in

Missão: Impossível | O segredo da qualidade e do sucesso da franquia

Muitas franquias de sucesso estão acontecendo atualmente, com filmes lançados todos os anos e nem todos conseguindo se sair bem com crítica e/ou público. São poucas as que conseguem manter um certo nível de qualidade em todos os seus filmes, e Missão: Impossível está entre elas.

Mesmo que alguns filmes da franquia sejam melhores que outros, os mais fracos ainda trazem boas histórias, ação, elenco respeitável e ótimas bilheterias. Nenhum dos 5 filmes, desde 1996, decepcionou e muito se discute sobre o segredo do sucesso da saga.

Missão: Impossível | O segredo da qualidade e sucesso da franquia

Eu não sou nenhuma especialista em cinema, mas faz um bom tempo que estudo, pesquiso e trabalho com o assunto. Analisando e comparando os filmes da saga Missão: Impossível com as demais franquias similares, não é difícil entender por que a qualidade se mantém. Entre os diversos fatores, acredito que três são primordiais na hora de fazer a diferença:

Tempo

Ao contrário da maioria das franquias, Missão: Impossível não se preocupa em lançar um filme atrás do outro, ano após ano. O primeiro foi lançado em 1996, o segundo em 2000, o terceiro em 2006, o quarto em 2011 e o quinto agora, em 2015. Ter tempo suficiente para roteirizar, planejar, gravar, editar, regravar e fazer as mudanças necessárias é algo muito importante que, infelizmente, a corrida pelas bilheterias tem subestimado.

Missão: Impossível | O segredo da qualidade e sucesso da franquia

Fazer um filme é algo complexo e por mais que a equipe responsável seja formada pelos melhores nomes da indústria, o tempo é fundamental. Missão: Impossível não se preocupa com quantidade, mas com qualidade.

Direção

Cada um dos cinco filmes da franquia Missão: Impossível foi dirigido por diretores notáveis, dando a cada um deles uma visão clara e distinta, mesmo que alguns sejam melhores do que os outros.

O primeiro – “Missão: Impossível” (1996) – foi dirigido pelo lendário Brian De Palma, responsável por filmes como “Scarface” (1983) e “Os Intocáveis” (1987). É claro que não se pode negar a importância do excelente elenco deste filme (Tom Cruise, Jon Voight, Emmanuelle Béart, entre outros), mas a escolha do diretor foi crucial para seu sucesso. Quando a grande reviravolta da trama acontece, esta se mantém explosiva em vez de anti-clímax. Muito disso tem a ver com as notáveis habilidades que De Palma possui na hora de contar histórias. O longa conquistou a terceira maior bilheteria de 1996.

Brian De Palma
Brian De Palma

John Woo assumiu o segundo longa da franquia – “Missão: Impossível 2” (2000) – e, nesta época, sua carreira estava em alta devido ao sucesso de seus últimos trabalhos “A Última Ameaça” (1996) e “A Outra Face” (1997). O diretor refletiu seu estilo em M:I-2, o que resultou num projeto diferente do enredo focado em espionagem do anterior. A mudança causou uma recepção mista por parte da crítica especializada, mas manteve a popularidade da franquia, com sua alta bilheteria (mais de 546 milhões de dólares) e sucesso com o público.

John Woo
John Woo

O terceiro – “Missão: Impossível 3” (2006) – e, sem dúvidas, o mais fraco dos cinco, foi dirigido por J.J. Abrams. Na época o diretor era conhecido por seu trabalho nas séries “Alias: Codinome Perigo” ​​e “Lost”, sendo o terceiro filme da franquia Missão: Impossível sua primeira experiência em dirigir um grande longa-metragem. Mesmo sendo considerado como o mais fraco, M:I-3 teve uma recepção favorável por parte da crítica especializada. O confronto entre os personagens de Tom Cruise e Philip Seymour Hoffman é um dos destaques da saga até hoje.

J.J. Abrams
J.J. Abrams

O quarto filme – “Missão: Impossível – Protocolo Fantasma” (2011) teve a direção de Brad Bird, conhecido até então pelas animações “Os Incríveis” (2004) e “Ratatouille” (2007). Semelhante ao caso de J.J. Abrams, Bird teve sua primeira experiência em dirigir um longa-metragem com Missão Impossível – e não poderia ter se saído melhor! “Protocolo Fantasma” foi bastante inovador, inserindo diversão e suspense de volta aos filmes de ação, depois de anos onde o gênero manteve o tom sério. O filme foi bem recebido pela crítica especializada e arrecadou quase 700 milhões de dólares em bilheterias. Muitos críticos disseram que este longa foi tão bom quanto o primeiro, mas de uma forma muito diferente.

Brad Bird
Brad Bird

O quinto e mais recente filme da franquia – Missão: Impossível – Nação Secreta (2015) – veio pelas mãos de Christopher McQuarrie, que dirigiu apenas dois filmes antes deste, “À Sangue Frio” (2000) e “Jack Reacher: O Último Tiro” (2012). Embora seja cedo para determinar sua qualidade, já que estreou recentemente e as críticas ainda estão saindo, M:I-5 já conquistou a melhor bilheteria de estreia da franquia Missão: Impossível e ultrapassou os 100 milhões de dólares nos primeiros 10 dias de exibição.

Liberdade Criativa

Nos tópicos onde falei de cada diretor, destaquei o fato deles trazerem seu próprio estilo para cada um dos filmes, tornando-os distintos e inovadores. A liberdade criativa tem sido podada pelos grandes estúdios com a intenção de produzir obras cada vez mais comerciais e menos ousadas. Não podemos culpar as empresas, pois a tendência é seguir a linha que está ganhando em vez de tentar algo diferente – como diz o velho ditado, “não mexa em time que está ganhando”.

Missão: Impossível | O segredo da qualidade e sucesso da franquia

Felizmente Missão: Impossível tem uma visão diferente desta e não tem medo de arriscar. Diretores experientes e iniciantes já passaram pela franquia, todos tendo êxito. O The Hollywood Reporter fez uma declaração interessante sobre M:I, e eu concordo plenamente:

“Seguir o modelo de Missão: Impossível pode não fazer muitos executivos felizes a curto prazo; um filme a cada quatro anos não traz o mesmo o lucro de dois filmes por ano, como está em alta hoje em dia. Mas, por outro lado, Missão: Impossível ainda é um sucesso quase duas décadas depois do primeiro longa, sem a necessidade de um reboot, reposicionamento ou recomeço. “Devagar e sempre” pode ganhar a corrida, ao que parece – a questão é, seria essa uma corrida que estúdios de cinema estão atualmente interessados em se aventurar?”

Missão: Impossível – Nação Secreta estreia em 13 de agosto de 2015 nos cinemas brasileiros.

E aí, curtiu?

Escrito por Louise

Amo, respiro e me alimento de quadrinhos, acho completamente normal se envolver emocionalmente com personagens de séries e filmes, e já vou avisando: NÃO MEXA COM MEUS HERÓIS!

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

Loading…

0

Filmes com a temática LGBT – Parte 3

O Demônio na Cidade Branca | DiCaprio e Scorsese juntos novamente