Cada um com seus problemas

Quem nunca ouviu alguém falar a famosa frase: “Ema, ema, ema, cada um com seus problemas”? Se você nunca ouviu provavelmente já disse para algum amigo, companheiro de trabalho, namorada, ficante, rolo, pai, mãe, ufa! (quase o mundo inteiro) a seguinte frase: “O problema é teu!”

Realmente tem gente que acha que ser psicólogo é tarefa para poucos, mas para os detentores de problemas qualquer pessoa está apta para exercer tal função. Infelizmente nossos ouvidos também foram feitos para ouvir a desgraça ou a dificuldade alheia. Eu mesmo penso assim:
Se eu tenho um problema, o presenteado fui eu ou de certo adquiri o mesmo em suaves prestações (às vezes é a vista mesmo), mas não deixa de ser meu, portanto nada mais justo que eu mesmo resolver sem pesquisar a opinião do próximo. Ressalvo que no artigo 1 da constituição da amizade, amigos  que consideramos e temos um carinho muito grande está isento de tudo que aqui vos falo escrevo. Enfim, isso na prática não acontece na maioria dos seres humanos passíveis de massa cefálica, este por sinal insiste em delatar os problemas aos 3ºs de qualquer natureza. É surpreendente quando você pergunta a um amigo: “E aí tudo bem?” E ele: “+ ou -“. Quando esses dois sinais que fora incorporado da matemática e adequado ao nosso cotidiano é representado em uma resposta como esta, pode ter certeza que existe um problema e não é aquele que sua professora da segunda série do primário lhe menistrava. Lembra?

Joãozinho foi a um jogo de futebol, no estádio o cachorro quente era R$ 2,50. Se o Joãozinho comprar R$ 50,00 reais de cachorro quente da para 20 comer?”

Aí de ti se não respondesse esse problema! Pois do contrário seria um problema em sua vida. As professoras do primário às vezes não percebe o trauma que causa na gente, mas esse assunto fica para outra hora.

Voltando ao problema…

E por mais que seja pequeno (o problema) o problemático faz deste um incêndio na caixa d’agua. E o pior é se você tiver uma opinião contrária ao problema do individuo e ele logo pensa: “Me ajudou muito”. Agora que eu me pergunto: se problema fosse bom não denominávamos ele desta forma, correto? Ou melhor, ainda vendíamos como os ambulantes vende os famosos DVD que passou de 3 por 10 para 9 é 10 estilo a Uninove.
Eu mesmo fico fudido, ferrado com um negócio destes. Nós já sabemos do bendito ditado cada um com seus problemas, mas eu não sei porque os clientes que eu atendo insiste em compartilhar seu problemas comigo, achando que eu sou a Márcia Goldschimdt, afinal mexeram contigo mexeram com ela. Nenhum deles parece-me ter dançado a dancinha do quadrado. Ontem mesmo vi uma cena linda: 5 taxistas vidrados no quadro desabafo da Márcia! È ou não é o país da piada pronta? Se você quiser ser o fodão em qualquer lugar para qualquer pessoa, é só responder quando alguém lhe pergunta: “E aí tudo bem?” E você com o sorriso comercial de creme dental dizer: “Tudo ótimo, meu querido. E a sua pessoa?” Pronto! Faz o teste, responda “tudo ótimo” sempre, durante um bom tempo. De fato muita gente vai pensar: “Meu esse cara é feliz!” Isso pode ser um problema para uns que adoram dizer que são transparentes, mas eu lhe pergunto: “Afinal alguém realmente tem que saber se você esta mal ou não?”

É só cantar aquela música da Ivete Sangalo: “E não me conte os seus problemas, nem quero saber!”

Achou o post problemático? Não tem problema!
Você está com sérios problemas? Comente aqui! E eu resolvo eles para você!

Ah… Alguém conhece o Tadeu?


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.