Trailer Park Boys

O doce humor do flerte entre o real e o aleatório

Ainda não conhece “Trailer Park Boys”? Então segue com a gente! “Trailer Park Boys” é uma comédia canadense apresentada em formato de documentário fictício que, apesar de não ser tão popular no Brasil, possui uma massa solidificada de fãs no Canadá, Estados Unidos e alguns países da Europa. A série, que havia tido uma última temporada em 2007, retornou em 2014 depois que a Netflix assumiu a produção. Ou seja, além do conteúdo paralelo, “Trailer Park Boys possui o total de doze temporadas, com uma “décima terceira temporada” sendo a série animada também lançada pela a Netflix.

De toda forma, ‘Trailer Park Boys” têm como proposta contar as desventuras regadas de muito álcool e drogas de três amigos trambiqueiros que vivem bolando planos infalíveis com estratégias duvidosas para terem a vida feita. Sim, Julian, Rick e Bubbles, moradores do fictício bairro de Sunnyvale Trailer Park (Dartmouth, Nova Scotia, Canadá) se metem nas mais inusitadas e divertidas aventuras que flertam entre o real e o aleatório proporcionando um clima muito agradável para o espectador.

Por meio das personalidades únicas dessa trindade de protagonistas, bem como suas desventuras,  “Trailer Park Boys” consegue manifestar o sincero humor dessa singular série. Digo, é no constraste de personalidade entre Julian (o “bonitão” estrategista sempre acompanhado dum copo de rum), Rick (o impaciente desastrado mais bem articulado em improvisar) e Bubbles (o gentil e sensato amante de gatinhos) que vamos descobrindo uma sequência de aventuras fadada ao desastre – e genial humor  imprevisível. E sério, acredite quando digo que por mais que alguns ciclos vivam se repetindo, é sempre um entretenimento acompanhar as execuções inusitadas e divertidas do show.

Mas não o bastante, Sunnyvale Trailer Park (bem como a própria Dartmouth, Nova Scotia) vem como um cenário que fomenta de maneira agradável a atmosfera da série, onde não somente a locação fornece um universo rico em possibilidades de desventuras aos anti-heróis, como também bem fundamenta as aleatoriedades propostas por esta. E não, não só dos protagonistas vive o setor de “personagens peculiares” de “Trailer Park Boys”. Dá uma chance a série aberto a ver “loucos-sensatos” de todos os tipos.

Ainda que “Trailer Park Boys” seja um show facilmente reconhecido pelo humor definitivamente “fora da caixinha” e suas circunstâncias aleatórias, a série não deixa mesmo de apresentar momentos de sentimentalismos; seja no caráter e/ou frustração pessoal de seus personagens (como quando Julian e Rick correm de Bubbles para ele não ser preso, ou no alcoolismo profundo de Jim Lahey), seja na melancolia e desgraça de Sunnyvale Trailer Park (um lugar “calmo” onde coisas acontecem enquanto tentar ser “um lugar melhor”), por exemplo. São suaves, verdade, mas essas emoções estão por todas as temporadas e fazem valer seus momentos efêmeros.

Trailer Park Boys” é uma série onde os pontos excêntricos reforçam o doce humor oriundo de um flerte entre o realismo e o aleatório. Isto é, assistir cada uma das temporadas de “Trailer Park Boys” é como ser telespectador dos belos movimentos de uma dança entre a “dolorosa realidade” e uma inesperada, mas esperançosa, aleatoriedade.

Todas as temporadas estão disponíveis na Netflix.

 


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.