Marvel’s Spider-Man

Uma espetacular e imersiva aventura ao Amigo da Vizinhança

Nada é tão incrível quanto acordar com uma nova aventura a sua frente. E é assim que nos encontramos sob a pele de um dos personagens mais populares, não apenas do universo da Marvel como da cultura pop em si, no jogo Marvel’s Spider-Man. Lançado em 7 setembro de 2018, o novo jogo (exclusivo do PS4) para o Amigo da Vizinhança nos coloca frente de uma nova abordagem ao sólido universo do personagem.

Contextualizando, a parceria entre a Sony Interactive Entertainment, Insomniac Games e a Marvel nos trouxeram uma aventura completamente nova e autêntica; já fazem oito anos que Peter Parker atua como super-herói, agora sendo um experiente vigilante, que domina melhor a arte de combater os grandes criminosos na cidade de Nova Iorque na mesma proporção em que está tendo dificuldades para equilibrar sua vida pessoal e sua carreira, sem deixar de mencionar, é claro, o destino de milhões de civis que ficará em suas mãos.

Marvel’s Spider-Man naturalmente traz uma nova proposta para o universo do Cabeça-de-Teia. E isso é algo formidável neste jogo. Já que vivenciamos novos visuais, novos equipamentos e por último mas não menos importante, novas relações entre personagens. O jogo é um ponto de partida em que todo fã e/ou jogador descompromissado gostará de dar.

Primeiro que, ante a colisão dos mundos de Peter Parker e Homem-Aranha, a jogabilidade de Marvel’s Spider-Man é dinâmica e fluída; a exemplo, os movimentos (sejam eles do jogador e/ou de câmara) são bem definidos e de boas resposta. A cidade de Nova Iorque torna-se basicamente um grande e imersivo parque de diversões, com seu mapa atrativo para rolezinhos de teias, apreciação as belas vistas (de marcos icônicos tanto da cidade quanto do Universo Marvel) e desafios constantes. Mas mais interessante ainda, é o desempenho harmonioso entre o modo história e de exploração de mapa; digo, você consegue fazer ambos facilmente durante as jogatinas.

O sistema de combate executado em Marvel’s Spider-Man tem uma certa essência de quadrinhos que é bem-vinda ao novo jogo do Cabeça-de-Teia. Particularmente, muito me agrada a execução de golpes (solos ou em combos, e principalmente as finalizações cinemáticas!) executadas pelo personagem e também adversários em gerais, cuja o sistema simplista de movimentos te permite uma boa integração ao combate em que você se encontra. Exceto isso, penso que tanto a esquiva quanto o “aviso de dano recebido”, poderiam ser melhores trabalhados e, especificamente no caso do “aviso de dano recebido”, serem mais evidentes.

É legal também que você tem oportunidades de atribuir ao Spider-Man a sua intenção. Digo, normalmente você pode jogar com um Spider-Man mais ofensivo e de dano alto, ou um herói mais defensivo e furtivo, ou até mesmo uma mescla desses. De toda forma, seja o seu Spider-Man agressivo ou defensivo, a verdade é que o Homem-Aranha furtivo (stealth) é uma das coisas mais legais do mundo de se ver em ação!

Complemento ao sistema de combate, Marvel’s Spider-Man traz um sistema de habilidades e equipamentos bem interessantes, e dificuldade moderada de compreensão e execução. O então “Poder do Traje” é uma característica bem legal desse sistema, uma vez que ele traz características únicas de múltiplos momentos já vividos pelo Peter Parker durante sua longa carreira; além, é claro, do estilo pessoal do jogador ficar evidente com os belos uniformes disponíveis. Ainda, os slots de “Modos de Traje” proporcionam efeitos passivos que, embora limitados, permitem ao jogador espelhar o Cabeça-de-Teia que lhe convém (ofensivo, defensivo, furtivo, mesclado e afins).

Quanto a árvore de habilidades, o jogo me parece ter uma certa limitação na execução desta. Tudo bem que, de uma forma geral a árvore possui atributos funcionais e importantes, mas em contrapartida ela também possui atributos bases que poderiam ser iniciais e/ou até mesmo trazer um adicional mais imponente para o gameplay. O interessante é que, ao menos, a diversidade nos estilos dos “lançadores de teias” preenchem essa lacuna e permite ao jogador uma abordagem bem particular.

Flertando com uma essência cinematográfica, Marvel’s Spider-Man naturalmente traz uma trama embasada em três atos. E, sinceramente, que atos! Particularmente, muito me agrada não apenas o desenvolvimento, mas também a execução da trama para o modo história, que ao ser concisa e bem estruturada, consegue “cinematizar” com maestria a essência “quadrinhesca” do personagem e seu universo em um jogo. Gosto também da originalidade dessa trama, de clichês mínimos e que proporcionam ao jogador um leque de momentos únicos com os personagens; os tensos momentos de jogatina com a Mary Jane e o Miles Morales que o digam.

Mais do que isso, tanto a trama quanto o contexto deste universo são apresentados de múltiplas e detalhadas maneiras (pelo Clarim Diário, pelas mochilas encontradas, pelas gravações de personagens e, por último mas definitivamente o meu favorito de todos, pelos episódios constantes do podcast de J. Jonah Jameson). O que é legal, visto que te apresentam algo novo sem perder a essência familiar de um universo tão popular quanto é o do Amigo da Vizinhança da Marvel. Aproveito também, para ressaltar a fantástica trilha sonora desse jogo, bem como a bela equipe de dublagem brasileira (não tem como não gostar das vozes da Mary Jane e do J. Jonah Jameson, real).

Marvel’s Spider-Man é um jogo sensacional que, ao desenvolver suas estruturas em detalhes e com maestosa execução, coloca o jogador frente a uma espetacular e imersiva aventura do mais conhecido Amigo da Vizinhança.

Seja você fã do Teioso ou não,  Marvel’s Spider-Man vai te surpreender de qualquer forma!


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.