Jurassic Park

Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

Com o lançamento de Jurassic World, os dinossauros voltaram ao estrelato, e o PL não poderia deixar isso passar despercebido! Confira agora uma lista de curiosidades sobre a saga de seres pré-históricos mais amada das telonas: Jurassic Park.

Jurassic Park, conhecido no Brasil como “O Parque dos Dinossauros”, conta a história fictícia de um filantropo bilionJurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiaisário e uma pequena equipe de geneticistas que criam um parque temático em uma ilha, onde as principais atrações são variadas espécies de dinossauros recriados através da engenharia genética.

Mas isso você já sabe, o que talvez você não saiba é que a saga foi baseada no livro homônimo escrito por Michael Crichton. E antes mesmo desse livro ser publicado, muitos estúdios tentaram adquirir os direitos de imagem. Foi uma grande disputa.

A primeira vez em que Steven Spielberg pensou em levar Jurassic Park para as telonas, foi durante uma reunião em 1989, com o autor do livro original, Michael Crichton. Eles comentaram sobre o livro, e então uma luz surgiu na cabeça de Spielberg, que ao lado da Universal Studios, adquiriu os direitos de imagem (antes mesmo da publicação) por US$ 1.500.000 e Crichton recebeu um adicional de US$ 500.000 para adaptar o livro para as telas. David Koepp escreveu o roteiro final, que deixou de fora grande parte da violência e fez numerosas mudanças nos personagens das páginas para as telonas.

Conheça agora, ou relembre, algumas curiosidades sobre a saga de dinossauros mais aclamada de todos os tempos. E aproveite para matar a saudade dessa, que continua sendo uma das maiores produções de Spielberg:

– Em 1983, Michael Crichton tentou escrever um roteiro sobre um pterodáctilo clonado a partir de um ovo. Após ver sua trama rejeitada várias vezes, o escritor alterou a história, originalmente construída a partir do ponto de vista de uma das crianças, o que tornou o filme mais mágico ainda.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

– Como a trama se passa em uma ilha fictícia do oceano Pacífico, perto da Costa Rica, a produção chegou a considerar as filmagens no país. Mas a ideia foi abortada após o governo costa-riquenho proibir a construção de estradas para a equipe chegar às locações. As filmagens ocorreram na Califórnia e no Havaí.

 –  Christina Ricci, Laura Linney, Dylan McDermott e Tom Sizemore foram reprovados em testes para o filme. Jim Carrey chegou a ser um dos preferidos para interpretar o personagem Ian Malcolm. Jodie Foster, Sigourney Weaver e Michelle Pfeiffer também foram cogitadas para o papel da doutora Ellie Sattler. Mas Jeff Goldblum e Laura Dern foram os escolhidos e fizeram muito bem feito como casal, inclusive fora das telas… Eles se conheceram durante as filmagens, engataram um relacionamento e chegaram a ficar noivos entre 1995 e 1997, ano em que “O Mundo Perdido: Jurassic Park” foi lançado.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

– No livro John Hammond diz que o narrador, no tour gravado do parque, é Richard Kiley. Kiley foi contratado para interpretar a si mesmo naquele papel no filme. Provavelmente a primeira vez que uma celebridade apareceu num livro e depois foi contratado para interpretar a si mesmo.

– Nos 127 minutos de filme, apenas 15 minutos mostram dinossauros. Desses 15, nove são dedicados a bonecos mecânicos (técnica conhecida como animatrônica) e seis outras animações feitas a partir da computação gráfica. Apesar de toda a tecnologia empregada nos efeitos visuais, a interface da “webcam” que o personagem Dennis Nedry, usa para se comunicar é, na verdade, uma mera reprodução de um vídeo do player Quicktime, da Apple.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

Spielberg convidou o famoso ator e diretor britânico Sir Richard Attenborough para participar de seu filme. Na época Attenborough estava há 14 anos longe das telonas, e enfim aceitou o papel de John Hammond no filme. Jurassic Park foi, na verdade, o terceiro convite feito por Spielberg a Attenborough, ele já havia recusado dois papéis. Em 1983, o filme “Gandhi” de Attenborough bateu o filme “ET – O Extraterrestre” de Spielberg e acabou levando o Oscar nas categorias: Melhor Filme e Melhor Diretor. Mesmo assim Spielberg fez questão que Attenborough integrasse no elenco, o que foi uma ótima escolha e grande prova de humildade.

Veja também: 10 coisas que você não deveria saber sobre Steven Spielberg

– O ator Harrison Ford recusou o papel de Dr. Alan Grant.

– Após o primeiro longa, pesquisadores descobriram evidências de que os velociraptors possuíam penas, o que fez com que Spielberg adicionasse uma discreta plumagem nas criaturas do segundo filme.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

 – Além disso, os velociraptors que aparecem em algumas cenas (inclusive nessa da da cozinha) são animadores vestindo trajes de borracha. Em “Jurassic Park 3“, eles chegaram a usar “calças raptor” em planos mostrando apenas as pernas da criatura.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

– O filme é considerado um marco na indústria de efeitos especiais, produzidos pela Industrial Light & Magic e pela Stan Winston Studios. A reconstituição virtual dos dinossauros, para que “contracenassem” com os atores, levou a saga a um estrondoso sucesso de bilheteria, o que confirmou o fascínio que essas criaturas extintas exercem sobre a imaginação das pessoas.

 – Na cena em que o T-Rex ataca as crianças no carro, o T-Rex animatronic não deveria ter quebrado o vidro do teto do carro. Isso assustou tanto as crianças que elas se desesperaram imaginando que os técnicos haviam perdido o controle do robô, e o resultado foram gritos de verdade.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

– O rugido do T-Rex é uma combinação de sons de cachorro, pinguim, tigre, jacaré e elefante.

