Além de projeto para novo filme, Nintendo está em alta no mercado de games

Recentemente, em uma parceria com a Illumination Entertainment, mesma produtora do sucesso de animação “Meu Malvado Favorito”, a Nintendo anunciou que criará um filme de animação baseado na franquia Mario Bros.

A Illumination, cujos filmes já arrecadaram mais de US$ 5 bilhões em bilheteria, será uma das responsáveis de tentar produzir um filme de qualidade da franquia de um dos personagens mais populares da história dos games.Isso porque em 1993 foi lançado o longa “Super Mario Bros.”, e foi um fracasso em termos de crítica e bilheteria: orçado em US$ 48 milhões, Super Mario Bros. só conseguiu arrecadar US$ 20 milhões em bilheterias no mundo todo. Entretanto, diferentemente do novo projeto da Illumination, o primeiro filme da franquia foi não produzido em animação, e sim com atores reais.

Provavelmente, a frustrante performance do Super Mario Bros. é um dos motivos pelo qual a Nintendo não tentou licenciar mais nada das suas franquias mais populares (aquelas produzidas pela própria empresa) para os cinemas desde então. O sucesso de Mario começou nos anos 1980, com a entrada do personagem no mundo dos games. Criado por Shigeru Miyamoto, o game veio com gráficos e jogabilidade inovadores para a época. Depois do lançamento do Super Mario Bros 3, em 1989,  um dos maiores jogos de todos os tempos, a franquia ganhou ainda mais adeptos mundo afora.

“Quando a Nintendo lançou o NES com Super Mario Bros., ela apresentou gráficos melhores do que muitos fliperamas, além de um game de longa duração e com maior complexidade do que os títulos da época. Mario era reconhecido como um homem e não uma figura de pauzinhos, os cogumelos pareciam cogumelos e não apenas algo que lembrasse o item”, analisa Steven Kent, um dos mais respeitados jornalistas no mundo dos games.

Um detalhe importante é que Miyamoto será coprodutor no novo filme. Além disso, por não querer repetir a decepção de 1993 e garantir que filme seja produzido da melhor maneira, a Nintendo está ajudando a financiar todo o projeto. Além de Miyamoto, Chris Meledandri, fundador e CEO da Illumination, também trabalhará como coprodutor. Ademais, a Universal Pictures será a responsável pelo lançamento do filme nos cinemas e distribuição mundial.

E é bom ressaltar que a gigante japonesa está muito forte no mercado atual. Em janeiro, segundo dados fornecidos pelo NPD Group, o console Nintendo Switch, lançado em março de 2017, liderou as vendas de todos os consoles nos EUA — até fevereiro de 2018, mais de 12 milhões de unidades do console foram vendidas.  A Nintendo pretende aquecer ainda mais o mercado de jogos portáteis. Em abril de 2018, será lançado o Nintendo Labo, um acessório do Nintendo Switch bastante interativo.

“A ideia da empresa é que o produto permita criar, montar e usar os recursos do Switch como um brinquedo educativo. Entre os exemplos mostrados no vídeo estão um piano, uma armadura de robô e uma vara de pescar. O conjunto será vendido e os usuários terão que montar as peças de papelão seguindo os passos necessários ou usando a sua imaginação para criar outros elementos”, analisa o portal IGN.

Isso só vem a mostrar que a iniciativa de produzir um novo filme não foi ao acaso. É reflexo da sua boa fase atual no mercado mundial de games. No entanto, para os fãs que aguardam o lançamento do filme com ansiedade, é bom aguardar um pouco. Além de nem ter um diretor definido, a previsão é que o filme somente seja lançado entre 2021 e 2023. Nesse período que antecede o lançamento, a Illumination dará prioridade a outros projetos que já estão em andamento há mais tempo.


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2018 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.