Resenha – Berserk

O guerreiro errante e sua espada longa

Você já se imaginou carregando uma espada gigante – provavelmente maior do que você – e saindo por aí derrotando criaturas bizarras? Pois é, esse é o plot de Berserk, um seinen pesado e muito, mas muito bem cotado pelos amantes do estilo. Por se tratar de uma história pesada e voltada para os adultos, o criador do mangá Kentaro Miura caprichou no character design, dando uma vivacidade nos traços que é bastante invejável.

Já a versão animada, dirigida por Naohito Takahashi não deixou a desejar, afinal, a adaptação seguiu fielmente a linha do mangá, embora bastante curto em sua primeira parte, não indo até o final da história do mangá.

resenha-berserk-o-guerreiro-errante-e-sua-espada-longa

A história gira em torno de Guts, um guerreiro errante e uma vez Comandante da Tropa de Assalto da unidade Bando do Falcão, muito conhecida na região. O fato de ter se tornado um mercenário é explicado parte por parte tanto no anime quanto no mangá, então para evitar alguns spoilers, vou poupá-los disso. (hahaha). Por uma série de acontecimentos decorrentes de seu passado com Griffith (o líder do Bando do Falcão), nosso protagonista passa a caçar criaturas demoníacas chamadas de “Apóstolos”, que se tornaram o que são devido a um pacto com um grupo de arquidemônios chamados “A Mão de Deus”, que exigem que, para obterem um poder imensurável, eles precisam sacrificar qualquer coisa uma pessoa de muita importância para si, onde ganham uma peculiar marca chamada de Marca do Sacrifício, que inclusive Guts carrega.  Por conta disso – e por ser um dos únicos a de fato se manterem em sanidade após marcados – incessantemente atrai demônios, no qual a marca sangra na aproximação das mais bizarras criaturas.

resenha-berserk-o-guerreiro-errante-e-sua-espada-longa

Dessa maneira, todo o mistério que envolve Guts como um todo, desde seu passado como um mero integrante do bando chefiado por Griffith desde sua vida como um mercenário é retratada de forma bastante peculiar principalmente no mangá. Os traços de grafite bem forte denotam a bizarrice dos variados demônios e inimigos do protagonista, o que acontece também na primeira adaptação do anime, sem censura. O que vale ressaltar ainda é que, por se tratar de um seinen com bastante embates pesados e muito sangue, era de se esperar que o apelo sexual também estivesse presente, então é recomendado diretamente a maiores de 18 anos, principalmente por muita cabeça rolar… literalmente.

Então, para a alegria da nação, recentemente a revista japonesa Young Animal através do autor Keitaro Miura anunciou uma nova adaptação da série para 2016! A animação vai retratar Guts como o espadachim negro, em uma fase de sua história nunca animada na primeira vez. O prestígio e feedback é inteiramente positivo e por ser um mangá muito famoso desde sua estréia em 1989, espera-se uma verdadeira obra de arte. Segue o trailer oficial da nova adaptação que está perfeita e fica também um Feliz Ano Novo a todos vocês que nos acompanham diariamente aqui no PL!

________________________________________________________________________________

Gostou da resenha? Confira mais uma aqui: Resenha – Air Gear | O céu não é o limite


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.