Os Cavaleiros do Zodíaco – A lenda do Santuário (2014)

Resenha

Eu nunca tinha ido num evento como o que fui no dia 02/09/2014. Não era uma cabine de imprensa dessas que o Proibido Ler está acostumado a ser convidado, mas sim, um evento da Diamond Films feito diretamente para os fãs, para comemorar os 20 anos de “Os Cavaleiros do Zodíaco”, na qual eu só compareci a convite do Failwars.

No evento, estava a maior parte dos dubladores, como Hermes Baroli (Seiya) e Letícia Quinto (Saori), Élcio Sodré (Shiryu), Francisco Bretas (Hyoga), Ulisses Bezerra (Shun), Leonardo Camilo (Ikki) e Giberto Baroli (Saga de Gêmeos) para assistir à sessão com todos os presentes.

Além deles, também estava o produtor do filme, Yousuke Asama que veio direto do Japão para divulgar o filme aqui. No evento, ele respondeu algumas perguntas dos fãs que eu vou falar mais para o final da resenha.

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário

Antes de mais nada, é bom deixar claro que o que você vai ver no cinemas é um reboot da saga do santuário, ou seja, eles vão resumir a batalha das 12 casas em quase duas horas de filme. Então, esteja com a mente aberta para sentir o cosmo, eleve-o e divirta-se!

Tudo começa com Aiolos (ou Aioros), o Cavaleiro de Sagitário tentando fugir do santuário, que, no filme, fica localizado em uma outra dimensão, carregando consigo a Athena bebê. Ele sofre vários golpes de outros Cavaleiros de Ouro nessa tentativa de fuga, até que atinge uma geleira e por lá permanece até ser encontrado por Mitsumasa Kido, que estava realizando uma exploração no gelo.

Aiolos entrega a reencarnação de Athena para Mitsumasa e diz pra ele contar isso à garota somente quando ela fizer 16 anos. Aiolos, nos seus últimos minutos de vida, transmite o aviso de que uma guerra santa pode ser desencadeada e que 5 jovens cavaleiros vão defendê-la no futuro.

Nesse meio tempo entre a entrega do bebê ao Mitsumasa Kido e o décimo sexto aniversário de Saori, acontece muita coisa.  É mostrada uma pequena convivência com o Seiya e a ligação que eles tem desde a infância, mostra também Saori estranhando seus dons e os escondendo da sociedade.

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário

Quando chega no dia do seu nome aniversário, o mordomo do Sr. Mitsumasa Kido, Tatsumi, (bem mais jovem em relação ao anime) faz o aviso de que ela é a reencarnação da Deusa Athena, em meio a ataques de guerreiros do santuário.

A partir daí, o filme começa a pegar fogo! Seiya e os outros aparecem para salvá-la e explicam tudo para uma garotinha super confusa sobre as responsabilidades que ela terá com essa coisa de ser a “reencarnação” de Athena. A trama é quase toda baseada num “mal-entendido”

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário

Ikki de Fênix

O visual dos cavaleiros está totalmente diferente, algo que todo mundo já sabia, mas confesso que ficou bacana principalmente o novo efeito do elmo de cada um deles, assistindo ao filme você vai entender o que eu estou falando. O CGI é um absurdo de bom, as expressões faciais beiram a realidade, porém é difícil se acostumar, pois a referência do desenho está impregnada na sua cabeça há 20 anos, caso você seja aquele fã da era da TV Manchete. Mesmo se não for, mas assistiu aos desenhos, a referência é a mesma.

Veja também: Os Cavaleiros do Zodíaco | 20 anos de um legado que eu jamais esquecerei

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário

Seiya, o rei da friendzone!

Como sempre, eles dão muita ênfase para o casal da “eterna friendzone”, Seiya e Saori. Shun, Shiryu, Ikki e Hyoga são pouco aproveitados no longa. O Seiya não está irritante, o Hyoga não lembra de sua mãe com frequência, Shun não está viadão e o Ikki menos badass do que esperávamos. E todos eles carregam um senso de humor bem bacana que traz aquele alívio cômico que a galera gosta.

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário

Da esquerda para a direita: Máscara da Morte, Shaka de Virgem, Aiolia de Leão, Aldebaram de Touro

 

Mas o filme peca em algumas coisas. Primeiro, ele é muito rápido no quesito “contar história”, mas isso é justificável por ser um filme. Como eu disse lá no início, é difícil resumir 33 episódios em quase duas horas.

Alguns Cavaleiros de Ouro não são apresentados, outros foram totalmente modificados e  o Máscara da Morte ficou totalmente fora de contexto. Aliás, ele protagoniza  uma das cenas mais bizarras, uma cantoria muito, mas muito parecida com as que são feitas nos desenhos da Disney. Eu lembrei dos tempos que assistia Alladin.

A sonoplastia em alguns casos também deixou a desejar, não tinha som de impacto quando algum cavaleiro era atingido por um golpe, como você encontra no anime, e o barulho que as armaduras fazem me incomodou bastante. A trilha sonora é um pouco repetitiva, mas casou com as cenas que exigiam os mais variados sentimentos.

O diferencial desse filme está nos seguintes pontos:

– A dublagem que é a mesma do anime, nisso a Diamond Films caprichou, o que torna a rejeição ao reboot bem menor.

– As batalhas contra cada Cavaleiro de Ouro são de arrepiar, me lembro que o primeiro golpe de cada um dos cavaleiros de bronze fazia a galera ir ao delírio no cinema, essa sensação eu jamais terei assistindo qualquer outro filme. Por mais que sejam rápidas ou, por certas vezes, exageradas, elas deixaram o filme um pouco mais empolgante.

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário

No geral o filme é bom e vale o ingresso, eu sei que para a nova geração ou aqueles que jamais conheceram Os Cavaleiros do Zodíaco, será estranho. Mas para os fãs e aqueles que conheceram os protetores de Athena durante esses 20 anos de existência, o filme será proveitoso.

Se você for com “pré-conceitos” à sala de cinema, não vai se divertir! Já se você for de mente aberta, como eu falei, e souber que se trata de uma adaptação e que NÃO será igual ao anime ou mangá, você será sairá contente do cinema neste dia.

Só um adendo: tem cena pós-créditos! Então, não levante a bunda da cadeira antes do FIM.

Agora sobre as perguntas ao produtor:

Ele respondeu 3 perguntas através de um sorteio feito antes do filme começar. Eu me lembro de apenas uma dela, que foi a seguinte:

– Existe a pretensão de fazer um filme das sagas Asgard e Poseidon?

Segundo o produtor, isso tudo vai depender da aceitação do público, no geral, e de como o filme vai repercutir em todo o mundo. Se for algo positivo, o Sr. Masami Kurumada vai dar o aval para os outros dois, mas nada garantido por enquanto.

As outras, infelizmente, eu não vou me lembrar agora, mas se você também estava nesse dia e quiser compartilhar essa informação conosco, nós seremos eternamente gratos. No mais… o filme estreia dia 11 de setembro, confira se no cinema mais próximo de você ele está sendo exibido, pois a distribuição dele não seguiu para a maioria das salas.

Me dê sua força Pégasus!

Os Cavaleiros do Zodíaco - A lenda do Santuário


Gostou? Tem mais:


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.