Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

6 meses atrás ( 12/10/2016 )

Lucifer Morningstar é um dos personagem pertencentes a VERTIGO Comics, um selo divergente que compartilha do mesmo universo da editora DC Comics, voltado para um público mais adulto, sendo baseado no Anjo Caído dos antigos textos bíblicos. Quando fez sua estréia no mundo dos quadrinhos, o personagem Lucifer Morningstar logo destacou-se bem mais além de seu “mero” papel como coadjuvante e atraiu com esplendor e facilidade uma gama ampla de leitores, logo consolidando com firmeza a sua base de fãs.

De tal maneira, possuindo um histórico impecavelmente digno de conhecimento, ganhando ainda uma série própria de televisão pelo canal americano FOX e um novo título em quadrinhos pela VERTIGO Comics, muitas pessoas desenvolveram um interesse pelo personagem e sua mitologia. E para facilitar suas vidas, Lucifer Morningstar é o protagonista da nova matéria da nossa famosa série “Origens e Evoluções”!

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Há controvérsias sobre a primeira aparição oficial do personagem nos quadrinhos. Isso porque a primeira revista que apresentou um personagem que fez referência ao famoso Anjo Caído foi “Superman’s Pal Jimmy Olsen” #65 (dezembro de 1962), na Era de Prata. Nesta história, Jimmy Olsen come muito bolo em um concurso e tem um pesadelo onde encontra um homem que se intitula “Senhor L”, quem pensa ser um ancestral de Lex Luthor, mas é na verdade Lucifer.

A aparição desse “Senhor L” foi incorretamente creditada – inclusive na DC encyclopedia – como sendo a primeira aparição oficial de Lucifer Morningstar, um personagem completamente diferente.

LUCIFER MORNINGSTAR – PRIMEIRA APARIÇÃO OFICIAL
A primeira aparição oficial de “Lucifer Morningstar” foi em Sandman #4 […]

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Apesar de várias representações de Lucifer – o bíblico Anjo Caído e diabo das religiões abraâmicas – terem sido abordadas no universo da DC Comics, o personagem interpretado pelas mãos de Neil Gaiman teve sua estreia realizada de forma oficial no título “The Sandman” de 1989, primeiramente aparecendo de forma um tanto quanto rasa no arco “Prelúdios e Noturnos”.

Posteriormente, em “Estação das Brumas”, Lucifer Morningstar aparece com mais ênfase. Aborrecido de sua existência como Senhor do Inferno, onde governara como senhor supremo há 10 bilhões de anos, por apenas ter se rebelado três segundos após a criação, cansado dos vários esteriótipos e preconceitos que os mortais deliam ao Diabo e sentindo-se preso em um castigo injusto, o Anjo Caído expulsa todos os demônios e almas condenadas ao Inferno para depois fechar suas portas e entregar a chave a Sonho dos Perpétuos (personagem protagonista da série The Sandman), obviamente prevendo que a possessão da chave iria colocá-lo em maus lençóis. No entanto, o Inferno acaba nas mãos de dois anjos, Duma e Remiel, enquanto que Lucifer se retira para a Terra, peregrinando inicialmente pela Austrália Ocidental até se tornar dono de um piano bar na cidade de Los Angeles.

De todo modo, um ponto curioso é que, até o final do arco da série, é revelado que o inferno nunca foi um castigo, mas sim um dom. Sendo o lugar mais distante possível do trono de luz, Lucifer poderia ter se separado da onisciência de Deus o quanto possível. É dito que Lucifer nunca criou as características físicas do Inferno, mas o Inferno criou-se em torno dele, expressando alguma de suas características marcantes, como a paixão pela liberdade e vontade.

SÉRIE PRÓPRIA

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Com a conclusão da série The Sandman, Lucifer protagonizou três arcos de história até que tiveram continuidade em uma série homônima de 75 capítulos publicada entre Junho de 2000 até Agosto de 2006, tendo todos os capítulos escritos por Mike Carey. Na série, Lúcifer continua com um piano bar (um dos elemento introduzidos no arco “As Benevolentes” do título série The Sandman) chamado de Lux, na cidade de Los Angeles, onde reside com a companhia de sua consorte feminina, Mazikeen, uma Lilim – raça descende de Lilith.

Lúcifer, ainda que sendo o segundo ser mais poderoso do Universo DC/Vertigo – perdendo apenas para seu criador Yahweh (Deus/Jeová) e empatando com seu irmão Miguel – é sempre retratado como um homem sofisticado e charmoso que usa e abusa de sua genialidade e estrategismo, onde desde o princípio de seu desenvolvimento, era desenhado para parecer com o cantor inglês David Bowie.

