Legion – 1° Temporada

De suspense abstrato, subconsciente e instigante

No ano passado a emissora de TV a cabo norte-americana FX lançou a primeira temporada de Legion, série que além de se basear no universo contextual do personagem da MARVEL Comics de mesmo nome, está diretamente ligada à série de filmes dos X-Men também – embora em uma momento diferente da cronologia. Com uma temporada de oito episódios, cada qual tendo em torno de cinquenta minutos de duração, Legion trata-se de um dos mutantes mais poderosos e, por quê não dizer interessantes, do Universo MARVEL.

Contextualizando, David Haller é um mutante telepata diagnosticado com esquizofrenia desde jovem, tendo sido paciente em vários hospitais psiquiátricos e, até mesmo, tentado o suicídio. No entanto, após David Haller encontrar a “menina de seus sonhos” em um hospital psiquiátrico, ele é confrontado com a possibilidade de que pode haver muito mais para ele do que apenas uma doença mental e um hospital, dando assim, inicio a sua “auto-jornada de descobrimento heroico”.

Legion - 1° Temporada | De suspense abstrato, subconsciente e instigante

Fugindo essencialmente dos padrões estabelecidos nos últimos anos pelo cenário de materiais fílmicos baseados em histórias em quadrinhos, Legion apresenta uma proposta de série que por si só é bem interessante: a de flertar com o real e o surreal de um universo que não está nem perto de ser estático – e no meio tempo, tocar o terror com o poder da mente! A partir desse pressuposto, esta primeira temporada traz uma abordagem que enfoca, basicamente, no desenvolvimento do seu personagem principal, usando então dos contextos complexos deste último para consequentemente amplificar as circunstâncias dos demais personagens (interpretados por um elenco bem estruturado e condizente com a proposta).

O curioso aqui, no entanto, é que são esses demais personagens que dão um sucinto norteamento a série, tal qual para o espectador. Digo, no que você é submetido a uma inconstante mental de David Haller, os demais personagens aparecem para lhe dar uma sensação de “realidade” fixa e segura. Mas eis a verdadeira “menina dos olhos” da primeira temporada de Legion: nem toda resposta dita por essa realidade fixa e segura é uma base sólida dos fatos. E a maneira como esse elemento é abordado na temporada, essa “dança entre o real e o surreal”, torna toda a série bem atrativa para o espectador, uma vez que o suspense bem trabalhado instiga a platéia e tampouco apresenta informações massivas.

Legion - 1° Temporada | De suspense abstrato, subconsciente e instigante

Particularmente sou bem seleto com o que quero assistir e, principalmente, quando o quero. Mas Legion já me atraia a atenção justamente por sua proposta de flertar com o real e o surreal, mesmo que eu tivesse poucos conhecimentos em relação ao personagem e seu universo. Contudo, o desenvolvimento bem medido, realizado ao próprio tempo da série me agradou bastante; você não precisa já ser um conhecedor de todos os contextos do personagem, a série lhe fornece uma primeira temporada introdutória bem mastigada e com informações medidas para você adentrar rumo ao entendimento do personagem nos quadrinhos – o que é uma experiência bem legal.

Ao meu ver, a primeira temporada de Legion peca escancaradamente apenas no season finale. Uma vez que apresenta um final de temporada cujo script tem certa previsibilidade e um tom massante. Em contrapartida, a season finale é uma quebra de arco que deixa ainda em aberto o desfecho da primeira aventura de David Haller e companhias durante a temporada, proporcionando caminhos promissores para a segunda temporada (que estreou dia 03 de abril, por sinal).

Legion - 1° Temporada | De suspense abstrato, subconsciente e instigante

Em termos gerais, a primeira temporada de Legion apresenta uma proposta simplista, ainda que brinque sabiamente com o complexo. Ou seja, é uma temporada em que ao decorrer em seu tempo e ritmo próprios, proporciona ao telespectador um suspense abstrato, subconsciente e instigante ante um contexto que graciosamente diverge dos muitos materiais inspirados em quadrinhos que temos por aí. Ainda com um mix sabiamente abordado, idem executado, a primeira temporada de Legion tem o suficiente para suprir sua necessidade de série interessante, com doses bem administradas de suspense/terror e personagens de quadrinhos. A maratona está garantida, assim vos fala quem começou a assistir despretensiosamente e só se aquietou depois que devorou todos os episódios!

_________________________________

A primeira temporada de Legion encontra-se disponível no FOX Premium App & TV, tal qual no catálogo da NETFLIX.


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.