Saudade

Saudade que dói
Machuca e faz desabar
Noites em claro a chorar
E a madrugada fria vem para piorar
Como uma faca
Entra no meu peito
E maltrata
Ensangüentada pelas lágrimas da paixão
Eu vivo com a ilusão
De um dia me curar dessa dor
Arrancar do meu peito
Essa faca que você fincou
Quando sorrindo, me disse adeus
E no escuro da solidão
Você me deixou

Por Marília do Blog http://marisantosbutterfly.blogspot.com/

Por


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.