Stranger Things

Considerações e devaneios sobre o Mundo Invertido

Reunindo o melhor do terror, da ficção científica e dos elementos saudosistas permitidos pelos anos 80, o seriado americano distribuído pela a Netflix, Stranger Things, certamente faz jus as críticas positivas e o sucesso que  tanto a destaca no cenário atual da Cultura Pop. A série composta por segredos, seres sobrenaturais e uma turma marcante, já conta com duas temporadas, totalizando 17 episódios e já prevê uma nova temporada para o próximo ano. Porém, até então, são poucas as respostas que temos para um dos elementos mais importantes da série: o mundo invertido.

Particularmente, uma das melhores coisas de Stranger Things é a conceituação do mundo invertido. As duas temporadas existentes tampouco nos responderam coisas mais exatas sobre tal dimensão. Pelo contrário, fizeram com que mais e mais perguntas surgissem. Ante a isso,  não vou apresentar necessariamente teorias (embora tenha alguns elementos deste) e coisas do tipo, mas sim um apunhado de questionamentos e considerações/devaneios bastante interessantes quanto a este elemento da série, partindo sempre dos vislumbres proporcionados pelas temporadas. Tentarei dar o maior sentido possível para todas as questões levantadas.

A APRESENTAÇÃO DO MUNDO INVERTIDO ATÉ AQUI

A priori, o mundo invertido resumidamente é apresentada na primeira temporada como uma dimensão espacial paralela que coexiste com a nossa própria. A dimensão é pouco iluminada, com veias viscosas, que crescem como raízes sobre muitas superfícies. O ar é cheio com o que parecem ser esporos de penas. A única entidade “viva” é o monstro –  conhecido como Demogorgon. Sabe-se que o acesso a esta dimensão aconteceu devido as surpreendentes habilidades psíquicas de Eleven, que foram suficientemente capazes de rasgar o espaço-tempo e criar um portal estável (com exceção deste portal aberto por Eleven, os ademais tendem a se fechar assim que atravessados).

Por sua vez, na segunda temporada vemos o mundo invertido naturalmente mantendo tais características. No entanto, temos contextos novos como: a presença  de  um incrível  monstro mais aterrorizante, o Devorador de Mentes; não mais “Demogorgon”, mas “Demodogs” (monstrinhos no plural mesmo); Will agora consegue vislumbrar o mundo invertido e, para não deixar de mencionar, as “veias viscosas” do mundo invertido estão se infiltrando pelo subterrâneo de Hawkins devido a contínua abertura do portal primário (o que Eleven abriu).

AS PERSPECTIVAS DE UM MUNDO INVERTIDO

Naturalmente começando pela primeira temporada, ao nos limitarmos ao mundo invertido apresentado em tal temporada, vemos que existe apenas um único ser vivo em toda uma dimensão solitária: o então chamado Demogorgon. Vemos que no decorrer de toda a temporada o Demogorgon rapta pessoas por toda a Hawkins. Em teoria, pode se pensar que ele o faz por um instinto de alimentação, certo?

Okay, mas eis um fato interessante: em nenhum momento presenciamos o Demogorgon se alimentado das pessoas que ele raptou em Hawkins (vemos ele se alimentando no episódio em que Nancy entra no mundo invertido, mas aparenta ser um animal, não um ser humano). Tampouco o vemos causando algum tipo de ferimento físico considerável nas suscetivas abordagem deste. Digo, ele não machuca instantaneamente a Barbara no primeiro ataque, ou até mesmo ao Will assim que ele o encontra no próprio mundo invertido. Para ser mais exato, a Barbara e o Will não são encontrados nem com ferimentos consideráveis, como mordidas ou membros quebrados e dilacerados… Tudo bem que o vemos mortos ou quase, mas não machucados fisicamente, muito menos de aparente maneira violenta. Então se fosse para fim alimentício, pra quê levar pessoas ao mundo invertido com a função de se alimentar, se o Demogorgon poderia facilmente saciar a fome no local onde atacou a pessoa?

Foi então que a cena do episódio final da primeira temporada em que a Eleven se depara com a Barbara morta no mundo invertido, bem como no próprio final do episódio em que resgatam o Will, me remeteu instantaneamente a cena final do filme Prometheus (2012) [para ver ou relembrar, clique aqui].  Talvez o Demogorgon não estivesse raptando pessoas de Hawkins para se alimentar, mas para “PROCRIAR”. Afinal, não atoa temos o ditado “dividir e conquistar”.

