Close Enough | A beleza do simples encontrando o surreal
in

Close Enough | A beleza do simples encontrando o surreal

A beleza do encontro entre a simplicidade e o surrealismo de aventuras adultas

Criada por J.G. Quintel (Apenas Um Show), “Close Enough” é uma série animada voltada para o público adulto lançada este ano no HBO Max. A série narra as aventuras de um casal de trinta e poucos anos que vive com sua filha e amigos divorciados em um duplex.

Mas então, vale a pena dar uma chance a primeira temporada de “Close Enough”? Saiba mais a seguir.

Close Enough | A beleza do simples encontrando o surreal

Ambientada no mesmo universo e com traços semelhantes aos de “Apenas Um Show”, “Close Enough” se difere basicamente por trazer situações e contextos diferentes. Mas cujo resultado é sempre o mesmo: te fazer rir muito sem exigir demais.

Com uma grade de personagens divertidos e “maduros” orientados a lidar com as situações mais cotidianas da vida adulta, a primeira temporada da série enfatiza bem sua proposta ao apresentar tal contexto de maneira simples, mas completamente imersiva a sua audiência. Digo, independentemente do quão doido pode estar a situação, chega a ser fácil se ver na pele dos personagens em tela.

Close Enough | A beleza do simples encontrando o surreal

Assim como “Apenas Um Show”, a trama de “Close Enough” é marcada por situações que se desenvolvem do mais inesperado contexto. Mas ainda sim, a animação adulta de  J.G. Quintel não deixa de impressionar com a tamanha criatividade e fluidez com que faz isso.

Digo, sem perder o timing para boas reviravoltas e/ou piadas, a trama da série em si apresenta e executa até mesmo suas ideias mais abstratas com tanta perfeição quanto a simplicidade que embasa sua proposta.

Close Enough | A beleza do simples encontrando o surreal

Até então, a primeira temporada de “Close Enough” é a perfeita exemplificação da beleza que há quando o simples encontra o surreal de forma majestosa. E da qual você nunca estará cansado para assistir e re-assistir.

“Close Enough” está disponível na Neflix.

E aí, curtiu?

Escrito por Isaias Setúbal

All I hear is doom and gloom. And all is darkness in my room. Through the night your face I see. Baby, come on. Baby, won't you dance with me?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

Cannon Films | A máquina de fazer filmes ‘ruins’

#Alive (2020) | A pesada solidão em meio ao apocalipse zumbi