Resenha – Diamond no Ace

A superação de um jovem colegial

O que mais se vê em animes de esporte é, de fato, o fator motivacional e de superação que todo o enredo traz consigo. Nessa obra prima criada não é diferente. Diamond no Ace (ou Ace of Diamond) é um mangá shounen de baseball criado e ilustrado por Yuji Terajima, este que, no passado, foi assistente de Rando Ayamine, responsável pela criação do famosíssimo Get Backers. Publicado no japão pela revista Kodansha e seriado pela Weekly Shonen Jump, conta atualmente com 47 volumes. Tamanho seu sucesso por lá, ganhou o prêmio de melhor mangá shounen, o “Kodansha Manga Award”. Atualmente a série animada conta com duas temporadas extensas, sendo a sua segunda ainda em exibição.

 resenha-diamond-no-ace-a-superacao-de-um-jovem-colegial

O plot da série é baseado em Eijun Sawamura, um jovem arremessador de uma escola local de sua cidade, junto de grandes e inesquecíveis amigos. Como todo jogador ambicioso e almejando o topo dos arremessadores do país, ou seja o “Ace” (melhor, ás do time, primeiro), acaba por se destacar em um pequeno amistoso entre seu colégio e outro, chamando atenção de uma olheira do colégio Seidou, que quase chegou ao nacional no ano anterior ao que se passa a história. A partir desse ponto, Sawamura é transferido temporariamente para Seidou, onde passa por testes de aptidão, a fim de se acostumar com o time e decidir se fica ou não por ali. E tendo a certeza de que era o que queria para si, a história finalmente alavanca, conhecendo seu grande rival Furuya (o considerado arremessador “monstro”), o rebatedor Haruichi e o prodígio receptor Miyuki, peças chaves no crescimento do protagonista.

resenha-diamond-no-ace-a-superacao-de-um-jovem-colegial

Mas o que, de fato, prende você ao anime? Justamente essa história de superação desde que era um mero arremessador sem uma “forma”, ou seja, sem a experiência para fazer jogadas únicas, bem trabalhadas, em busca da vitória. Ao longo do anime, Sawamura se frustra, como todo personagem principal. A ideia de manter um rival no mesmo time o motiva a sempre crescer mais e mais e isso, ao menos na minha opinião, é algo bastante proveitoso. A forma como ele galga seu caminho tortuoso, enfrentando não só o próprio Furuya como também grandes times do Japão e do distrito no qual Seidou é parte (como o melhor rebatedor do anime, o Todoroki da escola Yakushi) é o que mais motiva, provando que, com esforço e dedicação, tudo, tudo é possível. Sem contar a personalidade dele, que é bastante curiosa para um protagonista, pois mescla tudo. Naturalmente é um tanto quanto bobo, entretanto, quando se é pra ser sério, se mostra uma pessoa totalmente diferente e extremamente confiável, inovando de tempo em tempo com novas “bolas”, ou seja, formas diferentes de lançá-la na luva do receptor. Nesse ponto, a confiança entre arremessador e receptor entram em cheque, pois se não houver uma sintonia, os arremessos não saem como planejado. E não só entre essas duas peças chave, mas também a interação e confiança plena no time como um todo. Tendo todo esse trâmite, a história automaticamente prende o leitor/telespectador a cada novo capítulo/episódio.

resenha-diamond-no-ace-a-superacao-de-um-jovem-colegial

Em suma, Diamond no Ace (Ace of Diamond) é um shounen completo, embora esportivo. Trazendo um plot atrativo e motivador, espera-se que o mangá vá adiante e que demore a terminar. Já o anime, infelizmente, está nos dias finais, tendo sua data de encerramento nesse mesmo mês de março. A expectativa é que saiam OVA’s e até um filme posteriormente, mantendo-o como um dos animes de esporte mais bem cotados nos dias atuais.

________________________________________________________________________________

Gostou da resenha? Tem mais:


VEJA TAMBÉM:

COMENTE:

© 2019 Proibido Ler. Todos os direitos reservados.