HQ do Dia

Monstress Vol.1: Despertar

Publicada em território brasileiro desde o começo do ano pela a Editora Pixel, Monstress Vol.1: Despertar, enfim pôde fazer parte do seu acervo de histórias em quadrinhos… mas será que deve? Vencedora do HUGO Awards 2017 na categoria de melhor história em quadrinhos, Monstress Vol.1: Despertar é um encadernado que traz o princípio de uma proposta presentemente diferenciada, apesar das nuances ligeiramente familiares para com o mercado de histórias do gênero.

Em Monstress Vol.1: Despertar acompanhamos a história de Maika Halfwolf, uma arcânica em busca de vingança, que carrega dentro de si um poder misterioso que pode trazer a ruína para todo o mundo. Tamanho poder faz com que Maika Halfwolf seja perseguida por duas facções em conflito – o império teocrático humano e os descendentes arcânicos… e num mundo de guerra e sobreviventes, escravidão, preconceito e dificuldade em conter ou aceitar nossos demônios interiores, Maika Halfwolf impetuosamente trilha sua jornada.

HQ do Dia | Monstress Vol.1: Despertar

Roteirizada por Sana Takeda e Marjorie Liu, Monstress Vol.1: Despertar presenteia seu leitor com 196 páginas de um universo único e próprio de seus autores. É um universo art déco vibrante, cujos tons você vai tomando ciência detalhada a cada quadro. É um universo construído de tamanha maneira interessante que, particularmente, durante a leitura me remeteu a originalidade contextual de histórias como Avatar: A Lenda de Aang e/ou de franquias como Senhor dos Anéis. Contudo, Monstress Vol.1: Despertar traz uma bela abordagem mesclada de elementos steampunk, tecnofantasy e, eu diria até mesmo, gaslight que fazem do título uma construção presentemente diferenciada. É de se agradecer a Sana Takeda e Marjorie Liu por desenvolverem um universo tão rico de detalhes e o abordarem de maneira concisa e formidável — além, é claro, de nos proporcionar alguns dos melhores gatos dos quadrinhos! (Concordo com Neil Gaiman nisso).

Monstress Vol.1: Despertar tem arte assinada pela a co-autora Marjorie Liu, e puta que vós pariu… particularmente me faltam adjetivos para expressar a beleza única e detalhista que Liu nos apresenta em 196 páginas. Em fato, é uma arte que se espalha por toda a identidade visual da obra e consegue transmitir toda a essência do universo criado pelos autores, toda a sua unicidade, bem como, por vezes, no decorrer da trama a arte é um elemento que o situa nos contextos desta antes mesmo que você faça a leitura dos textos. Ainda, o trabalho de cores do título feito por Liu é fantástico, de vibração corajosa e de certa nostalgia. Aproveito o momento idem para ressaltar a qualidade de impressão e acabamento feito pela a Editora Pixel, que propõe um ótimo material em capa dura e com alto relevo identitário à obra.

HQ do Dia | Monstress Vol.1: Despertar

Monstress Vol.1: Despertar é um encadernado que traz uma proposta de trama original e diferenciada, apesar de certas familiaridades encontradas para com o gênero literário deste. Em 196 páginas, o encadernado proporciona uma trama concisa, identitária e de uma riqueza de detalhes impressionante, você sempre vai querer saber mais sobre este universo, quer seja por meio da leitura narrativa de Takeda e Liu, quer seja pela a arte detalhista de Liu.

E se no começo deste review eu o perguntei se você deve possuir esta história em quadrinhos no seu acervo, no fim deste review eu venho lhe dizer que SIM, Monstress Vol.1: Despertar é um primeiro encadernado de um título cujo acompanhamento é super válido e, neste ponto, recomendável a qualquer leitor que se identifique com HQs de de tramas únicas e elementos mesclados de steampunk, tecnofantasy e, até mesmo, gaslight.


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.