HQ do Dia

Os Delinquentes

Archer e Armstrong, Quantum e Woody – Duas das revistas mais originais, divertidas, bem estruturadas e bem escritas sendo publicadas atualmente. Quatro protagonistas (Cinco se contarmos a Cabra) tão cativantes, tridimensionais e apaixonantes quanto um Homem-Aranha ou um Guy Gardner por exemplo. Dois sucessos de crítica e vendas no mercado e duas das franquias mais fortes do atual Universo Valiant. Se você é leitor regular de quadrinhos e não conhece nenhum dos dois títulos a sugestão é ler este, este, este ou este artigo e se informar, pois está perdendo leituras incríveis. Em Os Delinquentes essas duas duplas disfuncionais se encontram pela primeira vez em uma mini-série em 4 partes publicada este ano pela Valiant Comics e muito breve pela HQM no Brasil na revista X-O Manowar (edições 26 a 29).

A história em Os Delinquentes é uma colaboração entre os roteiristas responsáveis pelos dois títulos atualmente, Fred Van Lente (que escreve Archer e Armstrong) e JamesDelinquentes_1 Asmus (responsável por Quantum e Woody). Então se você já está se divertindo acompanhando estes títulos não vai notar diferença alguma entre o tom da revista mensal e o desta mini-série.

A história gira em torno do passado de Armstrong como um andarilho / vagabundo / mendigo. Anos atrás em suas andanças pelos Estados Unidos, o imortal Armstrong é confiado pelo Rei dos Vagabundos com um mapa (tatuado nas nádegas de um mendigo) para uma “Mendigolândia”, um paraíso escondido onde qualquer vagabundo pode viver em paz no seu modo de vida simples, além de um “tesouro” dos vagabundos. Logicamente, Armstrong por estar eternamente embriagado, não leva essa história de mendigo muito a sério e guarda o mapa em sua bolsa sem fundo sem se preocupar. Anos depois uma das metades do tal mapa é perdida e cai nas mãos do dono da corporação da indústria alimentícia chamada Mondostano. Quantum e Woody então são contratados para encontrar a outra metade do mapa e aí é que começa a diversão.

Van Lente e Asmus introduzem a premissa e apresentam este elenco da maneira mais suave e divertida possível, pontuando toda a primeira edição com piadas hilárias e deixando leitores novos ou regulares em uma posição extremamente confortável de leitura. Os antagonistas, representados pelas indústrias Mondostano são um show a parte. Os autores inteligentemente satirizam toda a indústria alimentícia contemporânea e tiram sarro da atual cultura da alimentação saudável misturando ficção grotesca com comédia. Os inimigos em Os Delinquentes são capangas em forma de bovinos antropomórficos constituídos de carne e vegetal e se encaixam perfeitamente na célebre galeria de vilões bizarros das séries mensais dos protagonistas.

Apesar da inegável qualidade da história, logicamente o destaque nesta mini-série não poderia ser outro se não a relação entre os 5 protagonistas (estou incluindo a Cabra). Eric, Woody, Obadiah e Armstrong tem uma dinâmica incrível e qualquer fragmento de diálogo escrito entre esses 4 personagens em qualquer edição é garantia de diversão para o leitor. Em Os Delinquentes você vai testemunhar um quebra pau descaralhado entre os protagonistas, a primeira bebedeira de Archer (e consequentemente sua primeira ressaca), todo o poder da Cabra, Vincent Van Goat (que está grávida e com sérios distúrbios hormonais, diga-se de passagem) e a costumeira imoralidade de Woody. Tudo isso em uma road trip pela América regada a Absinto e canções de mendigo. Mesmo que o leitor Brasileiro não pegue todas as referências a cultura Americana, a leitura é prazerosa e revigorante do início ao fim.

Delinquentes_3Toda a arte (incluindo arte-final e colorização) em Os Delinquentes é de Kano. O artista, que é o responsável pelas últimas edições de Quantum e Woody, nos presenteia com um trabalho extremamente caprichado, inovador, divertido e meticuloso nestas quatro edições. Em cada uma das partes da mini-série o desenhista consegue surpreender com técnicas de enquadramento que parecem simples, mas que poucos conseguiriam executar com esta perfeição. Em qual HQ do mercado você vai encontrar páginas com 24 ou 17 mini-painéis que de forma alguma deixam a narrativa confusa? Em qual HQ  do mercado você vai ver um jogo de tabuleiro totalmente funcional integrado a história? Em qual HQ do mercado você vai ver uma batalha no clímax final que é TOTALMENTE interativa e pode ser dirigida da forma como o leitor quiser? Estes são apenas pequenos exemplos do brilhantismo gráfico em Os Delinquentes. O ilustrador mantém seu traço realista e clássico característico, mas dá ritmo, coração e humor ao roteiro com técnica apurada e muito capricho na execução.

Os Delinquentes entra facilmente no rol das melhores mini-séries publicadas em 2014. O que James Asmus, Fred Van Lente e Kano conseguiram obter aqui é diversão na sua forma mais pura. Não é necessário conhecer nada destes personagens para embarcar neste misto de comédia, ficção, aventura e road trip. Uma leitura de fácil compreensão, sem frescuras ou tramas mirabolantes, recheada de ação e comédia do inicio ao fim e apresentada com um trabalho gráfico sensacional. A Valiant Entertainment novamente nos dá mais uma prova cabal de que é a editora de quadrinhos de super-heróis com o Universo mais coeso, divertido e bem produzido do mercado atualmente.

Felizmente para quem está interessado nestes personagens a editora HQM já publica atualmente Archer e Armstrong na revista X-O Manowar e estará em breve começando a publicar Quantum e Woody na revista Universo Valiant (Começando na edição número 9). Então não perca tempo e compre! Este é o Universo a ser lido.

VEJA MINHA ÚLTIMA RESENHA: HQ do Dia | Batman #36


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.