Veja bem, nesse contexto o fator biológico não parece ser um argumento forte o suficiente para barrar qualquer outra hipótese que possa aparecer. Isto é, não dá para saber a quanto tempo este Demogorgon existe, tampouco como comporta-se biologicamente – tanto com seu próprio corpo quanto com o ambiente a sua volta -, logo não dá para saber DO QUE ele se alimenta, COMO ele se alimenta e/ou até mesmo,  responder o pressuposto de A QUANTO TEMPO ELE NÃO SE ALIMENTA. Ainda mais se considerarmos essas questões num ambiente anteriormente confinado e “vazio”, como propõem-se a ser o mundo invertido.

Outro ponto é, sendo ele neste primeiro momento um SER VIVO ÚNICO no mundo invertido, é de se perguntar coisas como “de onde será que ele surgiu?”, “como será que ele surgiu?”, “por que ele surgiu?”, “por que ele é o ÚNICO SER VIVO de TODA UMA DIMENSÃO?”, não? No fim das contas, não presenciamos nada que possa sugerir alguma fonte de alimentação ou qualquer interação biológica para com o Demogorgon até a temporada seguinte. Mas ainda limitados a primeira temporadas, pode-se analisar que o Demogorgon, então, tem uma infinidade de interpretações em muitos contextos e vários cenários: ele pode ser um monstro resultado de experimentos que deu errado e acabou consumindo tudo que fosse vivo no mundo invertido. Pode ser o sobrevivente mutante de uma guerra apocalíptica. Pode até mesmo ser a Eleven do mundo invertido que sucumbiu a seu lado sombrio e transformou-se num monstro que destruiu tudo e todos. Além do mais, é um grande bônus ter o monstro da série inspirado num dos monstros creep mais famosos da Cultura Pop e referenciar seus elementos.

Então veio a temporada seguinte, mas continue de mente aberta aqui.

A segunda temporada de Stranger Things trouxe novos elementos que devem ser consideradas na equação que essa matéria apresenta. Mas a priori, vamos destacar dois desses novos elementos: a) a grande quantidade de Demogorgons, que por ter um estágio inferior a este passa a ser chamado pelas crianças de “Demodogs”; e o não menos importante b) o monstro supremo da dimensão, o então “Devorador de Mentes”.

Começando pelos Demodogs, é por meio deles que a segunda temporada nos proporciona um panorama do pseudo processo evolutivo do Demogorgon. No que cada vez mais eles consomem, eles tendem a ficar cada vez maiores e mortíferos. No entanto, esse aparente processo evolutivo não esclarece o suficiente se é, em fato, respectivo ao Demogorgon em si, ou a uma outra espécime de nível inferior do mundo invertido. Uma vez que os Demodogs tiveram acesso a uma quantidade alimentícia considerável quando invadiram o laboratório de Hawkins, mas tampouco eles sequer se transformaram num Demogorgon. Logo, nenhum deles alcançou a fase final do pressuposto processo evolutivo.

Um outro ponto retorna com essa questão biológica: DE ONDE CARALHOS SAIU TANTO DEMODOG? QUE RAIOS ELES ESTAVAM FAZENDO NA PRIMEIRA TEMPORADA? Embora essa seja o tipo de questão difícil de responder, é interessante pensar que na primeira temporada eles não existiam – ao menos não na fase de Demodog. Particularmente, não penso que os Demodogs sejam fases anteriores do Demogorgon (apesar das muitas similaridades), mas sim o próprio molde final da fase larval que vemos no começo da temporada. E se pensarmos assim, como eles devem ter surgido? Bem, eu aposto que eles surgiram a partir do processo de “procriação” que mencionei acima.

Na cena em que a Eleven vê Barbara morta no mundo invertido, presenciamos “algo vivo” saindo de sua boca, como uma LARVA. Vemos um elemento similar no fim do último episódio da primeira temporada, quando Will cospe fora outra LARVA oriunda do mundo invertido. Então pode-se interpretar que o Demogorgon não estava se alimentado das pessoas que raptava porque ele se utilizava delas como encubadoras para alimentar os muitos “monstrinhos em fase larval”, e assim povoar o mundo invertido. Tudo bem que em fato surgem MUITOS Demodogs, se considerar o tanto de pessoas que desapareceram em Hawkins na primeira temporada. Mas também não é como se nós soubéssemos oficialmente quantas pessoas sumiram ou até mesmo quantas dessas LARVAS um corpo humano pode alimentar.

