Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme
in

Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme

Apesar dos problemas, é possível se divertir com o game nos consoles

Como um dos mais aguardados jogos de 2020, “Cyberpunk 2077” chegou ao PC e consoles com um lançamento digno da complexidade que divide opiniões.

Jogando como V, você buscará por um implante único que é a chave para a imortalidade – e para salvar a sua vida. Tudo isso enquanto explora as oportunidades de uma megalópole obcecada por poder, glamour e modificações corporais: Night City.

Mas então, ante o mar dividido de opiniões sobre o jogo, vale a pena dar uma chance? Veja na análise abaixo.

Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme

Com a proposta base de imergir seu jogador em uma realidade futurística distópica, “Cyberpunk 2077” tem um mundo aberto interessante, boa ambientação, uma cidade bem arquitetada e detalhada. Dessa forma, explorar Night City é como andar pelas estradas de uma megalópole que cresceu de forma desordenada cujo futurismo não soa tão distante.

Fato é que a cidade realmente nunca dorme, e sempre te oferece uma atividade bem disposta pelo mapa a medida em que você trilha sua jornada. Tiroteios, assaltos, roubos, resgates, tudo isso e muito mais ao seu dispor.

Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme

A trama principal de “Cyberpunk 2077” é muito bem estruturada e envolvente, no que o enredo cativa o jogador ante sua proposta base. E mesmo que seja um roteiro curto, de 25h de jogatina no máximo, as missões principais se dividem de forma fluída e interessante ao jogador.

Em contrapartida, são nas missões secundárias que as tramas de Night City ganham uma vida a mais. Nelas que vemos a personalidade de V e suas relações com os personagens secundários ganharem vida, bem como conhecemos melhor as figurinhas que fazem essa megalópole acontecer. Felizmente o mapa está cheio dessas missões!

Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme

“Cyberpunk 2077” tem uma jogabilidade funcional, com abordagens diversas para resolver qualquer tipo de treta. Mas apesar disso, o stealth soa trabalhoso e os tiroteios mais interessantes e rápidos. Outro ponto a ser destacado, é que todos esses cenários e formas de agir serão influenciados pelo modo como você desenvolve sua árvore de habilidades.

Por exemplo: você consegue articular melhor com seus contatos a medida em que sua inteligência sobe de nível, assim podendo ganhar mais dinheiro em contratos e missões. Você tem uma vasta cadeia de habilidades e ações disponíveis que refletem sua preferência de jogo.

Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme

Por outro lado, mesmo curtindo a possibilidade que o jogador tem de expressar sua ideia de gênero e sexualidade, a customização de “Cyberpunk 2077” é fraca. A criação do personagem no começo da jornada é definitiva (sem edição possível depois), e conta com poucas opções de escolhas nesse processo. Sem contar que a possibilidade de editar sua genitália é completamente dispensável, e que não agrega em absolutamente nada ao jogo.

Também senti falta da possibilidade de ocultar determinados itens equipados, como os itens de cabeça, por exemplo. Não poder encarar a face limpa do meu personagem criado por causa dos itens equipados é bem chato.

Cyberpunk 2077 | Narrativa cativante em uma cidade que nunca dorme

Estou jogando “Cyberpunk 2077” em um PlayStation 4 Slim e aproximadamente 50h de jogatina. Nesse processo, tive apenas três momentos em que o jogo crashou, e duas vezes em que bugs sérios me fizeram reiniciar a missão em que eu estava.

Mas dito isso, acredito que “Cyberpunk 2077” seja um jogo que cumpre com a proposta enquanto de ter uma aventura divertida e interessante. O jogo vale muito a pena, em especial a jogadores que se interessam por essa temática e estejam dispostos a abrir mão de gráficos exorbitantes e desempenho exorbitante nesse primeiro momento.

E aí, curtiu?

Escrito por Isaias Setúbal

All I hear is doom and gloom. And all is darkness in my room. Through the night your face I see. Baby, come on. Baby, won't you dance with me?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0
Grand Theft Auto V | Apesar da jogabilidade datada, trama ainda cativa e conquista

Grand Theft Auto V | Apesar da jogabilidade datada, trama ainda cativa e conquista

Nintendo | A incrível restauração de um Nintendo 64

Nintendo | A incrível restauração de um Nintendo 64