Interferências

Uma combinação perfeita de ficção científica, romance e bom humor

Sabe aquele livro que você lê a sinopse e sua curiosidade interior começa a berrar para você não perder tempo e mergulhar de cabeça na leitura? É o que o livro Interferências, de Connie Willis, causou em mim! Interferências é uma das grandes apostas de lançamento da editora Suma de Letras, uma misto de bom humor, romance e ficção científica para ninguém botar defeito.

Interferências conta a história de Briddey Flannigan, uma jovem ruiva que topa a oferta de seu namorado Trent de realizar uma cirurgia especial que permite que os casais alcancem um novo nível de intimidade ao sentir, através de uma conexão emocional, todos os sentimentos do parceiro, fazendo com que o relacionamento fique ainda mais completo. Porém, as coisas não saem exatamente como o planejado. Briddey acaba se conectando a outra pessoa, totalmente inesperado e indesejado. Conforme a situação vai se descontrolando, Briddey percebe que o excesso de informação nem sempre é bom, e que a comunicação e as relações podem ser bem mais complexas do que se imagina.

Toda a história é tratada com muito bom humor, inclusive a citação de que casais famosos como Angelina Jolie e Brad Pitt – que também realizaram a cirurgia – traz muita graça e até certa veracidade à história.

As intromissões malucas da família de Briddey, o jeito nerd e estranho de C.B, o estilo apaixonado e meio forçado de Trent e até o tal projeto especial da empresa, tudo é feito na medida perfeita entre o humor, a seriedade, o romance e a maluquice típica da ficção. Temos inclusive que dar os parabéns pela criação de Connie da lógica da EED, a tal operação de conexão emocional, é tão bem explicado e utilizando procedimentos e características reais da medicina que para todos nós parece ser algo bem passível de se tornar realidade.

Intrínseco a toda história, há uma crítica pungente à nossa era da comunicação, onde se busca cada vez mais interação entre as pessoas, e se tem cada vez menos privacidade e controle da sua exposição, pensamentos, sentimentos e vida como um todo. Nada como uma conexão mental descontrolada para nos fazer pensar no quanto deixamos nossa vida aberta até a quem não tem que ter acesso a ela. Nos faz pensar também em todos aqueles nossos sentimentos e pensamentos que retemos e que temos por momentos de raiva, dor ou inveja, mas que não nos define, e como seriam encarados por aqueles que nos rodeiam.

Outra crítica que podemos ver em Interferências, é o pré-conceito que temos e o fato de julgarmos as pessoas pela aparência, pelo que falam, pelo que mostram e até por suas atitudes. Temos uma família desconjuntada que se intromete em tudo e apesar do preconceito inicial de que elas são chatas e malucas, percebemos que na realidade são amorosas, que se importam e que tem motivos para tudo que fazem.

Temos também, o cara que quer ser o bonzão e não mede esforços para alcançar suas conquistas e que não se mostra dessa maneira, fazendo inclusive com que o achemos fofo, o nerd que parece esquisitão, mas na verdade é um amor de pessoa e todos os estereótipos que julgamos sem conhecer direito. Para ser bem sincera, o livro é acima de tudo uma lição de vida.

Além de tudo isso, Interferências é um romance divertidíssimo, fofo e apaixonante. Não é dramático nem meloso, é aquele romance delicioso de ler e que passa voando. Não tem como acabar a leitura e não sentir saudade e até um pouco de tristeza por não ter contato com Briddey e os demais personagens. Além de você desejar ser irlandês e poder fazer o que Briddey é capaz de fazer. 

Se você se interessou por Interferências de Connie Willis, adquira um exemplar aqui!


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.