O Apanhador no Campo de Centeio

Simples, mas muito eficiente

Há muito tempo eu tentei ler esse livro e o abandonei. Hoje, mais maduro, eu consegui ler, e acho que consegue entender a sua mensagem.

Em O Apanhador no Campo de Centeio nós acompanhamos Holden Caulfield, um garoto que está no ensino médio e novamente é expulso de seu colégio interno. Tendo que esperar até uma quarta-feira de Natal, Holden decide em pleno sábado a noite sair do seu colégio e perambular pelas ruas de Nova York até que o dia de encontrar sua família chegue, e com isso nós o acompanhamos em uma jornada de reflexões, tristezas e alegrias.

Anos atrás (acho que quando eu tinha 17 ou 18 anos) eu decidi ler esse livro. Não lembro exatamente o que me chamou a atenção nele, mas eu me lembro que estava decidido a lê-lo. Eu pesquisei, vi que era um livro bem-conceituado, algo que era meio obrigatório para as pessoas lerem e que suas mentes iriam ser abertas com esse livro. Para você ter noção, esse livro já foi envolvido em muitas polêmicas também, tanto pela história que ele conta na época em que se conta, tanto pelo fato de Mark David Chapman ter assassinado John Lennon enquanto portava o livro em seus braços.

E acho que essa mística sobre esse livro me atiçou muito a curiosidade. Mas lembro que por volta de 130 páginas, eu abandonei o livro. Holden me irritava. Seu humor ácido, suas piadas infames e a constante reclamação sobre a vida me importunavam de um jeito que o livro me cansou. Eu lia, mas quando lia eu sentia um tremendo peso nas costas devido à tanto pessimismo.

Mas agora, com 23 anos, eu decidi que eu precisava ler.

Eu precisava saber da real importância na jornada de Holden pela Nova York da década de 40. E então eu li, e digo que após ler as poucas 200 páginas deste singelo livro, eu me senti diferente.

Mas calma! Não espere que você vai ler o livro e lá terá uma frase que vai mudar a sua vida, ou que a escrita é algo completamente rebuscado e coisas do gênero. Esse é um livro simples em todos os sentidos. Seu vocabulário é simples, a forma de narração em primeira pessoa é simples e até mesmo o seu desenrolar é bem simples juntamente de suas temáticas. Mas após terminar, eu pesquisei muito sobre o livro. Eu me sentia diferente e não sabia o porquê, mas tinha certeza que tinha tirado algo daquela história.

Muitas pessoas dizem da importância do livro para a época, do fato dele ser um infanto-juvenil e que tratava de assuntos e usava linguajar inadequado para histórias contadas na década de 40. Ok, eu entendo essas importâncias, mas isso não tinha me interessado. Eu queria os significados ocultos, queria as mensagens subliminares e eu achei várias, mas nenhuma que fosse definitiva. E talvez a conclusão que eu cheguei é que: esse é um livro único para cada um.

Depois de uma semana pensando sobre esse livro, eu e ele, ambos sozinhos em minha mente, eu percebi que há muito de Holden Caulfield em mim. Sabe, nossas visões são muito parecidas, talvez até muitos problemas e as formas de olhá-los, mas não que eu tenha a vida dele. Mas de certa forma, eu tenho muito dele dentro de mim, e aposto que todas as outras pessoas têm muito dele dentro delas também.

Acho que o fato mais fascinante é como Holden é um personagem universal, e por mais que você reclame dele, ache que ele é um adolescente que só reclama da vida (e que a própria irmã dele fale isso em um momento do livro) ele tem muitos bons motivos para reclamar e ser uma pessoa amarga e ao mesmo tempo dócil. Seus motivos são nobres. E todas as coisas que afligem esse protagonista, são justificáveis perante a forma de ver o mundo que ele tem. E garanto que a forma de ver o mundo que Holden tem, é a mais altruísta e dolorosa que já vi.

O Apanhador no Campo de Centeio (aliás, pense muito sobre esse título) é uma real jornada. Talvez se você for muito novo ou ler o livro sem se importar muito com as coisas que estão sendo ditas, é provável que tanto vai fazer para você e nada será absorvido dessa brilhante história. Ou simplesmente você pode não gostar do livro, acontece. Mas se você se interessou, e eu espero muito que isso tenha acontecido, eu digo para que você leia com calma e com a mente muito aberta. Palavras pequenas neste livro são imensas frases e discursos na boca de Holden Caulfield. E se você tiver a graça de receber o toque desse garoto rabugento que perambula pelas ruas de Nova York com seu chapéu de caça, talvez você tenha uma experiência tão boa quanto a que eu tive.

Você se interessou pela obra de J.D. Salinger? Compre seu exemplar AQUI!


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.