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

O tema da série própria de Lucifer gira em torno do problema imposto pelo livre-arbítrio. A genial interpretação de Mike Carey para Lucifer Morningstar é de uma figura que representa a força de vontade individual, que desafia a “tirania da predestinação”. Enquanto aos olhos do Céu isso é blasfêmia, Lucifer Morningstar aponta que a sua rebelião e condenação como consequência foram atos premeditados por seu criador – Deus. Lucifer rejeita da regra e filosofia moral de Deus, o vendo como tirânico e injusto. No título, os aspectos violentos, agressivos, totalitários, vingativo e ditatoriais de governo do Céu são representados principalmente pelo anjo Amenadiel, que tem um ódio particular por Lúcifer e conduz ataques de vários tipos contra ele.

Entre os ataques temos a crítica verbal, bem como desafiando Lucifer para combates individuais. Por sua parte, Lucifer desdenha Amenadiel, tratando as explosões emocionais deste último com desprezo, onde repetidamente derrota os ataques de Amenadiel com planos ocultos bem orquestrados. No entanto, muitas das vezes é difícil de discernir quando Lucifer Morningstar age como um escravo à predestinação e quando ele efetivamente age de acordo com sua própria vontade (e ele mesmo reconhece isso, já tendo alegado inicialmente em seu título próprio que as vezes, “mesmo que ele assuma um comportamento de improviso, ele acaba sendo parte do plano”).

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Apesar de seu título teológico o descrever como o “Lorde das Mentiras”, a recusa da mentira é parte central para a posição moral do personagem – ele se vê como um facilitador neutro ou amoral de forças dentro dos indivíduos, onde o personagem acaba por considerar mentiras como uma corruptora de códigos morais. Enquanto ele evitar mentir, sua moralidade raramente se estenderá a compaixão e ele nunca se auto-considerará degradante. Ainda como parte central para o posicionamento moral do personagem, Lucifer Morningstar sempre cumpre com sua palavra.

Um outro ponto interessante sobre Lucifer Morningstar é que ele considera a experiência como algo essencial em sua existência, onde ele jamais voltaria no tempo para consertar todos os erros aos quais ele está envolvido diretamente ou indiretamente, por exemplo. Junto a isso, as vezes Lucifer Morningstar simplesmente gosta de ver como as situações se desenrolam, entrelaçando ainda sua preferência em confiar em sua inteligência e manipulação ao invés de sujar as próprias mãos (embora ele não demonstre misericórdia quando o feito é necessário).

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Como dito anteriormente, Lucifer Morningstar é o segundo ser mais poderoso do Universo DC/VERTIGO, tendo como poderes característicos as habilidades das Chamas do Portador da Luz, sua onisciência e a vontade divina. As suas chamas são capazes de destruir quase tudo que existe no universo, fazendo alusão ao seu título de Portador da Luz. Sua onisciência permite que Lucifer esteja dez passos a frente de todos os outros e tenha conhecimento sobre quase tudo. Por sua vez, sua vontade divina permite que o mesmo possa manipular a realidade em qualquer escala e ao seu bem entender. Ressaltando que ele também tem incontáveis outros poderes, bem como magia divina, criação de almas, reviver aqueles mortos por suas mãos, imortalidade, dentre outros.

No entanto, mesmo sem poderes Lucifer Morningstar possui um intelecto que faz dele um adversário mais que formidável, onde ele já se mostrou capaz de manipular demônios contra sua verdadeira natureza e deuses contra suas vontades. Digno de ressaltar que sua habilidade de manipulação faz dele um patamar a verdadeira Equação Anti-Vida (ao qual o popular antagonista da DC Comics, Darkseid, é extremamente obcecado). Porém, apesar dos seus poderes parecerem ilimitados, Lucifer possui uma fraqueza real: ele não pode criar algo do nada em uma escala multiversal. Ou seja, para ele criar algo, é necessário que Deus já o tenha feito anteriormente.

O personagem Lucifer Morningstar encontrou seu fim em sua série própria na edição #75, no ano de 2006, que trouxe um final em que o personagem é deixado de fora do Universo DC/VERTIGO ao partir além do espaço-tempo em busca da Presença (Deus).

