Nocaute (2015)

Jake Gyllenhaal nunca decepciona

Billy “The Great” Hope (Jake Gyllenhaal) é o atual campeão da categoria Peso Médio Junior de seu país, mas está chegando ao seu limite devido à idade e aos seus métodos arriscados de luta. Sua bela esposa, Maureen (Rachel McAdams), está preocupada com sua imprudência no ringue e o risco de, eventualmente, ser ferido gravemente. Billy é agressivo e feroz durante suas lutas, mas embaixo de sua armadura de músculos, felizmente, o lutador possui um coração mole.

Sua vida perfeita, com uma bela e companheira esposa, uma filha que o ama, uma mansão extremamente luxuosa, carros do ano e etc, parece inabalável. O que poderia acontecer de errado?

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

Eis que surge um lutador chamado Miguel Escobar (Miguel Gomez), cujo objetivo é fazer com que Billy Hope aceite uma luta entre eles. Por não obter nenhuma resposta, o desafiante resolve provocar e confrontar Hope durante um evento de caridade, que acaba de forma trágica e com consequências irreversíveis.

Um dos capangas de Escobar dispara contra o tumulto e acaba assassinando Maureen, que morre nos braços do marido. Este acontecimento desencadeia a ruína de Hope, que perde seu título, sua fortuna, abusa do álcool e o pior de tudo: sua filha Leila (Oona Laurence) é levada pelo serviço social.

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

Apesar de seus clichês, Nocaute é um filme incrível e emocionante. Jake Gyllenhaal prova, mais uma vez, que é um dos melhores atores de Hollywood da atualidade. Além de estar irreconhecível, ele apresenta uma performance única, que diferencia Nocaute dos demais filmes de boxe que já passaram pelas telas de cinema. Mesmo com um corpo repleto de músculos, o ator passa com maestria toda a vulnerabilidade de seu personagem, e promove o equilíbrio entre seu carisma desconexo, ferocidade brutal e sinceridade verdadeira. O desempenho de Gyllenhaal transforma seus filmes em obras de arte.

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

Mas não pense que este é um longa carregado por um homem só. Embora Gyllenhaal seja o destaque, seus colegas de elenco não economizam nas performances brilhantes. A pequena Oona Laurence, ao contrário de muitos atores mirins, apresenta uma capacidade natural de expor suas emoções, ou melhor, as emoções de sua personagem. Ela não é o tipo de filha amorosa que se apega ao pai após a morte da mãe e chora a cada despedida. Leila é uma personagem tão complexa quanto o próprio Billy Hope, e a performance de Jake Gyllenhaal não seria tão emocionante sem Oona Laurence.

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

Forest Whitaker, que interpreta Tick Willis, o novo treinador de Hope, é naturalmente bom – como ele sempre é. Whitaker trabalha muito bem ao lado de Gyllenhaal, e o tempo de tela dividido entre estes dois grandes atores oferece algumas das melhores cenas do filme.

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

O diretor Antoine Fuqua conseguiu criar um filme brutal, onde os eventos mais brutais acontecem fora do ringue. Dito isto, as cenas de luta são únicas e inovadoras no que diz respeito a filmes de boxe. Fuqua usa uma variedade de ângulos e estilos – incluindo ângulos em primeira pessoa – e efetivamente captura a crueldade do que está acontecendo. A luta final é tão intensa e emocional que o espectador é capaz de sentir cada soco em seu próprio corpo.

O único ponto fraco do filme é o pouco tempo de tela de Rachel McAdams. Quem assistiu sua personagem séria, corajosa e badass na segunda temporada de True Detective (mesmo que você não tenha gostado da temporada, há de concordar que McAdams está brilhante) sentirá um pouco de frustração com o papel da atriz em Nocaute. Ela precisa ser mais valorizada em Hollywood e interpretar mais mulheres fortes, já que seu potencial foi muito bem comprovado este ano. Chega de ser a esposa ou a dama em perigo.

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

A crítica especializada foi particularmente cruel com Nocaute. Reclamaram dos clichês, de seguir a mesma fórmula de outros filmes de boxe, entre outras coisas. É nessas horas que eu fico feliz em não ser especialista, mas sim, uma pessoa que ama cinema e escreve sobre isso.

Os clichês em filmes de boxe estão lá porque são a melhor parte deles. A redenção, a derrota, o retorno e a luta final são o motivo de “Rocky: Um lutador” ter ganho o Oscar de Melhor Filme em 1977. Portanto, senhores críticos, entendam que o público gosta de muitas coisas que se repetem ao longo do tempo e, muitas vezes, suas críticas destroem um longa brilhante e comovente apenas porque vocês se acham floquinhos de neve especiais.

Nocaute (2015) | Jake Gyllenhaal nunca decepciona

Em conclusão: assista Nocaute o mais rápido possível! O filme está em cartaz em todo o Brasil e vai te conquistar com sua história, suas performances, sua trilha sonora e, principalmente, com a grande lição sobre o valor que a família deve ter na vida de uma pessoa.


Gostou? Tem mais:

Por Louise


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.