes em lados opostos de uma guerra intergalática. Saga é contada através de relatos da filha do casal, a pequena Hazel, e mistura elementos de ficção científica, humor adulto e fantasia com perfeição.

hq-do-dia-saga-volume-2No segundo volume de “Saga”, Vaughan conta a história de como Marko e Alana se conheceram, se apaixonaram e até como conceberam a jovem Hazel (Sim! É claro que tem putaria), além de apresentar a família do rapaz e alguns fantasmas de seu passado. Ao mesmo tempo em que nos dá o backstory do casal, Vaughan move a história através da perseguição aos dois tanto pelo mercenário The Will, quanto pelas forças de Landfal e velhos conhecidos de Marko da Lua Wreath.

O roteiro neste segundo volume expande bastante as relações entre o elenco. Vaughan mostra muito da personalidade de Alana e os motivos pelos quais a moça abandonou a guerra para fugir com Marko, na forma do romance escrito pelo autor fictício D. Oswald Heist. Nas outras linhas narrativas começamos a ver um desenvolvimento de The Will além da simples função de antagonista e a introdução de novas caras dá uma carga energética enorme para mover a trama.

Os diálogos de Vaughan continuam impecáveis, o ritmo de cada uma destas edições individualmente é cirurgicamente preciso para deixar o leitor emocionado, aflito, alegre e empolgado a cada gancho. Saga aqui mostra que nunca é o que você espera, sempre inovando em ambientação (Planetas nem sempre são o que parecem), estratégias de roteiro (a brilhante estratégia de resgate da Garota Escrava em Sextillion) e concepção e desenvolvimento de personagens. Saga está em um outro nível de roteiro, é uma leitura com fragrância própria e permanece diferente de qualquer outro título em quadrinhos publicado no momento.

A arte de Fiona Staples só evoluiu desde as primeiras seis edições de “Saga”. Muito mais confortável com este elenco principal e livre para botar no papel (apesar de trabalhar quase que integralmente de maneira digital no gibi) as atrocidades de Vaughan, a moça mostra aqui porque é uma das desenhistas mais competentes dos quadrinhos na atualidade. Staples dá um show não só em fotografia, mas em concepção de quadros e ambientes, expressões corporais (incluindo lindas cenas de sexo) e faciais, fluxo de ação e principalmente no design do elenco. Saga tem os personagens com o visual mais impactante na Image Comics e tudo isso se deve à criatividade e ao talento de Staples na concepção destas maravilhas.

Apesar da distribuição péssima, a periodicidade caótica, a ausência de informação e o preço salgado vale muito a pena entrar no mundo de Saga. O título nos últimos tempos é um dos poucos que justifica o imenso hype que o cerca e a cada edição Brian K. Vaughan e Fiona Staples elevam ainda mais a barra nesta publicação. O segundo volume do título é uma leitura belíssima, comovente, empolgante e com aquele gostinho de “quero mais” que faz a gente voltar a banca e continuar lendo. Compre agora.

Veja também: Proibido Ler entrevista | Fiona Staples – A premiada desenhista de SAGA

E aí, curtiu?

Escrito por Igor Tavares

Carioca do Penhão. HQ e Videogames desde 1988. Bateria desde 1996. Figuras de ação desde 1997. Impropérios aleatórios desde 1983.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

Contos da Cripta | Série irá voltar pelas mãos de M. Night Shyamalan

Os 8 Odiados (2016) | Tédio com “T” de Tarantino