in

O Show de Truman (1998) | Uma sombra na minha vida durante décadas

Eu fui uma criança apaixonada por desenhos, filmes e seriados. Comecei com os tokusatsu da Rede Manchete e desenhos que passavam na Globo e SBT. Quando meu pai teve a oportunidade de ter um videocassete, eu ficava dias assistindo aos mesmos quatro filmes que ele tinha colocado numa VHS da Basf. 

Aos 12 anos de idade (atualmente eu tenho 33), morava na periferia da zona leste de São Paulo. As ruas eram de terra e nem tinha esgoto encanado, o acesso à informação era difícil e à cultura também, as opções de lazer consistiam nas aulas de educação física na escola (que foi considerada pelo SPTV uma das mais violentas de SP uma vez), e nas brincadeiras de rua com os colegas de infância.

Naquele tempo, eu assistia aos filmes da TV ou aqueles que meus pais alugavam. Em uma dessas fitas que eles trouxeram, pude assistir “Debi & Lóide” (1994), “O Máskara” (1994) e aos dois filmes de “Ace Ventura”. Ou seja, todos os filmes protagonizado por Jim Carrey e todos eles com os mesmos gêneros: comédia e aventura. 

O Show de Truman (1994) | Uma sombra na minha vida durante décadas
Jim Carrey em “Debi & Lóide” (1994)

Na minha cabeça, Jim Carrey só fazia filme de comédia. Era a única coisa que eu sabia sobre ele. Se eu fosse em uma locadora e achava um filme com o Jim Carrey na capa, certeza que era um filme bom, que eu ia me divertir e dar muita risada. Minha receita era julgar o filme pela capa. Não havia internet e nem dinheiro para comprar jornal, eu nem sabia o que era isso, as bancas pra mim serviam pra duas coisas: gibis da “Turma da Mônica” e a “Revista Herói”.

Eu sempre corri um risco muito grande de pegar um filme ruim, mas isso quase não acontecia. Depois de um tempo, descobri que a Cinemark tinha aberto 14 salas em um shopping perto de casa. Era o Cinemark 14 do Interlar Aricanduva que ainda existe (mas não com 14 salas) e fica no complexo do Shopping Aricanduva, na zona leste de São Paulo. 

Leia mais: Curiosidades sobre o filme Ace Ventura: Um Detetive Diferente (1994)

Como eu era estudante, pagava meia e o valor do ingresso era R$ 2,00. Para chegar ao shopping, eu tinha que pegar uma lotação que na época era um transporte clandestino (hoje foi regularizado) e eles cobravam R$ 1,00 pela viagem feita numa Kombi ou Topic. 

Meu pai sempre me dava R$ 5,00 para ir ao shopping dar um rolê e sabe o que eu fazia? Isso mesmo, torrava essa fortuna indo ao cinema. Então a conta era simples: 2 reais pro cinema, 2 reais de passagem e sobrava 1 real para eu comer uma casquinha no méqui. Pipoca e refrigerante? Não faziam parte do meu vocabulário, mas eu dava meus pulo e na maioria das vezes conseguia encontrar um saquinho refil de pipoca da Cinemark nos latões de lixo e a diversão e a fome estavam garantidas. 

O Show de Truman (1994) | Uma sombra na minha vida durante décadas
Cartaz nacional do filme

Certo dia, eu fui nesse esquema para o cinema e chegando lá dei de cara com um cartaz do Jim Carrey num grande telão em meio a uma rua muito movimentada e uma galera de platéia. Pensei: que sorte que eu dei, um filme do meu ator preferido está em cartaz e tem sessão próxima. Vou comprar! 

O nome do filme era “O Show de Truman” (1994), não foi o primeiro que eu vi do astro no cinema, pois meu pai tinha me levado pra assistir ao “Ace Ventura 2 – Um Maluco na África” (1995) em um outro cinema mais antigo. Truman foi o primeiro filme do Jim Carrey que eu assisti sozinho. 

Pensa, uma criança de 12 anos indo ao cinema sozinho e escolhendo um filme só por causa do ator? Ela não leu nada sobre, não leu a sinopse, só foi. Imagina a situação? 

Cheguei na bilheteria e olhei pra moça e disse: quero um bilhete para esse filme aí do Jim Carrey. Ela perguntou se era “O Show de Truman”, disse que sim e logo em seguida percebi que ela ficou me julgando. Apesar de naquela época eu estar com 12 anos, eu aparentava ter uns 9. Tudo isso por conta de um problema de crescimento que eu enfrentei da infância até a adolescência. 

Pô, o que demais teria em um filme do Jim Carrey? O que de ruim poderia acontecer, né mesmo? Pra mim era mais um filme de comédia e assim, eu fui lindão para a sala de cinema. Naquela época, a gente nem sonhava com salas stadium, óculos 3D, poltrona que virava cama e coisas do tipo. As salas tinham uma leve inclinação para não ficar um cabeção na frente de uma carne de burro que não é transparente e a tela ficava lá no alto. 

Eu ia tanto naquele cinema, que decorei todas as falas das propagandas que passavam antes do filme. Isso era comum pra mim, eu já decorei várias falas de filmes da Disney, por exemplo. 

