in

Uma Professora Muito Maluquinha | O olhar poético de uma profissão admirável

Ziraldo mostrou em 1995 como deveríamos lidar e olhar para um professor

Quando “Uma Professora Muito Maluquinha”, do cartunista Ziraldo, foi publicado, eu estava na 3ª série do que hoje é chamado de Ensino Fundamental. Nunca fui o melhor aluno da classe, me sentia mais como Doug Funnie que sempre tirava B ou C, notas medianas. Nada muito exemplar. 

Mas se tinha algo que eu fazia e muito, era admirar a pessoa que saía de casa todos os dias pra me ensinar a ler, escrever, fazer contas, pensar, ter senso crítico etc. Em “Uma Professora Maluqinha”, Ziraldo nos mostra um pouco dessa visão. Nada como a minha, é algo muito mais poético e em caráter de homenagem do que qualquer outra coisa. Uma forma diferente de agradecer a todos os professores e professoras que tentam de forma criativa mostrar que ensinar e aprender são coisas prazeirosas. 

Uma Professora Muito Maluquinha | O olhar poético de uma profissão admirável

“Uma Professora Muito Maluquinha” conta a história de Catarina, que é nascida em uma cidadezinha do interior, mas que acabou indo morar na cidade grande. Com o tempo, retornou para a sua cidade de origem para dar aulas. Vive com sua tia, seu tio, o Padre Velho, e seu primo. Catarina é uma mulher linda, com traços delicados, sorriso solto e um olhar de sereia ou de estrelas. Ela tem um jeito muito diferente de ensinar, e por isso todas as pessoas, e alunos dela pensam que ela é maluca.

Essa é mais ou menos a história que você vai encontrar ao ler “Uma Professora Muito Maluquinha”. Mesmo quando seus métodos pouco convencionais pra época eram questionados pela sociedade, ela dava um jeito de dobrá-la e fazer ser entendida. Catarina mostrava que ensinar não é simples e exigia conhecimento. Muuuuuito conhecimento!

Uma Professora Muito Maluquinha | O olhar poético de uma profissão admirável

No livro, o leitor embarca numa narrativa na primeira pessoa do plural, a visão dos alunos contando como era a relação deles com a professora e como eles viam Catarina dentro e fora da escola. Mesmo quando ela deixou de ser professora titular na escola da pequena cidade, os alunos deram um jeito de continuarem aprendendo com ela. A alegria, o amor e a felicidade sempre reinavam quando estavam perto dela.

Acredito que o olhar do Ziraldo para com os professores mesmo na época de “O Menino Maluquinho”, já era poético. Aqui, esse sentimento é ampliado e faz você sentir saudades dos tempos em que viveu dias e dias de aprendizado até se tornar quem é. 

Uma Professora Muito Maluquinha | O olhar poético de uma profissão admirável

“Uma Professora Muito Maluquinha” até hoje é publicado pela editora Melhoramentos. É um livro indicado para criança de oito anos a mais de 100 anos. Em 2010, o livro ganhou uma adaptação para o cinema com roteiro de Ziraldo, direção de André Alves Pinto e César Rodrigues, e estrelado por Paola Oliveira. Vale a pena assistir! Aqui você pode conferir onde está disponível.

Leia “Uma Professora Muito Maluquinha” para Kindle ou em versão física comprando um exemplar aqui

E aí, curtiu?

Escrito por Bruno Fonseca

Fundador e editor-chefe do PL. Jornalista apaixonado por quadrinhos, filmes, games e séries.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0
Diablo 2: Resurrected | Gráficos aperfeiçoados e gameplay nostálgica

Diablo 2: Resurrected | Gráficos aperfeiçoados e gameplay nostálgica

Far Cry 6 | Sempre lute pela democracia e liberdade

Far Cry 6 | Sempre lute pela democracia e liberdade