Mas então, povoar o mundo invertido pra quê? Para servir de exercito que pudesse auxiliar a invasão do Devorador de Mentes à Terra, é claro!

O Devorador de Mentes comporta-se como o aparente monstro supremo do mundo invertido. Portanto, assim como o Demogorgon, o Devorador de Mentes pode ter várias interpretações se você o considerar como um ser que já existia na primeira temporada. Eu mesmo não acho que ele seja um tipo de monstro interdimensional que viaja entre dimensões para dominar todas elas (não é só por que o manual de D&D diz que ele seja isso, que de fato ele também o seja na série). TALVEZ ELE SEJA ISSO, mas talvez ele também não seja.  Mas eis um cenário: ele já existia na primeira temporada e esteve presente nela toda. E ele controlava o Demogorgon numa missão exploratória a Hawkins.

Essa “missão exploratória” do Demogorgon, pode ter servido como uma maneira inteligente do Devorador de Mentes estudar o novo ambiente a ele proporcionado e, ainda, encontrar fonte de alimentação para as larvas residentes do mundo invertido. Dessa forma, o Devorador de Mentes não surge na primeira temporada ou tampouco rolou um dane-se e veio para a Terra pelo simples instinto de sobrevivência; é certo que a Terra ainda não estava pronta para ele. O que explica também por que ele possuiu o Will; no que o Demogorgon estava morto e o Will estava tendo episódios de surgir no mundo invertido, era viável usar o garoto como o “espião reverso” para continuar a missão exploratória.

Veja bem, nesse contexto, é interessante pensar que todo o mundo invertido parece ser moldado ante as especificações de sobrevivência do Devorador de Mentes. Isto é, sabemos que o Devorador de Mentes é muito fã do frio. Portanto, ao contrário da Terra, vemos que o mundo invertido é frio e carente de uma fonte de iluminação forte (como o sol, por exemplo) e eventualmente de elementos que possam proporcionar quantidades consideráveis de calor. Então, é legal considerar que o primeiro lugar “invadido” pelo Devorador de Mentes foi o próprio mundo invertido, no que ele terraformou toda esta dimensão às suas especificações. Além de mostrar o quão poderoso ele pode ser.

A segunda temporada nos proporciona um pouco desse processo de terraformação do Devorador de Mentes aqui na Terra, no que vemos ele espalhando diversas “veias viscosas” naturalmente do mundo invertido no subterrâneo de Hawkins, eventualmente apodrecendo as plantações de aboboras. Os próprios túneis estavam começando a assumir parcialmente elementos do mundo invertido, como o frio, a fonte de luz baixa e o ar sendo tomado por poros de penas.

Ao fim da segunda temporada vemos que parte do Devorador de Mentes ultrapassa o portal numa tentativa de apanhar a Eleven e aqui temos um outro ponto. Não acho que ele já estivesse querendo ultrapassar do mundo invertido para a Terra, mas sim capturar a Eleven. Não só por que a Eleven pode ser (e certamente será) um obstáculo futuro para seus planos, mas também por que a Eleven é uma telepata fudenda do caralho. Digo, a Eleven proporcionou ao Devorador de Mentes um chamado único: o de invadir e controlar toda uma nova dimensão. Ou seja, ele controlando a Eleven, seria um desastre completo digno de aludir o Devorador de Mentes ao Apocalipse e a Eleven a uma tipologia de cavaleira do Apocalipse.

De toda forma, a Eleven fechou o portal primário, o que quer dizer que não há aparente acesso entre o mundo invertido e a Terra. Mas bem, de uma certa forma, o Devorador de Mentes pode ter permanecido na Terra através da sua essência extraída de Will (o laboratório inclusive possui algumas amostras dessa essência). E ainda sim, somos cercados por continuas perguntas: DE ONDE RAIOS VEIO O DEVORADOR DE MENTES? QUEM ERA O DEMOGORGON?  POR QUE SÓ TEVE UM DEMOGORGON ATÉ ENTÃO? O DEMOGORGON HUMANOIDE E O DEMODOG SÃO UMA MESMA ESPÉCIE, OU DIFERENTES? O X-MENS DE HAWKINS É REAL? E O QUE RAIOS ACONTECERÁ A SEGUIR?

Obs: esse post foi realizado a partir de análise própria, fazendo uso unicamente da própria série como material base para o desenvolvimento do mesmo.


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.