Leia mais: Curiosidades sobre o filme “O Grinch” (2000)

O Show de Truman (1994) | Uma sombra na minha vida durante décadas
Bom dia, boa tarde, boa noite!

“O Show de Truman” começa e eu fico maravilhado com o protagonista, Truman Burbank. Já nas primeiras cenas têm umas gracinhas dele dando bom dia, boa tarde ou boa noite para vizinho e pensei: alá começou a comédia o cara é foda. Mas eu fui caindo do cavalo aos pouquinhos. Meia hora de filme e nada do Truman me fazer rir. Uma hora de filme e Truman estava me deixando angustiado. Uma hora e meia de filme e cadê a comédia dessa porra?

Uma hora e quarenta e três minutos de filme, e o Truman estava causando o meu primeiro trauma dentro da sala de um cinema. Quando acabou eu saí de lá perturbado, achando que todo mundo estava me vigiando, e que eu vivia uma mentira chamado de vida e estava preso sem saber onde ficava a saída. Cadê as câmeras? Quem é o diretor? Qual é o roteiro? Quem tá manipulando essa merda? Enfim, esses foram alguns questionamentos. 

Peguei a lotação, gastei o último real que eu tinha guardado e fui pra casa bolado por não ter sido um filme de comédia. Mas contente por ter gostado dele mesmo assim, mas ao mesmo tempo ainda bolado por não ter entendido nada. E convenhamos, nem dava!

Porra Jim Carrey, tu só fazia comédia aí tu me pega e me faz um dramão da porra. Eu era criança, bicho!  Endente? Eu nem sabia nada da vida (continuo não sabendo), só queria rir e você me fez chorar. Eu não estava entendo porque estava chorando, mas estava. E assim foi uma das piores insônias da minha vida. 

Leia mais: Coringa (2019) | Da loucura ao caos

O Show de Truman (1994) | Uma sombra na minha vida durante décadas
Sorria você está sendo filmado

Na manhã seguinte, contei que vi o filme pros meus colegas da escola e ninguém ligou. Lá ninguém ligava pra esse tipo de coisa. Então eu tive que conversar comigo mesmo e cheguei a conclusão que eu teria que esquecer o filme pra continuar com um pouco de sanidade e tentei seguir “de boas” por todos esses anos.

Eu ainda assisti a outros filmes sem ler a sinopse ou obter qualquer informação prévia. O “Homem da Máscara de Ferro” (1998), por exemplo, foi um deles. Assisti por causa do cara que queima floresta da Amazônia e nem sabia bulhufas da história. Mas a culpa foi mesmo de “Titanic” (1997), eu amei o Jack Dawson. Por isso queria ver o Jack preso na masmorra de um castelo enquanto um usurpador muito parecido com ele ocupava seu lugar. Mas voltando pro Truman… 

Os anos passaram e nunca consegui esquecer o filme. Portanto, eu decidi rever e refrescar a memória. Veja só que boa ideia, né mesmo? Bom, eu não ando com uma saúde mental das melhores, mas fui tentar compreender o que o Bruno de 12 anos tinha visto.

Leia mais: 53 melhores filmes do Adam Sandler

E porra, que filme denso para uma criança de 12 anos assistir. Que filme profundo em uma série de coisas, são tantas camadas (pareço até cinéfilo falando) que eu com aquela idade jamais teria capacidade de suprir e até hoje não foi possível em sua totalidade. Mas ao assisti-lo, compreendi uma das mensagens que ele passa. Esta cena foi crucial pra mim. Foi nela que eu percebi tudo. 

O Show de Truman (1994) | Uma sombra na minha vida durante décadas
A cena mais impactante do filme

Descobri que preciso encontrar a minha liberdade e deixar muita coisa pra trás. Eu consegui entender que muito do que vivi tem relação com o mostrado no ‘show’ que Truman viveu. Principalmente a superficialidade dos relacionamentos profissionais, os ditos “amigos”, os sorrisos e as coisas artificiais. Eu preciso, preciso…

Truman pode não ter me ensinado nada aos 12, mas me ensinou aos 33 e eu vou encontrar a saída. Eu vou sair por aquela porta, o show vai acabar e uma nova vida vai começar.

Obrigado Truman por ser uma sombra em minha vida durante décadas e obrigado por me mostrar metaforicamente como seguir em frente. 

O Show de Truman (1994) | Uma sombra na minha vida durante décadas
Obrigado, Truman!

Agora eu vou atrás do bluray e vou deixar ele na minha videoteca pra me lembrar sempre da importância que “O Show de Truman” (1998) tem pra mim. 

Abaixo eu deixo o trailer do filme e pra quem quiser assistir, “O Show de Truman” (1998) está disponível no Amazon Prime Video

E aí, curtiu?

Escrito por Bruno Fonseca

Jornalista, apaixonado por quadrinhos, filmes, séries e retrogames. Espero que você alcance o sétimo sentido em todos os âmbitos da vida.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0
HQ do Dia | HQ de Briga - Volume 1

HQ do Dia | HQ de Briga – Volume 1

História de Um Casamento (2019) | A devastação de uma separação