5 filmes que podem te ajudar a entender a importância do feminismo

Eu já fiz uma semana especial de mulheres fortes no cinema, mas agora é a vez de citar um assunto que incomoda muita gente e que liberta muito mais: o feminismo.

Esses filmes não são exatamente feministas, mas podem te ajudar a compreender o feminismo e suas vertentes. Para um filme ser considerado feminista, é preciso haver empoderamento da mulher na trama e não, necessariamente, abordar a militância de uma. A libertação através do feminismo é um processo árduo e, muitas vezes, doloroso para as mulheres.

(Se algum filme já foi incluindo em alguma das listas que postarei no final da matéria, peço perdão pelo vacilo, mas segue em frente que tem indicação nova nessa aqui).

Em vez de fazer uma lista enorme, preferi ser seletiva e fazer algumas menções honrosas. Caso você goste do filme “tal”, poderá gostar do outro que indiquei abaixo. Eu poderia ter me baseado em listas que vi na internet, mas elas distorcem completamente o que o feminismo significa, muitas vezes, rola até o olhar do patriarcado sobre as feministas nessas listas com 20, 30, 50 filmes.

Aqui o que importa é a qualidade e não a quantidade. Sempre que for assistir um filme considerado feminista, procure saber mais sobre o mesmo, pois infelizmente as listas podem te apresentar o oposto do que o título fornece.

Esses filmes tem vertentes diferentes no feminismo, o que torna a lista mais interessante ainda. A mulher negra (que, de longe, é a mais oprimida pelo machismo e pelo racismo) a violência doméstica, o estupro, a libertação sexual, a prostituição, o aborto, o que é considerado certo e errado na sociedade. E principalmente, a defesa da mulher.

5 filmes que falam mais do que 50, e menções similares. Confira:

1. A Cor Púrpura (1985)

5 filmes que podem te ajudar a entender a importância do feminismo

Título original: “The Color Purple”
Direção: Steven Spielberg

Em 1906, em uma pequena cidade da Georgia, sul dos Estados Unidos, uma adolescente é violentada pelo próprio pai e torna-se mãe de duas crianças. Cada vez mais calada e solitária, ela passa a compartilhar sua tristeza em cartas. Uma sobrevivente de abuso sexual e moral, Celie (Whoopi Goldberg, em sua estreia no cinema) escreve cartas a Deus e à sua irmã Nettie (Akosua Busia), narrando tudo o que ela tem de suportar. Através de todas as suas dificuldades, Celie encontra sua voz e encontra a força para levantar-se para o marido opressivo.

Whoopi Goldberg foi indicada ao Oscar de melhor atriz por este filme em 1985. Baseado no livro de Alice Walker, A Cor Púrpura recebeu 11 indicações e é considerado um clássico do cinema.

Ao recriar 40 anos de crises emocionais na vida de vários personagens, o diretor Steven Spielberg fez o filme mais desafiante de sua carreira, capaz de despertar fúria, risos e lágrimas. Cada personagem feminina transgride sua colocação na vida, especialmente durante uma época em que as mulheres negras eram consideradas cidadãs de segunda classe. Através de tudo isso, você se identifica com essas mulheres e sangra ao lado delas.

Menção honrosa: “Histórias cruzadas” (2011), um filme que também fala do empoderamento feminino e da mulher negra e sua luta em uma sociedade machista e racista.