– Boa parte do realismo do filme também pode ser creditado à sua profundidade sonora. Isso porque ele foi o primeiro filme a utilizar o sistema DTS (Digital Theater Systems), baseado em vários canais de áudio. Spielberg, aliás, era um dos investidores do formato nos anos 90.

– Apesar do banho de realismo nas telas, a criação de dinossauros em laboratório é cientificamente impossível de acontecer. Segundo cientistas, o material genético armazenado no sangue de insetos fossilizados, que serviu de base para a clonagem, duraria, no máximo, 7 milhões de anos e os dinossauros foram extintos há mais de 65 milhões de anos.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

– Um bebê triceratope foi construído para uma cena em que uma das crianças o montaria. Técnicos trabalharam por um ano na cena, mas ela foi cortada pouco antes do lançamento, pois Spielberg disse que ela prejudicava o ritmo da narrativa.

 – Na cena em que Lex está pendurada no teto (quando o velociraptor está atacando) a dublê olhou para cima acidentalmente e o rosto da atriz (Ariana Richards) teve que ser digitalmente colocado sobre o da dublê.

– Depois de fazer este filme, Ariana Richards desenvolveu um grande interesse por dinossauros e ajudou Jack Horner (o paleontologista consultor do filme e inspiração para o personagem de Alan Grant) numa escavação verdadeira de dinossauro no verão seguinte.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

– Antes de Spielberg conseguir os direitos, outros produtores famosos de Hollywood quase criaram a adaptação do filme para as telonas, como James Cameron, Richard Donner, e até mesmo Tim Burton. Consegue imaginar como seria essa saga nas mãos de Tim Burton? Eu não!

Spielberg pensou muito antes de fazer a cena que mostra um copo d’água vibrando quando um tiranossauro se aproximava, após perceber que o espelho retrovisor de seu carro balançava ao som da banda Earth, Wind & Fire. E para conseguir o efeito, uma corda de violão escondida dentro do painel do Jeep, foi acionada remotamente. O resultado foi incrível.

 – Sam Neill se machucou com o sinalizador que ele usou para distrair o T-Rex. De acordo com Neill, “Algumas faíscas caíram no meu braço e no meu relógio e queimaram um pouco minha pele.” Todo bom filme, tem alguns acidentes.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

 

– O final original do filme mostrava Alan Grant (Sam Neill) atirando em um velociraptor e, em seguida, usando o esqueleto do T-Rex para matar outro. Spielberg percebeu que precisava de uma última cena com o tiranossauro e acrescentou outro final, que se tornou clássico e aclamado pelo público durante muitos anos. Além disso, alguns personagens (considerados principais) morreriam na trama se seguissem o livro ao pé da letra (como não sou de soltar spoiler e sei que tem muita gente que se interessa pelo livro, vou deixar a informação no ar).

 – O final teve um easter egg: o logo “Jurassic Park” aparece em um close na porta do jeep, a lama cobre algumas letras propositalmente, exibindo a seguinte frase “UR ASS PARK,” inspirada na frase americana “you’re lucky to get out with your ass in one piece,” ou “Você tem sorte de sair daqui com sua bunda intacta”. Mais genial que isso, impossível!

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

Jurassic Park chegou aos cinemas dos EUA no dia 11 de junho de 1993, mas poderia ter sido antes. Em 11 de setembro de 1992, o furacão Iniki atingiu a ilha de Kauai, no Havaí, paralisando as gravações. A tempestade foi a mais intensa já registrada no arquipélago americano. A cena em que o T-Rex aparece e devora um dinossauro onívoro Galimimo foi gravada na ilha de Oahu, no Havai. Sendo a única tomada ao ar livre fora de Kauai, por causa do furacão.

– O filme foi relançado em 3D nos cinemas em 5 de abril de 2013 e, neste relançamento, Jurassic Park se tornou o primeiro filme da Universal Pictures e também de Steven Spielberg a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão de arrecadação nos cinemas mundiais. Tornou-se também o segundo filme a passar essa marca depois do relançamento em 3D, sendo o primeiro Star Wars Episode I: The Phantom Menace, relançado em fevereiro de 2012. Steven Spielberg estava tão confiante com este filme que começou a fazer seu próximo filme (A Lista de Schindler) deixando a pós-produção nas mãos de George Lucas. E foi supervisionando esse trabalho que ele teve a certeza de que a tecnologia já havia alcançado o patamar necessário para retomar “Star Wars“. O quarto filme da saga, “Star Wars Episódio 1: A Ameaça Fantasma“, foi lançado em 1999.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

Jurassic Park se tornou o filme de maior sucesso lançado até ser ultrapassado quatro anos depois por Titanic. Sua adaptação venceu três Oscars: Melhor som, Melhor edição de som e Melhores efeitos especiais, e originou três sequências “The Lost World: Jurassic Park“, “Jurassic Park III” e “Jurassic World“. Sendo as duas primeiras lançadas em 1997 e 2001 respectivamente, e a terceira, tendo seu lançamento marcado para 2015.


O filme agradou muita gente, os efeitos especiais fizeram os dinossauros parecerem tão reais que algumas cenas deixaram as pessoas com medo de verdade. A saga é com certeza um marco na história do cinema e na carreira de Spielberg.

Jurassic Park | Curiosidades sobre a saga que revolucionou os efeitos especiais

Comente aqui qual sua cena favorita da saga, e o que espera de Jurassic World! (E não se esqueça de devorar as matérias relacionadas)

Veja também: Jurassic World | O PARQUE ESTÁ ABERTO – Trailer oficial

Gosta de saber sobre curiosidades de filmes? Então não deixe de conferir as matérias anteriores, por exemplo:

Curiosidades sobre o filme “(500) Dias com Ela” (2009)


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.