in

HQ do Dia | Homem-Formiga #1

Apostando todas as fichas no sucesso indiscutível de suas recentes adaptações cinematográficas e em um esforço notável para integrar os quadrinhos com seus filmes e séries a Marvel lança esta semana o mais novo título protagonizado pelo atual Homem-Formiga, Scott Lang.

A revista simplesmente intitulada Homem-Formiga (sem os tradicionais subtítulos) é escrita por Nick Spencer e em sua primeira edição relembra um pouco da história do personagem e dá um direcionamento muito alinhado com o que vemos nas prévias do filme estrelado por Paul Rudd. O roteiro de Spencer é conciso, bem feito, movimentado, extremamente divertido, com diálogos engraçados e essa nova encarnação de Scott Lang tem personalidade e cativa desde as primeiras páginas da revista.

O principal problema do título é que se por um lado Homem-Formiga é uma leitura perfeita para novos leitores interessados no Homem-Formiga_1protagonista, a HQ descaracteriza um pouco a mais recente encarnação do personagem como líder da Fundação Futuro. Em Homem-Formiga Scott Lang é o perdedor que todos nós amamos – Um cara comum, não muito jovem e não muito velho, cheio de problemas pessoais, financeiros, com uma bagagem de vida recheada de arrependimentos e que geralmente toma as decisões erradas. Ok, isso faz dele um protagonista muito interessante e cheio de nuances, no entanto se lembrarmos sua atuação recente como líder do novo Quarteto Fantástico e como responsável pela Fundação Futuro veremos que este Lang aqui tem muito pouco a ver com o outro. Todo o amadurecimento, modo de operar, motivação e até muitas das habilidades mostradas durante o período em que o Homem-Formiga esteve no Quarteto Fantástico (substituindo Reed Richards, diga-se de passagem) são jogados no lixo em benefício de uma persona que se alinhe mais aos interesses da editora em aproximar o personagem de sua versão cinematográfica. Isso pode ser difícil de engolir para alguns leitores que acompanham o personagem há alguns anos.

De qualquer forma não se pode dizer que o roteiro de Homem-Formiga é ruim, chato ou mal feito. Muito pelo contrário, tirando a evidente descaracterização do personagem (e de sua filha, Cassie) a história é muito boa de ler. Temos um protagonista imprevisível, bem humorado na medida certa (sem os habituais exageros em piadinhas) e sobretudo muito humano. Os diálogos de Nick Spencer entre Scott e sua filha Cassie são maravilhosos e o autor conta em algumas páginas basicamente o roteiro do filme que estreia esse ano em forma de um flashback bem instrutivo. Além disso a primeira edição tem a dose certa de ação e comédia necessária para divertir qualquer tipo de leitor de quadrinhos.

A arte de Ramon Rosanas em Homem-Formiga é simples, limpa e muito dinâmica lembrando bastante o trabalho de Paolo Rivera e Chris Samnee em Demolidor. Se você curte esse estilo de desenhos um pouco menos épicos e que dão mais foco no roteiro do que nas splash pages megalomaníacas deve gostar do trabalho do ilustrador que tem muita personalidade e representa com perfeição seja o próprio Lang e o elenco de apoio ou Tony Stark (que faz uma ponta). As cenas de ação são soberbas e a miniaturização e relação do personagem com os insetos são retratadas de forma perfeita pela equipe de arte. Não há realmente o que reclamar desses desenhos na estreia. Um trabalho excelente.

Homem-Formiga é perfeita para novos leitores. Se você nunca leu nada do personagem vai adorar conhecê-lo e vai se apaixonar pela história de vida mostrada nestas 33 páginas. Tudo que você precisa saber sobre o Scott Lang atual já está aqui. Entretanto se você for pesquisar a história do personagem (não precisa ir muito lá atrás não) é bem provável que vá se decepcionar com algumas coisas feitas pela Marvel e pelo roteirista neste novo título. Se você é fã do personagem e tem acompanhado sua carreira ao longo dos anos também vai notar algumas diferenças entre esta versão de Scott e as anteriores. Tirando isso temos uma leitura divertidíssima e cheia de personalidade com uma arte de alto nível e um protagonista tão humano quanto você ou eu. Uma estreia muito interessante com um final totalmente inesperado para esta primeira edição. Desrespeitando o legado do personagem ou não a HQ é uma ótima pedida e é fortíssima candidata e se tornar um xodó dos fãs e da crítica especializada este ano.

Veja minha última resenha: HQ do Dia | A imbatível Garota-Esquilo

E aí, curtiu?

Escrito por Igor Tavares

Carioca do Penhão. HQ e Videogames desde 1988. Bateria desde 1996. Figuras de ação desde 1997. Impropérios aleatórios desde 1983.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

Bond Girls – Parte 6 | Musas de 007 de 2000 até 2012

Mulher compra PS4 para namorado e recebe caixa com duas bíblias