in

HQ do Dia | Silk #1

Diretamente de um dos retcons mais grosseiros da história da Marvel surge a já celebrada heroína aracnídea que atende pelo nome Cindy Moon, mas usa o codinome Silk. Desde que surgiu no novo volume de Amazing Spider-Man, Silk chamou bastante atenção e adquiriu grande popularidade pela sua estranha relação com Peter Parker, seus poderes similares aos do Aranha e sua personalidade impulsiva e forte. Nada mais natural para a Marvel então do que lançar uma HQ solo da heroína para testar o apelo da personagem em relação ao público.

HQ do Dia | Silk #1Silk é escrita por Robbie Thompson e foca muito no cotidiano de uma jovem que passou seus últimos 10 anos em um bunker sem contato nenhum com o mundo exterior. Cindy tem uma penca de assuntos mal resolvidos entre eles sua família desaparecida, seus poderes meio descontrolados e sua relação carnal com o Homem-Aranha. O autor define um tom bem claro nesta primeira edição dando a Silk um apelo fortíssimo ao público feminino. As cenas de ação estão ali burocraticamente pois o que carrega a trama são as relações interpessoais da protagonista com o resto do elenco. Silk em tom é muito similar a títulos como a nova Batgirl de Brendan Fletcher e Cameron Stewart e com Ms. Marvel de G. Willow Wilson. Se você curte este estilo de roteiro menos denso, mais despojado e cômico e mais focado nos dilemas pessoais dos protagonistas do que em ameaças gigantescas é um boa leitura.

A arte de Stacey Lee em Silk #1 acompanha o tom meio indie do roteiro. Nada de poses sensuais ou splash pages épicas. Temos páginas com quadros minimalistas, foco nas expressões faciais (que por vezes flertam com o mangá) e uma atenção especial ao figurino de todo o elenco. O traço da artista lembra às vezes Chris Samnee em Demolidor pela simplicidade dos quadros e capricho nas expressões corporais e faciais. Destaque para os flashbacks mostrando a família de Cindy. Bastante sensibilidade da desenhista nestas passagens.

Silk #1 é uma estreia que vai acertar em cheio o coração dos novos leitores de quadrinhos que não querem nada muito complicado pra ler. Não é uma HQ explosiva e cheia de conflitos de vida ou morte e com um vilão cascudo logo de cara. Tampouco temos uma trama complexa e cheia de nuances logo de cara. Aqui começa a história de uma jovem tentando achar seu espaço em um mundo estranho, descobrindo seus próprios poderes e limitações e tentando fazer o certo meio aos trancos e barrancos. A protagonista tem uma personalidade capaz de carregar a primeira edição inteira sem tornar a leitura cansativa e já mostrou diversas vezes que consegue ofuscar ícones da Marvel como Homem-Aranha e Mulher-Aranha juntos. Então é só uma questão de tempo até Cindy Moon tornar-se mais um ícone entre os novos leitores de quadrinhos da Marvel.

E aí, curtiu?

Escrito por Igor Tavares

Carioca do Penhão. HQ e Videogames desde 1988. Bateria desde 1996. Figuras de ação desde 1997. Impropérios aleatórios desde 1983.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

Loading…

0

O Crítico (2013) | Uma crítica ao cinema e aos pseudo-cinéfilos

Snowden | Primeiras imagens do filme mostram Joseph Gordon-Levitt como Edward Snowden