Redação Indica #01

Felipe

Bom, no (primeiro) Redação Indica, na edição de colecionador, resolvi separar algumas coisinhas que eu gosto e que acho que valem a pena para indicar para vocês, beleza? Sou responsável pela parte de Games aqui no site, mas vira e mexe ainda me “intrometo” nas demais sessões. Bem, sem mais delongas, vamos lá:

1. LIVRO

Um dos livros que eu mais gosto e de um dos meus escritores favoritos, o japonês Haruki Murakami. O autor tem um jeito único de contar suas histórias, conseguindo embutir nas palavras mais simples e frases mais objetivas os significados mais complexos e interessantes, e em Norwegian Wood não deixa de ser assim. Publicado em 1987, o enredo se passa no Japão dos anos 60, em que o personagem central passa por uma série de problemas ao se envolver com a namorada do seu melhor amigo, que cometeu suicídio anos antes. Os personagens são todos extremamente reais e humanos, além de gerarem graus inacreditáveis de identificação com praticamente qualquer tipo de leitor. Murakami é um mestre da simplicidade profunda e das nuances, conseguindo pintar cenários e situações inesquecíveis cheias de melancolia, ironia e humor. Lotado de referências sensacionais a séries, filmes e músicas (como a que nomeia o livro), Norwegian Wood é cheio de sutilezas, reviravoltas e pequenas crueldades, que te fazem ler mais e mais – e, inclusive, o plotwist de um final aparentemente inacabado é um dos melhores já criados (não se preocupe, não é um spoiler).

Redação Indica #01 I Felipe (3)

2. MÚSICA

Um artista relativamente desconhecido no Brasil, Stromae (anagrama de Maestro), um belga descendente de angolanos, foi a minha escolha da vez. Conheci as músicas dele no período que morei fora, e desde então não consigo parar de ouvir. Numa espécie de mistura entre hip hop, new beat, música eletrônica e as chansons francesas, o belga simplesmente destrói com batidas bem originais e letras absurdas. Os clipes (que partem de ideias do próprio Stromae) são, cada um, um show à parte. Dos dois álbuns lançados pelo cantor,  Cheese e Racine Carré, não consigo eleger um melhor. Destaque para as samples utilizadas, que não trazem somente a simples referência, mas um sentido próprio no produto final – que tende a ser inesquecível.

3. CINEMA

Acabo sendo meio que, bem, suspeito, já que esse é o meu diretor favorito. Dentre os maravilhosos filmes do japonês Akira Kurosawa, escolhi o clássico Rashomon para indicar. Lançado em 1950 com a participação de um gênio da fotografia, Kazuo Miyagawa, o longa se baseia em dois célebres contos da época, e traz várias técnicas que seriam utilizadas pouco tempo depois pelo cinema francês. Com estrutura nada convencional, Rashomon traz uma história sobre diversos pontos de vista, sendo que no final das contas, acaba sendo impossível se determinar a verdade sobre o que realmente aconteceu. A história em si é a de um suposto estupro seguido por um assassinato, contado pelo ponto de vista de quatro pessoas: o criminoso, um médium (que traz a história da vítima), um samurai e um lenhador (que nos brinda com uma das mais legais sequências de travelling do cinema). Os relatos são contados pelo próprio lenhador e por um sacerdote budista para um citadino miserável, e a cada relato, as contradições aumentam. O legal é que tem completo legendado no youtube!

4. HQ

Como indicação trago minha HQ favorita na minha história favorita: Estação das Brumas. Escrita de forma magistral por Neil Gaiman, o arco nos traz um enredo brilhante, que se inicia em uma reunião de família cheia de intrigas, na qual, o personagem central, Morpheus, o reio do sonhar, é convencido por seus irmãos a ir até o inferno para resgatar sua antiga amada, Nada, que foi condenada a passar praticamente a eternidade aprisionada aos sofrimentos no Inferno. Morpheus, então, reúne forças e imagina possibilidades e estratégias para lidar com Lúcifer  nos domínios infernais, mas ao chegar lá… as coisas não estão funcionando. Tudo está meio que parado, e por um simples fato: Lúcifer cansou de seu trabalho e está prestes a se aposentar. Ele entrega ao Sonho a chave de seus domínios e vai aproveitar seu tempo em alguma praia enrolada. A partir daí, com um dos maiores e mais poderosos domínios nas mãos, o Perpétuo recebe a visita de centenas de milhares de deidades, demônios e criaturas em seu domínio, que pretendem convencê-lo que cada uma é a herdeira merecedora da chave. Cheio de referências literárias e artísticas, considerado como o melhor arco da renomada HQ, Estação das Brumas vai do filosófico e metafísico, ao mundano, entretendo e até fazendo rir. Cheia de plotwists e momentos inesquecíveis, é simplesmente imperdível!

Redação Indica #01 I Felipe (1)

5. GAME

Como não poderia deixar de ser, sinto que tenho de, pelo menos, indicar um jogo. E depois de pensar bastante, bem, o escolhido foi o inesquecível Final Fantasy IX. Apesar de não ser o mais celebrado da fantástica, inesquecível e clássica série de jogos da SQUARE, o grau de imersão, dedicação e envolvimento com esse jogo, em particular, me renderam carinho e afeto bem maior do que tenho com tantos outros grandes títulos. Baseado em uma série de historias francesas, o jogo possui cutscenes lindíssimas (até mesmo hoje em dia!), músicas memoráveis e personagens bem marcantes, cada um com personalidades, backgrounds e motivações próprias – inclusive os vilões. Apesar de ter sido um dos Final Fantasy mais maniqueístas, foi o que mais me rendeu infindas horas de jogo (inclusive de jogando e zerando várias vezes), além do vício no sistema de batalha de cartas in game. Focado em um grupo de ladrões e foras da lei a bordo e suas aventuras a bordo de um gigantesco navio voador,  o game é cheio de pequenas reviravoltas e momentos emocionantes, não economizando em mortes, nem em momentos emocionantes. De controles fáceis e sistema de batalhas e movimentação bem tranquila, esse jogo de Playstation 1 me foi uma felicíssima surpresa. Finalmente, apesar de não ter sido inovador ou exatamente o melhor dentre os demais, Final Fantasy IX é uma lembrança muito especial – e a minha indicação para vocês.

 Bem, espero que tenham gostado das indicações. Semana que vem mais alguém da redação vai trazer algumas indicações para vocês. Aguardem!

Vejam também outra publicações minhas!


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.