Epecuén – A cidade apocalíptica que ficou submersa por mais de 20 anos

Epecuén é uma cidade que fica ao sudoeste de Buenos Aires, um destino turístico localizado ao lado de um lago, onde 1,5 mil moradores atendiam até 20 mil turistas a cada temporada. Para chegar até a cidade era necessário pegar um trem na capital Argentina que levava até os balneários de água salgada de Epecuén.

article-2295111-18BE84CA000005DC-897_964x700

30

5137194479_13203d1287_z

A cidade se tornou atrativa, pois o lago tinha 10 vezes mais sal que a água do oceano. Os turistas, especialmente os da comunidade judaica de Bueno Aires, desfrutavam a chance de boiar sobre águas que lembravam o Mar Morto. Porém, uma tragédia aconteceu! Uma forte tormenta, seguida de invernos chuvosos fez com que o lago transbordasse em 1985. O dique não conteve a água e as ruas do povoado foram todas inundadas. As pessoas tiveram que fugir com os poucos pertences e bens que conseguiram carregar, em poucos dias suas casas ficaram submersas em quase 10 metros de água salgada.

villa-epecuen-4

Epecuén alagada

3C15DF2E7

Vista do aérea da cidade alagada

Epecuén chegou a ter uma população de 1.500 habitantes, no momento da catástrofe havia pouco mais de 280 empresas na cidade, incluindo pousadas, pensões, hotéis e outros estabelecimentos que atendiam cerca de 25.000 turistas entre novembro e março entre os aos 50 e 70. O que muitos dizem como a era ouro da Argentina. A cidade ficou mais de 20 anos submersa e hoje conta com apenas um habitante, Pablo Novak de 82 anos. Que retornou para onde morava e se nega a deixar as ruínas de Epecuén.

Dan-20130719142656866217-620x349

Pablo Novak, único morador da cidade

51372905

Ele tem 82 anos e voltou a morar na cidade apocalíptica depois de 25 anos longe dela

Pablo Novak, sempre dá boas vindas aos que adentram as ruas em ruínas, foi assim que ele fez com Danny MacAskill, que foi rodar um filme na cidade praticando varias manobras radicais entre as ruínas com sua bicicleta. Que além de servirem como obstáculo, foi um verdadeiro desafio para Danny, confira:

bike2

Em relação aos residentes de Epecuén, eles fugiram para uma cidade vizinha chamada Carhue, que também fica localizado próximo ao lago. Em Carhue refizeram suas vidas, construíram novos hotéis e saunas para tratamentos de pele a base de barro e água salgada.

O vilarejo não foi reconstruído, mas se transformou novamente em uma atração turística para aqueles dispostos a enfrentar ás seis horas de viagem que separam a Epecuén de Buenos Aires. Uma distância de 550km, a maioria deles percorridos em estradas rurais estreitas.

Você teria coragem de conhecer uma cidade fantasma como essa?


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.