Curiosidades sobre Superman (1978)

Se há algo que faz parte intrinsecamente das várias gerações a aglutinarem a história do cinema, são os super-heróis. Desde a Era Clássica das produções cinematográficas, os meta-humanos ganharam força descomunal como agouros de dias melhores, de esperança e de otimismo para uma sociedade marcada pela constante tragédia – afinal, tais narrativas foram delineadas na época em que o mundo inteiro canalizava seus esforços para lutar entre si.

Desde então, nomes como Alan Moore e Stan Lee despontaram no mercado editorial e tiveram as maravilhosas aventuras de clássicos personagens retratadas em diversos meios de comunicação – fossem nas telinhas ou nas telonas. Mas um desses personagens, criado pela dupla Joe Shuster e Jerry Siegel, foi condecorado com uma fama imprescindível que perdura até a contemporânea era dos streamings: o Superman.

É muito difícil encontrarmos alguém que não conheça o indestrutível – ou quase indestrutível – herói provindo do planeta Krypton, o qual mantém-se preso à identidade secreta de Clark Kent (que viralizaria como uma marca inegável das produções audiovisuais e literárias do gênero) em seu mundano dia a dia, transformando-se em um arauto da bondade maniqueísta quando necessário, defendendo a Terra das forças mais malignas e mortais possíveis.

Ainda que essa construção estereotípica tenha sido reformulada com  camadas humanizadoras nas últimas versões adaptadas, é quase imediato sermos transportados para o final da década de 1970, mais precisamente no momento em que Christopher Reeve lapidava seu nome como a primeira versão live-action de Superman (1978).

O longa-metragem tornou-se um sucesso de público e de crítica e até hoje serve de base para novas investidas. Não é surpresa, pois, que o filme também foi indicado para quatro categorias do Oscar de 1979, levando para casa a estatueta de Melhores Efeitos Especiais. E para homenageá-lo, separamos uma lista com algumas curiosidades de bastidores.

Confira abaixo e não se esqueça de deixar seu comentário e sugestões para matérias futuras!

  • Para ganhar a musculatura necessária para viver o personagem-título, Christopher Reeve passou por um regime estrito supervisionado por David Prowse – que interpretou Darth Vader na trilogia Star Wars.
  • Segundo a autobiografia de Roger Moore, quando Reeve passava vestido como Superman, atraía o olhar de várias admiradoras; quando vestido como Clark Kent, ninguém prestava atenção nele.
  • A cadeira de direção foi oferecida a Steven Spielberg, mas logo a proposta foi retirada após o “absurdo” salário que o cineasta exigia.
  • Gene Hackman inicialmente recusou-se a raspar seu bigode para viver Lex Luthor. Richard Donner, diretor do longa, conseguiu convencê-lo após dizer a ele que também rasparia o seu.

  • Marlon Brando se recusou a decorar as falas com antecedência. Durante algumas sequências, o ator estava lendo ao vivo os diálogos.
  • Joe Shuster e Jerry Siegel ficaram emocionados e honrados com o resultado do filme.
  • Brando processou os estúdios Warner Bros. em cinquenta milhões de dólares por ter se sentido deixado de fora nos lucros da bilheteria. Por essa razão, ele não aparece em Superman II: A Aventura Continua (1980).
  • Para encarnar Clark Kent, Reeve baseou sua performance no personagem de Cary Grant no clássico Levada da Breca (1938).
  • À época de seu lançamento, o filme ficou no topo das bilheterias por treze semanas consecutivas.

  • Robert Redford, Clint Eastwood e James Caan foram cotados para participar do filme. Redford, porém, exigia um salário muito alto; Eastwood estava muito ocupado; e Caan disse que “não tem chance de eu usar esse traje ridículo”.
  • Mais de duzentos atores passaram pelo processo de seleção para viver o herói.
  • Superman foi o segundo filme mais rentável de 1978, perdendo apenas para o musical adolescente Grease – Nos Tempos da Brilhantina. O filme estrelado por Reeve arrecadou 300,5 milhões de dólares, enquanto o protagonizado por John Travolta e Olivia Newton-John arrecadou 395 milhões.

  • Em toda cena na qual Lois Lane (Margot Kidder) entrevistava Superman na varanda, o herói respondia “eu nunca minuto”. O produtor Ilya Salkind disse que tal momento era decisivo, porque, vivendo sob a identidade de Clark, o protagonista estava “contando a maior mentira de todos os tempos”.
  • Dustin Hoffman recusou o papel de Lex Luthor.
  • Mario Puzo, autor do clássico O Poderoso Chefão (1969), foi contratado inicialmente como colaborador para dar mais credibilidade ao roteiro.
  • A princípio, a Warner Bros. queria terminar o filme com um holograma gigante do Superman voando para fora das telonas.
  • O compositor John Williams utilizou a mesma orquestra que tocou na trilogia Star Wars. Por isso é muito fácil encontrar similaridade entre as duas franquias.

VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.