in

Marvel’s Guardians of the Galaxy | A história da Marvel nos games que deu certo

Jogo surpreende e apresenta uma aventura digna de um ótimo quadrinho

Quem aí lembra do desastre que foi o lançamento de Marvel’s Avengers“? Era esperado algo muito louco e com uma vibe mais séria e diferente do que presenciamos em games da franquia LEGO. Porém. só o que tivemos foram microtransações obrigatórias e missões repetitivas em uma aventura cooperativa – que era totalmente desnecessária. Ficou ruim mesmo! Mas calma que Marvel’s Guardians of the Galaxyvai ser diferente. Abaixo eu conto mais.

Logo após esse grande erro, a Square anunciou mais um game em parceria que é: Marvel’s Guardians of the Galaxy. O medo era grande, já que o passado sempre é mais pesado do que a esperança de algo bom, então o hype se mantinha bem baixo – pelo menos para mim. Mas fico feliz em dizer que minha cara foi quebrada e recebi uma história divertida, referências e personagens dos quadrinhos incríveis e até mesmo digno de continuação.

+ Assista ao trailer dando play no vídeo abaixo.

Iniciamos nossa campanha com um Peter Quill jovem, digamos que com13 anos e ainda vivendo na Terra com sua mãe. Porém logo após, acordarmos em seu quarto e andarmos um pouco já retornamos aos tempos atuais, em que os Guardiões estão em uma missão de buscar uma criatura para a guerreira, Lady Hellbender que domina o “Seknarf Nine” e também é uma grande colecionadora de criaturas. Porém nem tudo serão flores e daremos de cara com a Tropa Nova, que funciona como uma CIA que deve proteger a Galáxia.

Durante nossa campanha, entenderemos um pouco coisas que aconteceram anteriormente, por exemplo, o conflito que Drax mantém com Gamora, a chamando de assassina – pelo fato de ser a mulher mais fatal da galáxia – e também sua relação com Thanos, para aqueles que não sabem de pai e filha. A morte de Thanos é presente nessa realidade, que foi destruído pelo próprio Drax, se vingando pelo que foi feito com sua família.

Teremos muitos momentos de reflexão durante a campanha, que dará não só a oportunidade dos personagens ali se conhecerem ainda mais e criarem vínculos mais fortes, como também o público – principalmente aqueles que não tem familiaridade -, saberem quem são eles e o motivo de estarem lá. Tudo isso torna a experiência ainda mais interessante, principalmente pelo fato de termos a chance de fazer certas escolhas de diálogos, que podem ajudar ou não a missão de Peter Quill, mas irão definir caminhos que serão tomados durante a campanha. Esse é um ponto que foi ótimo acrescentado e merece reconhecimento, sendo desenvolvido de maneira exemplar.

Marvel’s Guardians of the Galaxy | A história da Marvel nos games que deu certo

Os gráficos apresentam uma textura muito bonita e de qualidade espetacular, que provavelmente em um PS5 deve ficar ainda mais impecável (nível PC). Tanto os detalhes do espaço quanto os que vemos em lugares mais fechados, como cidades e dentro da nave, Milano.

Os detalhes são sempre cheios de referências, e cada vez que voltamos vemos algo novo dentro dela e a interação que os personagens estão tendo lá dentro, seja o Groot regando as plantas ou o Rocket em sua mesa de trabalho. Tudo tem relação com a história, então fique sempre atento a tudo que estiver presente no ambiente.

Os momentos de exploração em Marvel’s Guardians of the Galaxy serão essenciais para isso, já que lá encontraremos itens que carregam histórias e diálogos com personagens da tripulação, circuitos e itens que melhoram nossas armas e habilidades, ajudando a subir nosso nível para expandir nossos ataques, que serão necessários até a luta final.

