A Pequena Caixa de Gwendy

Um conto rápido e gostoso de ler

Primeiro de tudo Feliz Natal levemente atrasado a você meu amigo leitor. Como você sabe eu sou apaixonada pelos livros do mestre Stephen King, quando recebemos A Pequena Caixa de Gwendy eu corri empolgada para ler.

A Pequena Caixa de Gwendy é um livro colaborativo entre Stephen King e Richard Chizmar, O lse passa na cidade de Castle Rock, cenário de outras obras aclamadas de Stephen King como “A Zona Morta”, “Cujo”, “A Metade Negra”, “Trocas Macabras”, e em livros de contos como “O Bazar dos Sonhos Ruins.” A história começa no verão norte-americano, em agosto de 1974, quando uma menina de 12 anos chamada Gwendy Peterson encontra um homem vestido todo de preto e com um chapéu na cabeça, próximo da Escadaria Suicida, no topo do monte Castle View. Esse homem se chama Richard Farris e dá a Gwendy (sem segundas intenções), uma caixa de botões da qual saem pequenos chocolates em formato de animais, moedas de prata de 1891 e tudo o que essa jovenzinha pode desejar. E como diz o ditado: em cavalo dado não se olham os dentes.

Gwendy é uma garotinha de 12 anos muito esperta e, em busca de fugir de um apelido maldoso sobre seu peso na escola, com a sua persistência ela começa a subir todos os dias a Escadaria Suicida como forma de exercício físico. Até que um belo dia ela conhece Richard Farris, ela sempre o via com seu livro e se chapéu coco preto, mas quando ele a chama a sua vida toda se transforma. Ele a presenteia com uma caixa de botões.

Sr. Farris explica a ela a importância dessa caixa, como seus botões são difíceis de apertar e que isso é bom porque ela não iria querer apertá-los sem querer. Há um botão representando cada um dos continentes e duas alavancas, uma que oferece um chocolate em formato de animal que nunca se repete e a outra uma moeda de prata valiosíssima. E um botão vermelho que é o único que pode ser apertado mais de uma vez para fazer o que ela quiser que seja feito. A única recomendação é que Gwendy não deixe ninguém saber da caixa.

A curiosidade de não saber o que os botões fazem é enorme, mas o medo do que possa acontecer também! Então Gwendy resiste ao ímpeto de apertá-los por muito tempo, até que decide testar o botão vermelho apesar de saber que pode ter consequências desastrosas para isso… Ela realmente se arrepende e, conforme os anos passam, Gwendy sente mais e mais a responsabilidade que foi dada a ela e como isso afeta a sua vida como um todo.

Este livro é bem diferente de todos os livros que já li de Stephen King, é notável a influencia da escrita de Richard Chizmar, que atenua o horror conhecido de King. Não é bem um livro de terror ou de ficção cientifica, e sim um conto. Rápido de ler, com leitura gostosa e com uma moral da história e uma lição de vida.

Outro ponto é o design aplicado ao livro pela Suma de Letras, com as ilustrações originais aplicadas ao livro de Keith Minnion que se integram lindamente à historia de forma abstrata e enriquecedora. Com letras grandes e grafia fácil é um livro muito bem montado e escrito.

Pra quem busca uma leitura de férias tranquila, gostosa e divertida, A Pequena Caixa de Gwendy é a escolha certa.

Se você ficou interessado, A Pequena Caixa de Gwendy está à venda nas melhores livrarias, por um excelente preço, e você pode ajudar o Proibido Ler comprando seu exemplar por meio do link abaixo. 


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.