Verdades de uma sexta-feira 13 – O Retorno

O Proibidão resolveu convidar para um post especial, aquele que fez do proibidão boa parte do que ele é hoje o @rafahenrik, espero que todos gostam e comentem! Afinal esse espaço é seu também!

As outras verdades sobre a sexta-feira 13 não baseiam-se apenas nessa tão horrenda data, digo que dia do terror é todo santo dia. Amigo, entenda que seu instinto lobisomem já virou sexto sentido, mas você é incapaz de perceber.

Logo de manhã, por exemplo, você pega aquele ônibus lotado com um Freddie Krueger ao seu lado fedendo a bafo de cana. O homem-de-Deus além de ter o nariz gigante, tem umas espinhas no rosto que formam uma verdadeira cratera. Não obstante da situação, vários zumbis e meliantes a sua volta pendurados em canos a fim de evitar o esfrega-esfrega atrito de cada curva e, meramente, disfarçados de trabalhadores. Ali também temos o cobrador vestido com o seu rigoroso traje azul, assumindo assim a posição de porteiro para o inferno. Motoristas, com aquele bom dia maquiavélico, ficam encarregados de juntar cada vez mais corpos vivos a cada parada. Isso não é aterrorizante?

Ao decorrer das horas, ao uivar dos ventos, percebe-se que o horror não termina no coletivo. O seu trabalho é uma coletânea de personagens, os mais estranhos que você já vira, inclusive. Começando pelo segurança que provavelmente assemelha-se ao vulto de Michael Jackson em sua feliz aura negra. O maldito te dirá “bom dia” com um ar de “bem-vindo à casa do terror”. Digo mais, no caminho até o elevador, aposto que é capaz de ver mais um ou dois mortos vivos tomando cafézinho e planejando cautelosamente a próxima vítima.

– Olha aquela camareira do 17º, essa deve ter uma carne saborosa. – diz o mais pálido.

E o outro concorda em grau, número e gênero apenas gesticulando a cabeça.

Seguindo seu trajeto rumo ao seu ambiente de trabalho, repare que mesmo dentro do elevador a sexta-feira 13 está presente. Onde já se viu uma voz do além avisar o lugar onde você tem de ir? Não somente para você como para o restante dos defuntos que estão lá dentro. Ah… não podemos relevar o cheiro de carniça que sobe das axilas mal lavadas e das cuecas freadas. Pior são aqueles [elevadores] que, ao invés da maldita voz vinda do além, encontramos a ascensorista; a desgraçada fica peidando o dia inteiro lá dentro e ainda temos de suportar aquele fedor. E entrar no elevador de serviço quando ele está forrado com aquela manta protetora? Aquilo sim é a real tradução do que é aterrorizante. Imagine ficar preso dentro de um destes por umas duas horas com o seu chefe… TENSO!

Em seu escritório, enfim, é capaz de sentir o cheiro de enxofre por todo lado, a verdadeira sensação de trabalhar num inferno. O bichinho feio do estagiário parecido com o Smigol te dá sustos toda vez que você o encontra pelos corredores. A feiura não só quebra espelhos como também planos de carreira. Por exemplo, o chefe do estagiário pode a qualquer momento desistir de ser chefe dele pelo fato de encontrá-lo trancado no CPD se esfregando com a recepcionista sem dedos. Além do mais, deve ser bem pesado escutar o clone do Smigol dizendo “my precious” para uma baranga.

Cenas mais absurdas que essa ainda acontecem, vai me dizer que tu nunca ficou reparando na tiazinha da limpeza enquanto ela esfregava o chão de quatro? Tiazinhas de limpeza são tão aterrorizantes quanto um baile funk feito numa festa infantil. Possuem um sotaque indecifrável, gostam de inventar palavras para se referenciarem ao genital masculino, geralmente usam calcinha preta por baixo de uma calça branca e, além do mais, são cópias da Medusa quando resolvem soltar o cabelo. Está convencido de que sexta-feira 13 são todos os dias? Ainda não?

Lembra-se dos zumbis que citei no começo do texto, pois bem, eles estão de volta. Ainda mais assustadores e fedidos. Trabalharam o dia inteiro, acumularam stress e agora enfrentam novamente o aperto do coletivo. Os defuntos que estão sentados, aproveitam um cochilo para reestabelecerem as forças e atacarem durante a madrugada. “Mate um leão todos os dias.”, esse é o lema destes, então sairão para uma balada qualquer e chuparão um pouco de sangue.

Até mesmo as sexta-feiras santas são sexta-feiras 13, aliás.

Para ler Verdardes de uma sexta-feira também do @rafahenrik clique aqui, aqui ou aqui e se quiser aqui também!

Por


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.