Toda luta será importante durante a campanha, nos fazendo crescer em forma e como uma equipe. O mais interessante não são apenas os ataques e habilidades especiais de cada personagem, mas sim a força suprema do Senhor das Estrelas que ao selecionar R1 + L1 damos uma pausa e reunimos todos para trazer motivação e dar um boost de força, junto de uma ótima trilha sonora de fundo.

A jogabilidade é simples e fácil de se memorizar, principalmente pelo fato de jogarmos apenas com Peter e darmos os comandos  para os outros personagens usando o L1 + O, X, quadrado ou triângulo – selecionando algum deles – e o poder que será usado. Groot, por exemplo, consegue prender os inimigos com suas raízes e também curar seus aliados; enquanto Rocket usa metralhadoras e bombas. Cada um contém um ataque especial, mas que devemos selecionar para ser usado durante a batalha.

Marvel’s Guardians of the Galaxy | A história da Marvel nos games que deu certo

Se tem uma coisa que o game dos Guardiões da Galáxia faz bem é a trilha sonora, contando com nomes dos anos 80 que até hoje fazem muito sucesso e nunca são esquecidos na hora de montar uma playlist no Spotify. De “Bad Reputation“, da Joan Jett e “The Final Countdown“, do Europe os nomes crescem cada vez mais, dando ao jogador a experiência sonora completa. Sem contar com uma trilha original assim criando a banda ficcional, “Star Lord” uma banda famosa de metal do mundo dos Guardiões. E não poderia ser diferente, né? No filme a trilha é muito popular também.

A dublagem  funciona super bem, seja a original ou a PT-BR – que utilizei para fazer minha campanha. Os mesmos dubladores dos filmes continuam presentes, dando aquele ar de familiaridade para os conhecedores da versão brasileira dos filmes. Tudo é devidamente dublado, trazendo referências da nossa cultura, gírias e tudo que se possa imaginar, tornando o público BR ainda mais próximo daquele universo. 

Durante minha jogatina – que ocorreu de maneira antecipada graças a Square Enix -, foram apresentados bugs em vestuários de personagens, missões que em alguns momentos é necessário carregar o último ponto salvo para avançar e até mesmo de áudio, deixando ele estourado e que dava uma sensação de lentidão. Porém foi prometido que tudo seria ajustado no dia de seu lançamento, com um patch de atualização completo corrigindo todos esses problemas. Então podem ficar tranquilos em relação a isso.

A campanha em capítulos funciona muito bem, mas acredito que para alguns possa ser cansativo e maçante em relação ao tempo de campanha. Porém, se você gosta de uma experiência completa e mais longa,  o novo game será um prato cheio de felicidade – da mesma maneira que foi para mim. Seu arco de HQs faz com que se tenha abertura para continuações e novas histórias, expandindo o universo e convidando outros públicos para conhecer.

“Marvel’s Guardians of the Galaxy” é a história da Marvel nos games que deu certo, sendo uma experiência divertida, recheada de referências e que proporciona momentos de muita risada. Fiquei entretida do começo ao fim, querendo conhecer ainda mais aquela história dos Guardiões que foi apresentada e imaginando as próximas que podem acontecer.

O público que se decepcionou com Vingadores terá seu momento de glória, e quem irá proporcionar isso será o Senhor das Estrelas e sua gang de mercenários. E não se esqueça de pegar um cartão de visitas!

“Marvel’s Guardians of the Galaxy” já se encontra disponível em pré-venda para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X, Nintendo Switch e PC, sendo lançado em 26 de outubro. Você pode comprar aqui se quiser.

E aí, curtiu?

Escrito por Guta Cundari

Do cinema para o jornalismo. Amante de filmes e games, fã filmes de terror trash e joguitos que duram meses. As Premiações pelo mundo todo que me aguardem e os noobs que sofram.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

Loading…

0
Aprenda 8 fetiches para realizar em casal

Aprenda 8 fetiches para realizar em casal

Novos bonecos do universo G.I. Joe vem aí