Houdini – Minissérie retrata o maior mágico e ilusionista de todos os tempos

Eu sei que você já ouviu falar dele. E não é para menos. Um homem que faz um elefante desaparecer, que agarra uma bala com os dentes e que desafia o espiritismo não poderia passar despercebido pelo mundo. Confira agora a resenha da minissérie Houdini (2014), exibida pelo History Channel, que retrata a vida e obra do maior mágico e ilusionista de todos os tempos: Harry Houdini.

O maior escapista de todos os tempos foi retratado primorosamente nessa produção, que se divide em duas partes no History Channel. Uma trama 150 minutos, podendo ser vista como um longa-metragem.

Houdini Minissérie retrata o maior mágico de todos os tempos 4Quase cem anos se passaram desde a morte de Houdini, e sua figura icônica se mantém intacta na história e no mundo da magia e do ilusionismo.

Baseando-se na força do personagem e de sua trajetória, o History Channel criou a minissérie original com o objetivo de desvendar o desconhecido do homem que virou lenda, e que aos olhos do mundo, desafiou a morte diversas vezes. Harry Houdini, nome artístico de Ehrich Weisz, o escapista e ilusionista considerado por muitos o pai da mágica moderna.

Com cautela, a produção apurou detalhes mais singelos de uma época, Houdini apresenta uma proposta quase que didática ao fazer com que o mundo moderno conheça os bastidores de um artista que mudou para sempre a história da magia e do ilusionismo, e que morreu precocemente aos 52 anos, após ser desafiado por um estudante de medicina no Canadá.

No século XIX quando se falava de celebridade não se poderia ignorar a figura dele, o maior ilusionista que o mundo já conheceu. David Blane, David Copperfield, Criss Angel, nenhum deles conseguiu metade da repercussão de seu trabalho como Houdini, nascido na Hungria e imigrado com seus pais para os Estados Unidos quando tinha apenas quatro anos de idade.

Houdini Minissérie retrata o maior mágico de todos os tempos 1

Adrien Brody, ator vencedor do Oscar por sua atuação no longa “O Pianista” encena a ascensão e queda do ilusionista.

A primeira parte (caso você não assista como eu, de uma vez só) é repleta de narrativas simples, que fogem do superficialismo. Incomodado pelo tratamento que recebeu do pai quando criança, e pelo fracasso do mesmo, Ehrich parece que a cada truque quer mostrar ao pai que é capaz de “driblar” a morte quantas vezes for necessário, e que dinheiro nunca será um problema em sua vida. Se houver um público sedento para ver sua façanha, melhor ainda. Ele adora isso. Da origem simples de um imigrante natural da Europa Oriental, até os detalhes de seus espetaculares números de ilusionismo, um jovem artista de circo que ganha prestígio aos poucos, e se transforma numa grande atração em concertos pela Europa.

Houdini - Minissérie retrata o maior mágico e ilusionista de todos os tempos

Entre a primeira e segunda parte, Ehrich “deixa de reinar sozinho” quando conhece a belíssima e talentosa Bess, que vem a se tornar sua esposa. Interpretada por Kristen Connolly, fazendo o papel da mulher que auxilia o mestre em todas as suas tramoias, e que acima de tudo, o ama incondicionalmente. Ela o auxilia da forma como poucas companheiras fariam, tendo em vista que o homem desafia a morte quase todo santo dia. Mas a parceria não fica por aí, Ehrich conhece Jim, vivido pelo ator Evan Jones, seu maior admirador e gênio, que o presenteia com invenções que aumentam o valor de sua arte. Dele surge as maiores artimanhas cedidas a Houdini, para que seu espetáculo fique mais impressionante.

Houdini - Minissérie retrata o maior mágico e ilusionista de todos os tempos

Nessa segunda parte, você conhecerá o nascimento do “Grande Houdini“. Aclamado por personagens ilustres da história, desafiando a morte, se envolvendo em polêmicas sérias, desafiando praticantes do espiritismo, até mesmo o escritor Arthur Conan Doyle (criador de Sherlock Holmes), o místico russo Rasputin e até mesmo sendo coagido pelo governo, e se tornando um espião.
Quanto a ser um espião… Segundo o livro biográfico “A Vida Secreta de Houdini“, isso parece ser verídico, a biografia do artista desde a extrema pobreza que viveu em seus primeiros anos até a fama internacional, sua faceta de espião e o suposto complô que acabou com sua vida, na noite do Halloween. O especialista em magia William Kalush e o escritor Larry “Ratso” Sloman, dedicaram vários anos pesquisando cerca de 700 mil anotações e documentos que fizeram com que eles chegassem à conclusão de que a ascensão da carreira do mítico mágico deveu-se também a um ofício mais mundano: a espionagem. Os autores chegaram a esta conclusão ao analisarem o diário de William Melville, chefe do incipiente serviço secreto britânico – o MIM-5 – do início do século XX, no qual são feitas várias referências a Harry Houdini.

No roteiro adaptado do livro “Houdini: A Mind In Chains: a Psychoanalytic Portrait” de Bernard C. Meyer, o diretor Uli Edel (“As Brumas de Avalon”) optou por não criar muitos mistérios sobre o personagem. Enquanto ele surge como a primeiro genuíno superastro americano de renome mundial no final do século 19, e começo do século 20. A trama te proporciona uma aventura pela mente de Houdini, a minissérie mergulha fundo por trás das cortinas, dos truques e da falta de medo de homem genial. Suas ambições, seus grandes amores, e principalmente sua maestria na arte da ilusão, são o foco dessa trama.

Confira o trailer:

A série não peca no que promete. Eu não esperava metade do que vi, e fico imensamente feliz de passar essa maravilhosa descoberta adiante. Exibida inicialmente em setembro, pelo History Channel, a minissérie é um prato cheio de atuações e ilusionismo. Quase uma história que o próprio Harry Houdini contou. O homem que viajou o mundo passando seus segredos para novos talentos e ganhando inúmeros fãs, não Houdini - Minissérie retrata o maior mágico e ilusionista de todos os tempospoderia ser melhor retratado. Essa ausência de pretensão por sucesso, foi o que mais chamou a minha atenção. A minissérie não promete ser o que não é, e desperta interesse pela vida peculiar do maior mágico que já existiu, sem que seja um dramalhão mexicano, e sem a futilidade da fama dos artistas consagrados.

Com uma trilha sonora que te deixa boquiaberto e roendo as unhas, Houdini te levará aos lugares mais obscuros que o passado não conheceu. Na mente, na mágica, na espionagem, na origem do cinema, no espiritismo, com ou sem algemas, visando sempre dar o melhor espetáculo para o seu público alvo: você!


Gostou? Tem mais:


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.