A Entrevista (2014)

Apenas mais um besteirol americano

É inacreditável perceber que depois de tantos filmes incríveis, bilheterias milionárias e recordes batidos no cinema em 2014, o longa-metragemA Entrevista | Apenas mais um besteirol americano que encerrará o ano nas manchetes do mundo inteiro é uma comédia protagonizada por Seth Rogen e James Franco. Algumas semanas atrás eu nem sequer sabia da existência de A Entrevista (e olha que eu trabalho com cultura pop), a publicidade do filme estava mais focada no público americano e o resto do mundo aguardava ansiosamente as estreias de dezembro… Até que tudo mudou.

Por causa de A Entrevista, a Sony sofreu um ataque de hackers histórico e está lutando para se reerguer. Informações sobre os funcionários, e-mails confidenciais e até filmes que não estrearam ainda foram vazados na internet num piscar de olhos. O motivo? Os hackers não queriam que A Entrevista estreasse.

Os escândalos foram acontecendo dia após dia, até que chegou ao ponto de se falar em um atentado semelhante à tragédia de 11/09 nos cinemas que insistissem em exibir A Entrevista. O problema é que toda essa batalha para censurar o filme, só fez com que as pessoas ficassem mais curiosas para assisti-lo. Foi publicidade gratuita. Eu quase nunca dou atenção a filmes de comédia, mas assim que soube que a Sony liberaria A Entrevista, corri para assistir.

O filme não é um grito de liberdade americano como está sendo “pintado” por aí. Se for, é um grito muito besta. James Franco é Dave Skylark, um apresentador de TV daqueles programas de entrevista americanos que falam sobre a vida de celebridades. Como é uma comédia misturada com sátira, o personagem é extremamente exagerado em sua imbecilidade, futilidade e american way of life.

A Entrevista | Apenas mais um besteirol americano

Ao lado dele temos Seth Rogen como Aaron Rapaport, o produtor do programa, que se sente mal por produzir um programa fútil e decide que as coisas devem ficar mais sérias. Quando a dupla lê em um portal de notícias que o famoso ditador Kim Jong-Un é um grande fã de entretenimento americano – em particular, do programa de Skylark -, encontram a oportunidade perfeita para fazerem a maior entrevista da década e elevar o programa a um outro nível. Eis que a CIA entra na jogada e a simples entrevista se torna um plano para assassinar o ditador.

A Entrevista | Apenas mais um besteirol americano

A verdade é que o longa-metragem é exatamente o que aparenta ser: apenas mais um besteirol americano. Não há nenhuma crítica profunda à ditadura norte-coreana. Na verdade, a maior parte do filme se passa no palácio de Kim Jong-Un, enquanto o ditador tenta enganar Skylark fingindo ser um cara legal e fazendo propagandas positivas de seu governo para que a entrevista faça o mundo vê-lo com outros olhos.

A Entrevista | Apenas mais um besteirol americano

O roteiro conta com o conhecido humor americano recheado de sexismo, humor negro, racismo e apelação. E embora sejam temas recorrentes nas comédias desse estilo, é hipocrisia dizer que James Franco e Seth Rogen não arrancam boas risadas durante os 112 minutos de filme. Muitas críticas estão surgindo e sendo cruéis com A Entrevista, mas me pergunto se tais críticos estão cientes de que, desde o começo, o longa é uma comédia, e quem o transformou num símbolo da luta contra a censura não foram os produtores. O filme foi feito para fazer as pessoas rirem.

A Entrevista não é uma crítica social e política à crueldade de Kim Jong-Un. Não é uma declaração de guerra, não é um grito de liberdade, não é um marco na história do cinema, não é um atentado contra a Coreia do Norte. É apenas mais uma comédia americana. Parafraseando um parágrafo da crítica do The Guardian, resumir o filme não é muito complicado: “5% de pontas com celebridades; 25% de piadas sobre pênis; 25% de piadas sobre ânus; 2% de referências a ‘O senhor dos anéis’ (muito depois de isso ter perdido a validade); 20% de sexismo; 3% de Jonah, da série ‘Veep’; 5% de citações constrangedoras de hits do top 40; 10% de sotaques ‘engraçados’; 10% de Seth Rogen encarando com olhos tristes um helicóptero.”

A Entrevista | Apenas mais um besteirol americano

Só assista se estiver com a mente aberta e disposto a rir de qualquer besteira, caso contrário, procure o bar mais próximo onde cinéfilos de facebook estarão discutindo ferozmente o quanto esse filme é mediano e decepcionante perante suas expectativas cults.


Gostou? Tem mais:

Por Louise


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.