HQ do dia

Original Sin #7

É isso aí coleguinhas. Chegamos a penúltima parte do evento de verão da Marvel que (em grande parte através de seus Tie-Ins)  já mudou bastante coisa no panorama geral da editora este ano. Esta é aquela típica edição onde ocorre um “showdown” ou seja, as tramas paralelas convergem e temos um grande conflito focado em um único personagem, neste caso o Senhor Nicholas Fury.

Original Sin 7 é uma das edições mais focadas em ação da saga. Jason Aaron coloca Vingadores contra Original SinFury em uma batalha no meio da órbita lunar. Só isso já torna a leitura bem empolgante e divertida. Mas o fato é que além das cenas de batalha que permeiem toda a HQ ainda temos mais algumas pistas sobre o assassinato do Vigia e sobre a própria natureza do personagem através de flashbacks protagonizados por Fury, Dr. Midas, Orb, Exterminatrix e seus asseclas Sem-Mente. Orb novamente se torna peça chave para todo o mistério e arrisco dizer que será um personagem bem importante daqui para frente na Marvel. Esta edição prepara o terreno para algumas coisas no futuro já anunciado da editora. Não vou entrar em detalhes, mas a maneira como Fury lida com Thor aqui é bem interessante. Aaron conduz bem esta edição, dando pistas ao leitor, mas ainda não revelando totalmente o mistério tema do evento. É um balanço delicado, mas executado de forma competente.

Sobre a arte o que tenho a dizer é o seguinte: Uma HQ de super-heróis com os maiores ícones da Marvel caindo na porrada no meio do espaço desenhada por nada mais nada menos que o senhor Mike Deodato é um presente para os leitores. O desenhista se beneficia muito com o roteiro mais voltado para a pancadaria nesta edição e nos entrega quadros lindos com combates bastante improváveis (principalmente nos flashbacks) e divertidos. A caracterização, as poses e trabalho de enquadramento (meio inusitados por vezes) de Deodato continuam mantendo o alto padrão de qualidade que o artista determinou desde a primeira edição de Original Sin, mas neste número tenho que destacar principalmente a colorização de Frank Martin. O efeito que esse sujeito consegue colocar nas passagens de flashbacks e nas manifestações de poder do Vigia e de Orb são a coisa mais impressionante da parte gráfica de Original Sin 7. Altíssimo nível o trabalho gráfico nestas passagens.

Original Sin 7 é pura ação. Pra quem estava reclamando das edições meio paradonas esta HQ coloca os maiores heróis da Terra em um enorme quebra-pau espacial. Fury definitivamente é colocado de volta a sua posição de personagem ambíguo no Universo Marvel, o que me deixa muito feliz, pois este aspecto pra mim faz parte de sua natureza. Jason Aaron aqui propõe temas que mudam um pouco as coisas na Marvel enquanto nos entrega um roteiro com bastante mistério e ação. A arte novamente é espetacular e mal posso esperar para a conclusão e repercussões deste evento na Casa das ideias.


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.