NOVOS 52

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Com o reboot da DC Comics no ano de 2013, a reinterpretação dos Novos 52 trouxe um Lucifer Morningstar muito mais influenciado pela teologia judaico-cristã tradicional. Ele é retratado como um anjo caído malévolo, sádico e astuto que é o governante do Inferno e procura possuir almas humanas, fugindo consideravelmente dos traços clássicos. Ele é realizado com grande respeito e temor pelos habitantes do Inferno, que servem e lhe obedecem como um rei.

No entanto, nesta fase o próprio Lucifer está entediado com sua existência, até quando o grupo conhecido como os Cavaleiros Demônios são capturados por ele durante o início da Idade Média, onde ele passa parte do seu tempo encontrando pequenas diversões, como assistir as lutas e quedas de Etrigan.

NOVA SÉRIE PRÓPRIA

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Lucifer Morningstar ganhou uma nova série própria pela VERTIGO Comics no ano de 2015 com as primeiras tramas tendo assinatura da renomada escritora Holly Black, e que de certa forma, procura dar continuidade desde a finalização da primeira série própria do personagem. Bem mais do que isso, é digno ressaltar que Lucifer Morningstar se tornou o primeiro e, até então, único personagem da mitologia Sandman a protagonizar duas séries próprias.

O primeiro arco proposto corretamente invoca o verdadeiro espírito do retorno de um ícone seguido de uma série de eventos que mostram a magnitude de sua influência nos ambientes no qual ele se manifesta. Bem mais do que isso, Deus é dado como morto, o até então retornado Lucifer Morningstar é acusado de seu assassinato e o decadente e derrotado arcanjo Gabriel, é designado para encontrar e clamar vingança sob aquele que assassinou o Todo Poderoso. A série ainda está em curso, com publicações acontecendo mensalmente nas lojas de quadrinhos estadunidenses.

Como dito anteriormente, a série procura dar continuidade a série clássica do personagem vigente entre os anos de 2000 e 2006. Ou seja, o Lucifer Morningstar retratado aqui, compartilha das mesmas características e sinas da versão clássica do personagem que foram apresentadas durante esta matéria, sendo estes os aspectos de sua descrição um tanto surpreendente ao chamar a inspiração-base para o cantor inglês David Bowie, e impondo uma maestosa graça à distinta cicatriz facial do personagem, bem como sua personalidade fortemente marcante e ácida.

Leia mais: HQ do Dia | Lucifer Vol.01: Cold Heaven

SÉRIE DE TV

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

No início do ano de 2015 o canal estadunidense FOX lançou uma série televisiva inspirada na mitologia do personagem. O episódio piloto é ambientado algum tempo depois do Anjo Caído Lucifer Morningstar, decidir renunciar do trono do Inferno e explorar o mundo dos humanos. Consequentemente, com a significativa mudança de status quo de Lucifer, o Céu não está tão feliz com essa decisão. E esta é a premissa do decorrer, ao menos, desta primeira temporada. Atualmente, a série encontra-se em  sua segunda temporada, obviamente seguindo as consequências dos primeiros eventos da Primeira Temporada.

Entre a abordagem de questões humanas e sobre-humanas, bem como a exploração de questões religiosas do cristianismo, a série traz um Lucifer Morningstar inspirado nos quadrinhos mas que a sua maneira, traz uma visão diferenciado ao personagem, tanto visualmente quanto a sua personalidade ao apresentar uma história que certamente pode se considerar reflexiva sobre a condição existencial do ser humano, embora tenha um propósito voltado mais para o entretenimento de sua audiência.

Leia mais: Lucifer | Review do episódio 2×01 “Everything’s Coming Up Lucifer”

Origens e Evoluções | Lucifer Morningstar

Como um todo, Lucifer Morningstar é um personagem incrível, genialmente trabalhado nas mãos de profissionais como Neil Gaiman e Mike Carey, cercado por uma complexidade que explora de maneira estupenda e através de uma formidável perspectiva o outra lado de uma das histórias mais contadas pela a humanidade, tendo em vista importantes e impactantes questões que movem a humanidade desde os seus primórdios, bem como questões morais, ideológicas, filosóficas, humanistas e da mitologia ao qual personagem foi inspirado, o cristianismo.

O que você achou? Conseguiu entender as origens e o quanto sua história é devidamente interessante? Comente!
p.S: Gostaria de ver outros personagens protagonizando o “Origens e Evoluções”? Diga-nos através dos comentários!

Veja também: Origens e Evoluções | Jessica Jones


© 2017 Proibido Ler | Feito com Wordpress - Desenvolvimento por Dk Ribeiro & Baruch Vitorino