Eu vou chamar o síndico

Eu descobri por esses dias que uma política condominial é quase uma política republicana. Existe toda uma hierarquia e juntamente com essa hierarquia suas leis, ações, reações, repressão e controle.

Um vilarejo com mais de 2.000 habitantes, divididos em 8 blocos, com mais de 200 apertamentos apartamentos; este é o país onde eu moro e muitas outras pessoas que tem condomínios menores ou maiores, moram também. Muita gente adere a este modelo de moradia por ter segurança 24hs, monitoramento interno e uma vasta opção de lazer que não passa de playgrounds, alguns jardins e uma ou duas piscinas no máximo. Em off: Quando está calor aquilo parece um Piscinão de Ramos. E você só utiliza no primeiro mês e depois não utilizara mais, isso apenas para seguir o exemplo dos moradores antigos que chamam os que utilizam estas regalias de pobretões. Na verdade nenhum deles pagam o condomínio e utilizam-se desta postura para influenciar os bons pagantes a não utilizar as boas condições de lazer do seu “quintal”.

Existe também a respeitosa lei do silêncio e de recolhimento em alguns condomínios (como o meu), até as 22:00 você pode fazer o estardalhaço que for, contanto que seja um estardalhaço com bom senso ou do contrário seu vizinho de cima ou de baixo, do lado esquerdo ou do direito grita: “Eu vou chamar o síndico” e você grita em resposta “Tim Maia!” É muito constrangedor quando toca o interfone e você recebe o comunicado do positivo operante “QAP” informando que você esta perturbando a paz alheia.

Pata ka parel! Você está com uma pequena visita em casa que não vê a anos e está se divertindo um pouco, mas não, tem sempre um solitário ou um velho ranzinza que decide fazer com que o humor dele seja o seu. E você tem que dizer apenas, tudo bem, pois do contrário eles são piores que o Detran, te multam na cara larga e sem direito a recorrer. A multa é mais salgada que aquela feijoada que sua avó que tem Alzheimer faz.

Continuando com a questão de convívio…

Todos os dias pela manhã, principalmente no fim de semana, onde aquele pai de família descansa de uma semana inteira de trabalho, ou a mulher que teve uma ótima noite seja ela com seu marido fixo ou com seu peguete variável, liga o som com melhor CD do seu gênero musical preferido e a partir disso começa a guerra. O do 117 liga o som, o do 118 liga o seu com um volume maior, o do 119 para não sair perdendo e sofrer uma baixa de guerra aumenta o seu no que pode e nisso os vizinhos restantes do bloco sofrem como civis em guerra. Até que fica uma disputa legal, entre forró, axé e sertanejo (claro quando não tem um Funk no meio). Quando assim não surge um elemento surpresa do 120 e coloca um “Sodon” para matar acabar com todo mundo.

Essa coisa chamada “convivência” é muito difícil. O pior é quando existe algum vazamento no seu apartamento e você necessita concertá-lo, porém você descobre que terá que começar a caçar o bendito, aí você descobre que também afetou o seu amigo debaixo, ou seja, terá que concertar o seu e o do vizinho e pagar os dois. Eita preju danado!

Meu hobby por sinal é ver aquela criançada toda no finalzinho de tarde fazendo do condomínio pista de patins, bicicleta, patinete, carriola e as mães gritando à toda sorte:

“- Rixardiiiiiiiiiii, cuidadooo…”

“- Whashituuuuuuuuuu, pare de correr se não se vai se esborrachar no chão! Eita muleque danado esse viu!”

E daí para pior.

A fofoca é outra coisa bem peculiar e até segue um novo padrão de comunicação é transmitida por interfone já que este serviço é gratuito. E são fofocas de todas as modalidades. Digo que pra quem sempre teve uma privacidade mais engajada, para quem sempre morou em casa é muito difícil se adaptar a novas coisas como morar em um condominio. Um peido que você dá fede lá na portaria. O estacionamento então nem me fale! Existem as vagas de carga e descaga, que um  veículo tem direito a permanecer por 30 minutos, o legal que tem gente que fica 3 horas e ninguém falada nada o ruim é quando você vai usar esta vaga e basta passar 1 minuto do permitidido e pronto! Lá vem o positivo operante “QAP” te encher os pacova. Cada apartamento tem direito a uma vaga,alguns tem direito a duas, outros não tem direito a nada. Visitas então, nem pensar em entrar com seu Crossfox no condomínio, pode pegar o zona azul e balizar em qualquer guia alta. Isso é tremendo! Tirando algumas coisas chatas o condomínio é uma maravilha de lugar, um belo país por sinal. Onde o síndico paga de rei e nós somos os moradores de meros servos de uma política de boa-vizinhança.


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.