in

HQ do Dia | All-New Wolverine #1

Que leitor da Marvel não ama ou mesmo nunca amou de Wolverine em algum momento da vida? Hoje em dia o Carcaju Canadense se tornou uma marca quase tão grande quanto a franquia que o lançou, os X-Men. Selvagem, Vingador, Lobo Solitário, Samurai, Líder mutante e Professor… A Marvel fez praticamente de tudo com o baixinho nos últimos anos. Ao menos é isso que você pensava. “All-New Wolverine” é justamente o que a Marvel ainda não tinha pensado em fazer com a marca que se tornou o Wolvie – O herói se torna um legado com sua morte e o manto do guerreiro aqui é herdado com justiça pela jovem Laura Kinney, a disfuncional e carismática clone de Logan que por anos ficou conhecida como X-23.

Na primeira edição de “All-New Wolverine”, o roteirista da aclamada “Injustice”, Tom Taylor não perde tempo com explicações. Tudo que você precisa saber sobre a heroína já está na página de introdução. Portanto já começamos o gibi de modo acelerado com uma missão em Paris na qual a ação sobrepuja as explicações de trama. Tudo é frenético e o leitor vai se familiarizando com as motivações e nuances do início de arco em meio a um tiroteio pelas ruas da Cidade Luz.All-New-Wolverine

A personalidade de Laura permanece intacta: Resoluta, teimosa igual a uma mula e agressiva. Esta é a mesmíssima X-23 que estamos habituados a ver nos títulos dos X-Men e derivados. Taylor se vale de uma cena preciosa em forma de flashback / delírio para mostrar um pouquinho da relação entre Laura e Logan. Sem se estender muito e sem comprometer a fluidez do gibi, o autor entrega a mensagem do legado ao mesmo tempo em que mostra a vulnerabilidade de sua protagonista. Ainda temos uma participação bem vinda do jovem Warren Worthington III, o Anjo (a versão “X-Men novinhos”), que no meio do caos, garras e porradaria dá um toque de humanidade para esta estreia. Taylor não faz uma primeira edição surpreendente e arrasadora, mas diverte e mostra consistência em um gibi de ação deste tipo.

A arte de David Lopez e David Navarrot é limpa, direta e clara. Em um roteiro com ação o tempo todo é uma verdadeira benção uma equipe de artistas que consegue apresentar páginas de forma bonita, mas sem se valer de artifícios e atalhos gráficos para transmitir o roteiro. Lopez nos entrega uma Laura adulta, forte e expressiva; cenários que apresentam Paris de forma inteligível, mas sem enfiar um monte de referências turísticas caricatas; um design geral de página bem sóbrio e um fluxo de quadros de ação que mostra o melhor da heroína.

Tom Taylor, David Lopez e David Navarrot não estão criando um novo clássico da Marvel com este gibi. Longe disso. “All-New Wolverine” é o alicerce para uma construção que pode ou não agradar os fãs da Marvel. A ideia do legado de Wolverine é um pouco indigesta sim e deixa questionamentos sobre a natureza editorial… Afinal se Laura Kinney já era uma heroína estabelecida e querida por si só, pra que forçar a jovem a assumir o codinome e o título de um outro personagem? Coisas de Marvel… De qualquer maneira mesmo que você não curta a ideia é injusto condenar o trabalho desta equipe criativa, que faz de tudo para entregar um gibi consistente e bem feito.


Leia as reviews dos novos títulos da Marvel pós-Guerras Secretas:

E aí, curtiu?

Escrito por Igor Tavares

Carioca do Penhão. HQ e Videogames desde 1988. Bateria desde 1996. Figuras de ação desde 1997. Impropérios aleatórios desde 1983.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

10 HQs para você dar de presente neste Natal

Os Dez Mandamentos | Da TV direto para o cinema, produção bíblica ganha o primeiro trailer