HQ do Dia

Guerras Secretas #1

Sim! A Marvel está destruindo TODOS os seus universos nesta primeira edição de Guerras Secretas. A saga que começa hoje em uma mini-série em oito partes é o clímax do conceito gigantesco iniciado pelo escritor Jonathan Hickman nos títulos dos Vingadores – Resumindo muito (muito mesmo): Devido a um misterioso evento cataclísmico, as Terras do Multiverso Marvel vem colidindo e se destruindo nos últimos meses. Vingadores e outros heróis tentaram de tudo para evitar a tragédia e no fim só restam dois Universos: A Terra-616, que é o Universo Marvel como conhecemos e a Terra-1610, também conhecida como o Universo Ultimate. Estes dois Universos agora lutam por sua sobrevivência.

Na primeira edição de Guerras Secretas acompanhamos de fato a hora final destes dois universos. Uma invasão em larga escala das forças da S.H.I.E.L.D. do Universo Ultimate executada por Nick Fury, mas orquestrada pela versão maligna de Reed Richards – também conhecido como Criador. Enquanto isso o Reed do 616 tenta completar seu plano de evacuação planetária em um esquema meio “Arca de Noé”. Na frente de batalha, os heróis de ambos Universos se enfrentam enquanto suas Terras se aproximam em rota de colisão até o fim iminente.

Hickman não perdoa novatos nesta primeira edição. Isto aqui é uma continuação direta dos eventos de sua passagem nos Vingadores e se você não entendeu porque este ou aquele personagem estão ali agindo desta ou daquela forma, problema é seu, procure saber. Este é o caso de Thanos e sua Cabala, de Ciclope e sua Nação X e principalmente do elenco da Terra-1610. Para quem está lendo Vingadores do autor é o ponto final em um conceito que foi introduzido em 2012 e que supostamente vai redesenhar todo o Universo Marvel daqui para frente. Aqui já vemos personagens morrendo, equipes se desfazendo e o panorama geral da editora já sendo modificado radicalmente. O roteiro do autor, apesar de buscar referências em eventos prévios é relativamente simples. Tirando todas aquelas edições de Avengers e New Avengers que você leu, se formos destilar a primeira edição temos um conto apocalíptico super-heroico que culmina em mudanças bem drásticas para a Marvel. Os diálogos, são bem escritos, a escala do roteiro é grandiosa como um evento deste porte merece e não podemos culpar o roteirista por falta de ação porque esta é uma edição acelerada e urgente em termos narrativos. O autor consegue na primeira edição balancear toda essa grandiosidade com alguns pequenos momentos mais íntimos entre os protagonistas, o que é um ponto extremamente válido neste tipo de história e dá aos leitores aquela sensação de humanidade em meio ao caos “multiversal” que transborda por todos os quadros. Ainda permanece o mistério sobre a presença e os planos dos seres “moldadores de realidade” chamados Beyonders e isso acaba sendo a parte que provavelmente vai fazer o leitor voltar para a segunda edição de Guerras Secretas.

HQ do Dia | Guerras Secretas #1A arte de Esad Ribic nesta primeira edição é simplesmente cinematográfica. O foto realismo “aquarelado”, mesclado na medida certa com traço clássico de quadrinhos dão o peso de todo um Multiverso a estas páginas sem deixar as coisas escaparem muito do clima de ficção científica proposto pelo roteiro. Não é um filme no sentido de que as caracterizações são reflexos de modelos humanos, mas também não são desenhos em quadrinhos no formato em que estamos normalmente habituados a encontrar no mercado. O ilustrador é extremamente caprichoso com este elenco enorme e mesmo as pequenas participações como a dos Guardiões da Galáxia ou de Miles Morales são tratadas com muito carinho e tornam o visual de todos retratados aqui incrível. As cenas de batalha são um desbunde visual, a invasão a Terra-616 pelas forças da S.H.I.E.L.D. é massiva, esmagadora e assustadora. A resposta dos defensores da Terra não é menos épica. A batalha entre a Capitã Marvel e o Homem de Ferro Ultimate é grandiosa e os heróis que ficam para conter a invasão são mostrados em suas horas finais em sua melhor forma.

Guerras Secretas não enrola. Este é o seu principal trunfo. As coisas começam mal e escalonam para pior em questão de 2 páginas. O tom é dramático e elétrico e o fim iminente de todo um Universo é retratado da melhor forma possível pelo roteirista. Além disso, as consequências do evento são drásticas e ao menos parecem que serão definitivas. No entanto esta com certeza não é uma história fechada que um leitor casual pegaria na primeira edição para ler em seu trajeto diário. Até é possível apreciar o trabalho do roteirista desta forma, mas ficarão dúvidas e buracos a serem preenchidos e provavelmente uma pessoa não familiarizada com estes conceitos precisará de algumas explicações. A arte no entanto é um trabalho primoroso e talvez seja um dos melhores trabalhos gráficos em sagas Marvel nos últimos dez anos, elevando muito o valor agregado deste produto. Para quem está acompanhando Vingadores e se deliciando com os conceitos alucinados de Hickman isto aqui é uma puta estreia empolgante entregue em um pacote perfeito. Para quem não está acompanhando as mensais e para aqueles que não estão apreciando o trabalho do autor no título dos maiores heróis da Marvel talvez seja somente uma leitura comum e um material que não chama atenção logo de cara. De qualquer forma, se você quer conhecer o futuro da Marvel daqui para frente, por bem ou por mal, este é o título para acompanhar.

ACOMPANHE TODAS AS RESENHAS DE GUERRAS SECRETAS:

Guerras Secretas #2

Guerras Secretas #3


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.