2. Jeanne Dielman (1976)

5 filmes que podem te ajudar a entender a importância do feminismo

Título original: “Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce, 1080 Bruxelles”
Direção: Chantal Akerman

Considerado como a obra-prima de Akerman, traz a atriz Delphine Seyrig no papel de Jeanne Dielman, uma jovem viúva que vive com seu filho, Sylvain seguindo uma ordem imutável: à tarde, enquanto seu filho está na escola, ela cuida do apartamento e recebe clientes. Akerman examina a rotina de Jeanne Dielman, uma mãe que cozinha, limpa, e se prostitui, a fim de ganhar a vida para ela e seu filho. Ao longo de três dias, a rotina robótica de Jeanne se deteriora lentamente. É um filme que se baseia em limitações cinematográficas: ela limita sua perspectiva pela sua falta de edição e falta de movimento da câmera. O filme usa seus três horas e meia de tempo de execução para a construção cuidadosa e habituar os espectadores a rotina de Jeanne, apenas para quebrá-lo no segundo e no terceiro dia. Akerman constrói uma tragédia fora do comum e cria o retrato de uma mulher que não pode ser fetichizada, menos ainda objetivada.

Adendo: este filme não é de forma alguma uma comparação do feminismo com a prostituição, e sim um retrato da mulher que se prostitui e que sofre com o peso do patriarcado.

3.  As Pequenas Margaridas (1966)

5 filmes que podem te ajudar a entender a importância do feminismo

Título original: “Sedmikrásky”
Direção: Vera Chytilová

Utilizando-se de avançados efeitos especiais para a época, Vera Chytilová dirigiu esta obra surrealista que conta a história de duas garotas chamadas Marie (Ivana Karbanová e Jitka Cerhová), que decidem se adequar ao mundo como ele está: sendo livres. Portanto, ambas partem para uma série de encontros forjados e travessuras, desconstruindo o mundo ao seu redor. Empregando uma multidão de experimentações formalistas, incluindo e destruindo qualquer trajetória narrativa coerente, Chytilová constrói uma obra de arte feminista perigosa, que se revelou demasiada subversiva para o governo checo (o filme foi proibido por sua representação desperdício de alimentos).

4. As Horas (2002)

5 filmes que podem te ajudar a entender a importância do feminismo

Título original: “The Hours”
Direção: Stephen Daldry
Tem na Netflix!

Um dia na vida de uma mulher. Um dia na vida de Clarissa Vaughan (Meryl Streep), Laura Brown (Julianne Moore) e Virginia Woolf (Nicole Kidman), que se vê às voltas com a tarefa de criar, ela mesma, um dia na vida de sua Mrs. Dalloway. Um dia na vida de cada uma de nós. Um filme sobre libertação feminina, desconstrução de papéis que a mulher é forçada a exercer numa sociedade patriarcal. O mais interessante desse filme, além de todo o feminismo que nele exala, é ver quatro pessoas interagindo em uma trama, sendo uma delas, você!

Menção honrosa: “A Mãe e a Puta” (1973), um filme que te envolve em diálogos existencialistas, feministas e políticos.

5. A Sorridente Madame Beudet (1923)

5 filmes que podem te ajudar a entender a importância do feminismo

Título original: “La souriante Madame Beudet”
Direção: Germaine Dulac

Um dos primeiros filmes considerados feministas, A Sorridente Madame Beudet é a história de uma mulher “amorosamente inteligente” presa em um casamento abusivo. Muitos estudiosos o consideram um marco feminista, principalmente por causa de sua exploração do desejo feminino. É uma experiência de forma cinematográfica que está repleta de conteúdo, examinando devaneios de Madame Beudet (Germaine Dermoz) através de uma série de sobreposições e sequências em câmera lenta. Ele permite que o espectador explore uma perspectiva feminina, que é um tanto emocional e transgressora.

Menção honrosa: “Mulheres perfeitas”, um filme que parece inicialmente bobo, que surpreende em quebras de estereótipos e mostra a luta de uma mulher fugindo dos padrões que a sociedade determinou para ela.


Espero que tenha gostado dessa pequena lista que não se mede em quantidade e sim em qualidade.

Se você tem alguma sugestão de filme (que não esteja em nenhuma das listas) por favor comente, e não se esqueça de comentar também o que achou dos filmes que recomendei.

VEJA TAMBÉM:

A Força Feminina no Cinema – Parte 1

A Força Feminina no Cinema – Parte 2

A Força Feminina no Cinema – Parte 3


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.